4 Comentários

Tola, eu?

dúvida

Guerreira, virtuosa, linda, especial, sábia, vencedora, menina dos olhos do Pai, amada… Essas e outras qualidades são sempre exaltadas nos encontros de mulheres, mas podemos refletir também sobre outras características das mulheres. Em Pv 14.1 diz que a mulher sábia constrói e que a tola destrói seu lar, isso significa que ela tem sim um grande poder nas mãos, tanto para o bem quanto para o mal. Infelizmente vemos muitas mulheres destruidoras por aí.

De uma forma geral, com algumas exceções, claro, mas podemos observar em um ambiente de trabalho, por exemplo, quem é mais fofoqueiro, o homem ou a mulher? Quem é mais invejoso? Quem fala mais do que deve? Quem atrai o homem casado para fora de casa? De forma alguma estou justificando a atitude do homem, mas se não houvesse a mulher adúltera, que seduz, ou se deixa seduzir, a moça que vai para cama com seu namorado, ou a mulher rixosa que de tão chata empurra seu esposo para rua, as coisas seriam diferentes. O capítulo 5 de Provérbios fala muito sobre esse tipo de mulher.

A mulher quando é tola, “sai de baixo”. Ela compra mais do que deve e se endivida, causando sérios problemas no seu lar, ela pode provocar situações com a nora, com a sogra, a cunhada, etc. É mais difícil um homem não se relacionar bem com alguém da família do que a mulher, por quê? Porque pelo instinto materno, como a fêmea que a todo custo protege seus filhotes e faz o que for preciso pra salvá-los, a mulher é mais possessiva, acha que pode tudo e que as coisas devem ser como ela quer, sinais de tolice. Muitas mulheres são assim, mas reconhecem que precisam de ajuda e se esforçam para mudar, sinais de sabedoria. Isso significa que a mulher sábia não é uma mulher perfeita, mas como diz a Palavra de Deus, o temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e quem teme a Deus quer sempre mudar. Deseja melhorar, reconhece quando erra e se arrepende, procura agradar e obedecer a Ele em tudo e assim constrói o seu lar.

Será que você é ou não uma boa construtora? Como é seu comportamento em casa, na escola, no trabalho, na igreja? Você cria confusão por que as coisas não são como você gostaria? Você sabe falar e responder com palavras agradáveis? Você tem domínio próprio na hora dos conflitos ou perde as “estribeiras”? Você sabe se calar na hora certa? Consegue falar a coisa certa, na hora certa e da maneira certa? Você é ciumenta, possessiva, controladora? Você é materialista? Em que gasta mais tempo nas redes sociais, com algo que acrescente a você e aos outros ou com futilidades?

Nosso amado Davi nos dá o exemplo quando faz uma oração corajosa no Salmo 139.23,24: “Sonda-me ó Deus e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. Vê se há em mim algum caminho mal e guia-me pelo caminho eterno”. Nosso criador nos conhece profundamente, Ele nos ama, mas quer nos fazer cada dia mais parecidas com Ele, alguém que ama, que cuida, que serve, que renuncia, que perdoa, que reconhece suas limitações, que quer aprender, crescer, melhorar, mudar, ser transformada, que se doa, se esforça, com equilíbrio para o bem do outro, mas que respeita, não invade, não interfere, não magoa, não controla, não determina, não contamina.

Que tenhamos a coragem de nos apresentar diante do nosso Deus e deixar que Ele faça o que quiser, para nos fazer mulheres sábias que Ele deseja que sejamos, assim construiremos relacionamentos sarados, seguros e frutíferos onde formos colocadas por Deus, para atrair mais pessoas a Jesus e Lhe dar a glória que Ele merece.