Nenhum Comentário

Davi: um servo segundo o coração de Deus

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Referência Bíblica: “Depois de rejeitar Saul, levantou-lhes Davi como rei, sobre quem testemunhou: Encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração; ele fará tudo o que for da minha vontade” (Atos 13.22).

Exposição do texto: Saul foi escolhido para ser Rei sobre o povo de Deus. Mas, devido seu mau comportamento, foi substituído por Davi, a quem Deus declarou que Lhe agradava.

Discussão

1 – O princípio do meu coração em servir é sempre honrar a Deus? Ou sirvo para aparecer?
2 – As perseguições têm me feito parar de servir? Ou tenho me desanimado? Ou tenho parado de servir para lutar com quem me persegue?
3 – As pessoas que estão ao meu redor, conseguem enxergar em mim um bom exemplo de quem serve?

Objetivo: enxergar na vida de Davi bons exemplos que posso aplicar em minha vida como servo de Deus.

Contexto: muitas pessoas vivem a declarar que Davi foi “o homem segundo o coração de Deus”. Falam e repetem essa verdade, sem saber o que ela realmente significa. Alguns pensam que os pensamentos de Davi refletiam o coração de Deus (isso encontramos somente em Jesus Cristo). Outros, pensam que por ele ser um poeta, e compor lindos cânticos de louvor ao Senhor, fazia dele esse homem segundo o coração de Deus. Já outras pessoas questionam: “Como pode, ele que matou e adulterou ser conforme o coração de Deus? Será que o coração de Deus aprova isso?” Só para esclarecer, Jesus Cristo foi o único que revelou o coração de Deus de maneira exata. Ele fazia exatamente o que o Pai faz, dizia exatamente o que o Pai diz, agiu exatamente conforme a vontade do Pai. O Deus que não podia ser visto, Jesus Cristo O revelou. Deus passou a ser visto em Jesus. Ele é a expressão exata de Deus (Hebreus 1.3)

Mas, então, o que significava para Davi, ser um homem segundo o coração de Deus? A própria Bíblia responde. O texto acima responde. Davi era um homem segundo o coração de Deus, pois, como servo “faria toda a vontade de Deus”. Em outras palavras, “realizaria toda a obra que Deus desejava receber das mãos dele”. Ainda, “serviria a Deus, cumprindo todo o propósito de Deus para sua vida”.

Veja o que aconteceu: o povo de Israel pediu para ter um rei. Então, Deus lhe indicou um homem chamado Saul. Era grande e forte, uma aparência de guerreiro. Isto era o que o povo queria naquele momento: um rei guerreiro para lutar as suas guerras. Acontece que, já na segunda batalha, Saul desobedeceu a Deus. Tenta fazer o papel de um sacerdote, algo que Deus havia dado exclusivamente aos levitas. Isso foi grave diante de Deus. Passado um tempo, Deus deu uma ordem diante de uma batalha, e Saul, novamente, desobedeceu a Deus, agindo de modo a agradar o povo que estava com ele e não a Deus. Então, o Senhor levou Davi diante do povo de Israel. O princípio da diferença entre Davi e Saul, é que Saul errou quando procurava ser bem-visto diante do povo, já Davi se preocupava em honrar o nome de Deus.

Vamos analisar algumas virtudes de Davi como servo, começando por esse ponto:

A) Davi servia a Deus querendo honrá-lo. Não o fazia para aparecer aos homens. Agia para honrar Deus e Sua vontade. Um exemplo está em 1 Samuel 17.45, que diz: “Davi disse ao filisteu: tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudo; eu, porém, vou contra ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado”. Vale ressaltar que Davi agiu. Não entrou em discussões para honrar a Deus, mas simplesmente agiu.

B) Davi servia em sua casa, família, servia em seu trabalho com seu pai, ao mesmo tempo em que servia ao reino (1 Samuel 17.15). Só sabe servir no reino, quem serve em na vida diária.

C) Davi fazia tudo o que o mandavam fazer. Fazia com sabedoria e prudência, agia de modo tão excelente, que conquistou a simpatia de todos os que com ele estavam e serviam (1 Samuel 18.5).

D) Davi era um guerreiro. Sua missão diante de Deus era guerrear para livrar o “povo de Deus” dos seus inimigos (2 Samuel 3.18). Dessa forma, ele estava consciente do seu foco: servir a Deus em seu chamado. E caminhando nisso, algumas pessoas que estavam juntos dele, o perseguiram para o ferir (1 Samuel 19.11-12). Acontece que Davi fugiu, ou seja, não parou para brigar com os que estavam à sua volta. Provavelmente, ele seria superior no combate a seus perseguidores. Mas ele fugiu da briga, deixou para trás a perseguição. No que dependeu dele, agiu para manter a paz (Romanos 12.18). O chamado dele era livrar o povo de Deus e não brigar com os que estavam ao redor.

