Nenhum Comentário

Experimentando Deus em nosso dia a dia

Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

Somos gratos ao Senhor por tudo que Ele nos tem dado, tanto no que se refere ao nosso relacionamento com Ele quanto às bênçãos com que nos tem agraciado. Isso acontece porque sabemos que Deus tem muito mais para nós e porque sabemos, muito mais ainda, que temos de buscá-Lo. O Senhor nos exorta a buscá-Lo e a invocá-Lo, conforme está escrito: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. Invoca-me, e te responderei” (Jr 29.13; 33.3).

É buscando o Senhor com intensidade de coração que receberemos tudo o que Ele tem para nós, e Ele tem sempre o melhor para todos que O buscam.

Durante os 40 anos que o povo de Israel caminhou pelo deserto, diz a Palavra que “o Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar” (v. 21). Quando a nossa vida está realmente nas mãos do Senhor, reconhecemos que Ele vai à nossa frente e sentimos a Sua presença. O caminho pelo qual Deus nos conduz é sempre o melhor. Nos desertos da vida, não existem placas sinalizadoras. Tudo o que precisamos durante esses desertos é ter os nossos olhos fitos no Senhor. Hoje, não temos uma nuvem para nos guiar, mas temos a Palavra de Deus e o testemunho do Espírito Santo em nossa vida. “Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite” (v. 22). A nuvem representava a presença do Deus onipotente, onipresente e onisciente, que faz toda diferença em nossa vida. “Respondeu-lhe: A minha presença irá contigo, e Eu te darei descanso. Então, lhe disse Moisés: Se a tua presença não vai comigo, não nos faças subir deste lugar” (Êx 33.14-15).

Quantas vezes tomamos decisões sem considerarmos a presença do Senhor? E o resultado disso é sempre insucesso. Quando a presença de Deus não se faz presente em nós, cansamos, mas a presença Dele traz descanso e paz para todas as áreas da nossa vida.

“Se a Tua presença não vai comigo, não nos faça subir deste lugar” (v. 15). É importante abrirmos mão de nossas próprias opiniões. Na maioria das vezes, as discussões acontecem porque queremos que nossas opiniões prevaleçam: “Tem de ser assim”. É fundamental entender a crucial diferença entre defender um ponto de vista e contender com Deus para que nossa vontade prevaleça sobre a Dele. Ele sempre terá o melhor para a nossa vida. Quando o nosso coração descansa nessa realidade, tudo o que Deus tem para nós acontecerá, porque Ele não faz nada pela metade. Começa e termina a boa obra. O que Deus disse a Moisés vale para nós: “A minha presença irá contigo, e Eu te darei descanso” (v. 14). Não conseguimos ver Deus fisicamente porque Ele é Espírito. Porém, mesmo não O vendo com nossos olhos físicos, podemos senti-Lo. Não apenas o entendimento dessa presença como um conhecimento teológico, mas a Sua presença manifesta. E, se reconhecermos isso em nossas decisões, em nossas palavras e no nosso dia a dia, seremos o povo mais feliz desta terra. “Pois como se há de saber que achamos graça aos Teus olhos, eu e o Teu povo? Não é, porventura, em andares conosco, de maneira que somos separados, eu e o Teu povo, de todos os povos da terra?” (Ex 33.16).

A diferença do cristão para aqueles que ainda não conhecem o Senhor não é simplesmente o nome de uma religião, mas a entrega total a Jesus e a certeza da presença do Deus vivo.

Deus abençoe!

:: Pr. Márcio Valadão