”Aos olhos de Deus a maior riqueza que temos é o dia de hoje”, diz o pastor Márcio Valadão

01Temos aprendido que a maior riqueza que possuímos é o dia de hoje. Em João 10.10, a Palavra nos diz que o ladrão vem para roubar, matar e destruir. A pergunta é: Se ele é um ladrão, o que ele quer roubar? O diabo não quer roubar os nossos óculos, o nosso carro etc. Ele não precisa de um carro. Ele não vem para roubar um eletrodoméstico da sua casa ou uma galinha no seu quintal. Não! Ele quer roubar o bem mais precioso que possuímos. O que é mais precioso aos olhos de Deus? O próprio Senhor nos mostra ao dizer: “Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?” (Mateus 6.27). Aos olhos de Deus a maior riqueza que temos é o dia de hoje.

Existem duas maneiras usadas pelo diabo para roubar esse bem precioso. A primeira é quando ele leva a pessoa a viver no passado, viver de lembranças, de saudades, viver das experiências que teve há anos. Tem pessoas que vivem no passado, “param no tempo”, e elas desconhecem que na verdade é o Inimigo que as fazem dedicar a vida às coisas que já passaram. E a segunda maneira é quando ele leva a pessoa a viver sempre no futuro, ao que ainda não aconteceu. E viver no futuro significa sempre dizer: “Um dia…”. Ele não deixa a pessoa viver o presente. Cada dia pertence a Deus e devemos viver um dia de cada vez. Nós cantamos um corinho que diz: “Esse é o dia que o Senhor fez”. E as Escrituras dizem que “este é o dia que o Senhor fez, alegremo-nos e regozijemo-nos nele” (Salmo 118.24).

O Salmo 90 é uma oração que Moisés fez ao Senhor, e no verso 12 está escrito: “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.” Ensinar é um processo. Lembro-me de ensinar meus filhos a andar de bicicleta, foi todo um processo de ensino e aprendizado. Cada um no devido tempo tinha uma bicicleta com aquelas rodinhas atrás e eu os ensinava, incentivava, mostrando que estava sempre ali e não iria deixá-los cair. O Senhor nos ensina que devemos contar os nossos dias, colocar cada um deles nas mãos Dele para que alcancemos coração sábio.

Precisamos aprender que os dias são diferentes. O Salmo 31.15, proclama: “Nas tuas mãos, estão os meus dias; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos meus perseguidores.” Na nossa vida sempre tem alguém para fazer com que o nosso dia não seja aquele que Deus preparou para nós. E muitas vezes, logo quando você acorda, já percebe que há uma nuvem de demônios sobre você, situações, pressões: a dívida que vence no dia seguinte, aquela operação que acontecerá…  A Palavra diz: “Nas tuas mãos está os meus dias”. É preciso colocar os dias nas mãos do Senhor, então escolha colocar seus dias nas mãos do Senhor. Muitos têm facilidade de entregar os dízimos, as ofertas, mas não conseguem entregar o tempo, o seu dia ao Senhor. A Bíblia nos ensina que precisamos entregar nossos dias a Deus. Cada dia pode ser o último. Muita gente não gosta de ouvir isso, mas é uma realidade. Por isso, precisamos ainda dizer: “[...] livra-me das mãos dos meus inimigos e dos meus perseguidores” (Salmo 31.15).

Você precisa entregar ao Senhor a sua vida, porque depois da morte, não adianta mais fazer orações, não adianta acender velas. As Escrituras dizem que o homem está destinado a morrer uma única vez, vindo depois disso o juízo. Não existe um purgatório, como alguns acreditam, mas há “o dia da salvação”. Efésios 4.30, fala exatamente desse dia: “E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção”. Isaías 49.8, diz: “No tempo aceitável, eu te ouvi e te socorri no dia da salvação; guardar-te-ei e te farei mediador da aliança do povo, para restaurares a terra e lhes repartires as herdades assoladas”.

Deus abençoe!

Fotos: Jean Assis