E) Davi não disputou a liderança com seus superiores. Quem é servo, sempre tem superiores. E Davi continuou servindo onde estava. Poderia ter agido (e agido erradamente) para tomar o lugar de seu superior (1 Samuel 26.5-9). Mas ele escolheu ir somente onde o agir de Deus o colocaria.

F) Davi não se revelou contra sua liderança, mesmo quando ela havia se desconectado de Deus. Alguns servos podem pensar, ou entender, ou estarem convictos de que seu líder se desconectou de Deus e tomou o caminho errado. Porém, o servo não levanta a mão contra seu líder. Davi se arrependeu de apenas ter cortado um pedaço do manto de Saul, pois foi errado. Coisas simples e pequenas (ou grandes), voltadas contra a liderança, ainda que esteja errada, não devem acontecer da parte daquele que serve (1 Samuel 24.5-6).

G) Davi continuou a servir a Deus, mesmo sem o apoio de seu superior (1 Samuel 23.1-13). É claro, que Saul errou ao não estender a mão ao chamado de Davi. Errou ao persegui-lo e tentar contra ele. Todo servo precisa do apoio de sua liderança. Mas Davi, sem se rebelar contra seu líder, e até mesmo ainda lhe tratando por Senhor (1 Samuel 26.17), e ainda sem o seu apoio, continuou a servir naquilo que Deus o havia chamado.

H) Davi mantinha comunhão com Deus para ter direção e instrução para servir. Adquiriu sensibilidade para servir conforme a vontade de Deus. Veja 1 Crônicas 28.19: “Tudo isso, disse Davi a Salomão, foi me dado por escrito pela mão do Senhor, e Ele me deu entendimento para executar todos esses projetos”.

I) Davi sabia que não poderia cumprir seu chamado sozinho. Ele fez amizades, alianças. Buscou companheiros, conseguiu ajuda para realizar a obra. Fez isso desde o início, e mesmo quando já estava em posição privilegiada. 2 Samuel 5.3: “Assim, pois, todos os anciãos de Israel vieram ter com o rei, em Hebrom; e o rei Davi fez com eles aliança em Hebrom, perante o Senhor. Ungiram Davi rei sobre Israel”.

J) Davi ensinou os que se aproximaram dele, a servir a Deus com fidelidade e empenho. Se ajuntaram a ele homens com a vida destruída. Mas ao andarem com Davi, foram transformados em valentes e notáveis (1 Samuel 22.2, 1 Crônicas 11.10-11).

K) Davi teve sua vida para servir. Desde adolescente, ainda no campo com as ovelhas e na batalha de Golias, até o dia de sua morte, viveu para servir. Serviu ao seu chamado, serviu a Deus e pessoas para cumprir o chamado dado por Deus (Atos 13.36, 1 Reis 2.10-11, 1 Samuel 17.14-15).

L) “Pois Davi fizera o que o Senhor aprova e não deixara de obedecer a nenhum dos mandamentos do Senhor durante todos os dias da sua vida, exceto no caso de Urias, o hitita” (1 Reis 15.5). Em 70 anos de vida, Davi teve sua história manchada pelo adultério com Bate-Seba e a morte de seu marido Urias. Mas pensando bem, foram 70 anos de vida (que excluindo esse episódio), que alcançaram a aprovação vinda de Deus. Uma vida irrepreensível no servir, fazendo toda a vontade do Senhor. Será que consigo viver por 70 anos sendo aprovado por Deus em meu servir?

Conclusão: Davi foi um exemplo. Ele cometeu erros que não precisamos cometer. Não posso julgar a história de Davi pelo seu erro. Preciso me empenhar para servir de tal forma, que eu alcance a aprovação do Senhor. Nesse sentido, eu posso tirar da vida de Davi muitos bons exemplos. Eu vim à Terra para cumprir um propósito escolhido por Deus. E, alguém, segundo o coração de Deus realiza toda a Sua vontade!

Aplicação: o propósito da minha vida se cumpre ao realizar o meu chamado. Eu o realizo servindo a Deus. O meu servir cumprirá meu propósito e me trará uma vida com sentido, e que pode ser chamada de “sucesso”.

:: Christian Clayton

Mais informações a respeito do estudo de células, ligue para o pastor Flavinho (31) 98793-7701.