Nenhum Comentário

Você reserva dinheiro na poupança?

Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

Segundo informações do Banco Central, a caderneta de poupança completou em junho o sexto mês seguido de saques. As retiradas superaram os depósitos em R$ 3.718 bilhões. No ano, os saques totalizaram R$ 42.606 bilhões.

Participei de uma entrevista ao Jornal Estado de Minas, na qual falei que vejo essa questão por duas perspectivas: a boa e a ruim.

A ruim é que grande parte dessa retirada se deve ao uso do dinheiro guardado para compor ou sustentar o orçamento mensal de pessoas e famílias que viram, no ano de 2016, o seu poder de compra ser encurtado pelo aumento generalizado dos preços, chamado inflação. Se a renda já não cobre os gastos, muitos optam por compor o orçamento mensal com retiradas na reserva.

Outras retiradas devem ter acontecido devido ao desemprego. No trimestre encerrado em maio, o índice ficou em 11,2% e atingiu 11.4 milhões de desempregados. Estas pessoas vivem de seguros desemprego, quando recebem, e de reservas. Os desempregados que ainda têm uma reserva devem planejar muito bem a sua utilização.

O lado bom que enxergo da retirada, e relatei na reportagem ao jornal, é o fato de investidores estarem enxergando outras possibilidades, que têm a mesma segurança da poupança e que geram melhores resultados. Este é o lado bom da retirada.

A posse de reserva financeira é um excelente dado para avaliar se a pessoa ou a família tem um bom planejamento financeiro. Um dos objetivos principais da reserva é mesmo cobrir gastos extras, em momento de aperto financeiro.

Mas a finalidade mais nobre de uma reserva financeira, no meu parecer, é ser ferramenta para conquista de sonhos. Assim você conquista seus sonhos, tendo os juros a seu favor: você contribui com um valor e os juros trabalham para você. Quando você financia um sonho, por não ter o dinheiro para a compra à vista, você paga juros por sua aspiração, e ela ficará mais cara.

Para finalizar, quero incentivar você, meu leitor, a construir uma reserva com um objetivo bem claro, seja três ou seis meses de salário para uma segurança, seja para realizar uma viagem, comprar um carro ou um imóvel. Quero fazer este desafio, mesmo neste momento de aperto no bolso.

:: Erasmo Vieira [Palestrante e Coaching Financeiro]