Nenhum Comentário

Exemplo de dons no Antigo Testamento

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Referência Bíblica: “Então, o rei Nabucodonosor caiu prostrado diante de Daniel, prestou-lhe honra e ordenou que lhe fosse apresentada uma oferta de cereal e incenso. O rei disse a Daniel: “Não há dúvida de que o seu Deus é o Deus dos deuses, o Senhor dos reis e aquele que revela os mistérios, pois você conseguiu revelar esse mistério”. Então, o rei colocou Daniel num alto cargo e o cobriu de presentes. Ele o designou governante de toda a província da Babilônia e o encarregou de todos os sábios da província” (Daniel 2.46-48).

Exposição do texto: Daniel era de linhagem nobre e real (Dn 1.3), foi levado como prisioneiro para a Babilônia por Nabucodonosor, em 605 a.C, com outros jovens judeus com as mesmas qualidades e capacidade (1.1-7). Ali passou o resto de sua vida e ganhou destaque como profeta e estadista. Daniel foi instruído sobre a língua e na civilização dos caldeus (1.4). Ele e seus amigos foram agraciados com o generoso menu da corte pagã. Como o alimento real era contra a lei de Moisés, e poderia torná-los menos eficientes, Daniel decidiu não se contaminar com as iguarias e bebidas do rei (1.8). Os supervisores perceberam que Daniel e seus amigos possuíam grande habilidade e sabedoria. Daniel revelou o significado do sonho do rei, e este o elogiou e honrou o seu Deus e o recompensou com presentes preciosos (2.46,47) e também o colocou como governador de toda a província da Babilônia, como também como principal governador de todos os sábios de Babilônia (2.48).

Discussão: De qual forma podemos usar nossos dons para um bem comum da comunidade em que estamos inseridos?

Objetivo: entender como se comportar diante de governos opressores, e de que maneira não se contaminar e nem prejudicar os dons no reino de Deus.

Contexto: vivemos numa época em que somos tentados a desanimar e nos esfriar, devido a tanta notícia ruim. Vemos nos meios de comunicação um número assustador de políticos corruptos, uma sequência de desvios de verbas públicas, impedindo as mesmas de chegarem ao seu destino, como saúde, educação e segurança, nos trazendo muita frustração, pois nenhuma justiça é feita a respeito de tal situação. Tendemos a questionar: “Onde está Deus para interferir nessa situação? Por que tais políticos não são presos?” Isso nos frustra e pode fatalmente nos contaminar e deixar ineficientes para exercermos nossos dons.

1 – Vejamos a situação de Daniel, submetido a um governo extremamente opressor. Daniel foi levado cativo (prisioneiro) muito jovem, vivia em uma situação social muito privilegiada, pois era um jovem da corte. Foi levado à força, acorrentado, para uma nação a aproximadamente 1.800 km de sua terra natal. A Bíblia diz que Daniel foi entregue aos cuidados do chefe dos eunucos, assim sendo, Daniel também foi obrigado a se submeter à castração e foi submetido a costumes muito diferentes aos seus. E, diante de tantas adversidades, a Bíblia nos mostra claramente que ele se manteve fiel; em momento algum murmurou contra Deus, e se manteve firme diante das tentações que lhe foram oferecidas, negando todas, pois não concordavam com a lei de Deus.

2 – Daniel não se deixou levar pelo desânimo ou acreditar que Deus o havia esquecido ou mesmo lhe virado as costas. Diante de tanto sofrimento, longe de sua casa, de seus costumes, Daniel se mantém fiel, puro, sem nenhuma murmuração, dedicando-se a adorar seu Deus, mesmo parecendo não haver esperança.

3 – A nação de Daniel virou as costas para Deus, mesmo sendo exortada pelos profetas. Israel se manteve com o coração duro, o castigo foi anunciado e veio sobre a nação. Esse castigo alcançou a todos, até os que não serviram a outros deuses, que se mantiveram fiéis ao Deus de Israel, como Daniel, que sofreu pelos pecados de seu povo, porém, mesmo sob castigo de Deus, foi fiel.

Conclusão: vemos na vida de Daniel um grande exemplo ao se manter fiel, sem murmurar, não se deixando contaminar com mágoa e revolta, pois ele era fiel ao seu Deus. Poderia ter questionado a Deus quanto ao sofrimento, mas se manteve firme, e isso o colocou apto a desenvolver o dom que o Senhor havia dado. Ele interpretou o sonho do rei de uma forma extraordinária, salvando a vida de muitas pessoas. Atuou como um grande governante, pois tinha também esse dom administrativo. Vemos os seus dons sendo usados com muita excelência, e sua vida sendo honrada diante de Deus e dos homens. Ele foi eficiente no exercício de seus dons, pois não se deixou levar pela situação geral de sua nação, que estava sob a justiça de Deus.

Aplicação: nesta semana não se deixe influenciar pelos noticiários, mesmo que tudo pareça perdido. Exerça confiança e esperança no seu Deus. Faça uma análise de seus dons e de como tem sido o exercício deles. Veja como seus dons se desenvolverão diante da prática de não se deixar contaminar pela situação de seu país. Com toda certeza você notará seus dons sendo mais eficientes.

:: Thales Violante

Para mais informações a respeito do estudo de células, ligue para o pastor Flavinho (31) 98793-7701.