Nenhum Comentário

De ouvidos e olhos bem abertos

Eu quero continuar a profetizar a Palavra de Deus lendo, agora, o Salmo 143. Permita que o favor de Deus seja realidade para você, para que essa Palavra possa realmente frutificar na sua vida.

“Atende, Senhor, a minha oração, dá ouvidos às minhas súplicas. Responde-me, segundo a tua fidelidade, segundo a tua justiça. Não entres em juízo com teu servo, porque à tua vista não há justo nenhum vivente. Pois o inimigo me tem perseguido a alma; tem arrojado por terra a minha vida; tem-me feito habitar na escuridão, como aqueles que morreram há muito. Por isso, dentro de mim esmorece o meu espírito, e o coração se vê turbado. Lembro-me dos dias de outrora, penso em todos os teus feitos e considero nas obras das tuas mãos. A ti levanto as mãos; a minha alma anseia por ti, como terra sedenta. Dá-te pressa, Senhor, em responder-me; o espírito me desfalece; não me escondas a tua face, para que eu não me torne como os que baixam à cova. Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma. Livra-me, Senhor, dos meus inimigos; pois em ti é que me refugio. Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terreno plano. Vivifica-me, Senhor, por amor do teu nome; por amor da tua justiça, tira da tribulação a minha alma. E, por tua misericórdia, dá cabo dos meus inimigos e destrói todos os que me atribulam a alma, pois eu sou teu servo.”

Esse salmo descreve tão bem o estado da alma daquele que está passando por momentos de lutas e dificuldades, de problemas aparentemente insolúveis. Algo que você precisa compreender é que não há um momento sequer em que Deus não ouça a sua oração, tampouco deixe de responder. Algumas vezes Deus responde com um sim; outras vezes, com um não. E outras, Ele diz: “Espere um pouco mais. Não é a hora ainda. Você ainda não está pronto”. A grande questão é que achamos que Deus deve sempre responder com um sim, e quando o nosso “sim” não acontece, pensamos que Ele não respondeu à nossa oração. Mas toda oração feita no precioso nome de Jesus é respondida. O salmista experimentava uma situação dificílima. De repente, o Espírito Santo o entregou uma “chave” para que pudesse sair daquele emaranhado. Vejamos três pontos.

1º) Ele disse: “Lembro-me dos dias de outrora.” Tirar dos porões da sua memória os dias de outrora, dias de bênçãos, dias quando você experimentou tanto do favor de Deus. Algo que você precisa lembrar é que Deus continua sendo o mesmo Deus.

2º) “Penso em todos os teus feitos.” Quando você começa a pensar nos feitos do Senhor, tudo o que foi criado por Ele, tudo ganha nova perspectiva. Quando você considera os feitos do Senhor, você começa a perceber o quão pequena é a sua situação. Sua aflição pode ser grande para você, mas aos olhos de Deus é tão pequena.

3º) “Penso em todos os teus feitos e considero nas obras das tuas mãos.” Lembrar, pensar, considerar, faça este exercício. Se você está prostrado, irá se erguer e ficará cheio, não da força do pensamento, mas do poder de Deus na sua própria vida. O salmista continuou dizendo: “A ti levanto as mãos.” Você precisa parar de levantar as mãos para os homens e levantá-las para o Senhor Jesus, Ele irá segura-lo, pois “a mão do dele não está encolhida, para não possa lhe salvar” (Is 59.1).

Deus abençoe!