Um pouco de tinta nas mãos de um pintor se torna uma obra de arte. Uma batuta nas mãos de um maestro faz nascer uma sinfonia. Uma semente nas mãos de um agricultor pode gerar um belo jardim. Um pouco de barro pode se tornar um lindo vaso nas mãos do oleiro. Uma pedra diante de um hábil escultor se transforma em uma escultura. Aquilo que é simples pode se tornar extraordinário, dependendo das mãos que estiverem trabalhando. Entenda, o que transforma coisas simples em espetaculares são as mãos que as moldam. O barro, nas mãos de pessoas comuns continua sendo apenas barro.

Mas, nas mãos do oleiro, o barro se torna um vaso. O que importa então não é a coisa em si, mas as mãos que estão trabalhando. Seremos apenas barro se não estivermos nas mãos do Oleiro Eterno. Você pode ser instrumento de milagres, derrubador de gigantes, pescador de multidões. O único limite para aquilo que você pode se tornar é a imaginação do Oleiro. Ele sabe o que é melhor para você. Ele tem um projeto glorioso enquanto Ele molda você. Enquanto Suas mãos deslizam em sua alma a imaginação do Eterno consegue lhe ver como um recipiente dos tesouros dele. Você nunca viu um arquiteto consultar tijolos para edificar um prédio. Também nunca verá um carpinteiro perguntar à madeira como será o móvel. Quando o Oleiro foi moldar o primeiro homem, não discutiu com o pó da terra como faria. “Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?! Porventura, pode o objeto perguntar a quem o fez: Por que me fizeste assim?” (Rm 9.20) “Ou não tem o oleiro poder sobre o barro” (Rm 9.21a RC).

O projeto que Deus tem para você não está em discussão. No vocabulário do barro, não existem frases como: “Por que você está fazendo isso?”, “Não quero assim!”, “Daquele outro jeito é melhor!”, “Não mereço ser isso tudo!”, “Aí não, aí dói!”, “Como eu posso virar isso tudo que você está falando?” O Oleiro pensa, o Oleiro trabalha e o barro está apenas entregue. Deixar Deus moldar um barro para torná-lo um vaso é obedecer sua Palavra, seus pensamentos. É acompanhar o movimento de suas mãos. Não acompanhe o mundo, a mídia, o que os outros fazem, acompanhe as mãos dele.

Não acompanhe seus pensamentos ou sentimentos, acompanhe as mãos dele. Mesmo que não faça sentido, que pareça difícil, obedeça e você verá aquilo que é sem forma e vazio se tornar um jardim. Aqui está um ponto onde muitas pessoas param o trabalhar de Deus na vida delas. Elas dizem: “Mas é tão difícil largar a minha vontade pela vontade do Oleiro. Eu não tenho forças para fazer isso.” Um momento, meu irmão, um momento! Mas que barro tem poder para virar vaso? Afinal, o poder não está no barro, está nas mãos do Oleiro. Enquanto o barro estiver procurando forças em si mesmo para se tornar um vaso ele nunca o será.

 Contatos:

Site: www.ventonofogo.com.

E-mail: dru.lacerda@hotmail.com

twitter: @_drummond_