Estudo de célula do Jornal Atos Hoje-01/07/2007

Filipe achou Natanael, e disse-lhe: ‘Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José’.” (Jo 1.45).

O plano de Deus de salvar o mundo é por meio do nosso testemunho a respeito da salvação em Cristo. Ao subir para o céu, após a sua ressurreição, o Senhor Jesus deu aos seus discípulos a chave para “abrirem a igreja” no mundo: o poder do Espírito Santo para testemunhar. Ele lhes disse: “É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mt 28.18-20).
Mas, como eles poderiam se lembrar de todas as coisas que o Senhor Jesus lhes havia ensinado? E como poderiam usar o “poder de Deus” sem tê-lo recebido? Foi então que o Senhor lhes mostrou como obter o poder para testemunhar e ensinar o “Evangelho”, ou a mensagem salvadora e transformadora de Jesus. Por meio da oração e da busca do Espírito Santo é que eles seriam capacitados para a tarefa.
“E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias. [...] Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” (At 1.4-8).

O Espírito Santo e o testemunho do Evangelho
Após o “enchimento com o Espírito Santo”, os discípulos começaram a testemunhar com toda intrepidez. Eles estavam reunidos no cenáculo (At 2) e foram visitados pelo poder do Senhor com “línguas de fogo” sobre suas cabeças, e o Espírito Santo veio para habitar neles e capacitá-los para evangelizar.
O nosso caminho a percorrer hoje, como Igreja do Senhor Jesus, é o mesmo. Precisamos de ousadia e graça para falar de Jesus. Precisamos deste “fogo” que nos aquece e purifica. Precisamos da direção do Espírito Santo para falar com sabedoria aos nossos vizinhos.
O primeiro grupo a ouvir as “boas-novas” a respeito da salvação em Cristo foram as pessoas que estavam próximas ao cenáculo. Os que estavam ali, do lado de fora. E todos ouviam os discípulos de Jesus falando em suas próprias línguas sobre as grandezas de Deus. E ficaram maravilhados. E ouviram a mensagem de Pedro, sendo salvos e, em seguida, batizados.
 
Ganhando meu vizinho para Cristo
O coração transbordante da alegria do Senhor não consegue esconder a razão de sua paz. Há, dentro de cada crente verdadeiro, um desejo de ver o mundo todo salvo e liberto pelo poder de Jesus. Isto acontece também com você, não é verdade?
Estamos em contato com pessoas que ainda não conhecem a salvação em Cristo (1Co 5.9-11). Jesus orou ao Pai para que não fôssemos tirados do mundo, mas que pudéssemos influenciar sua transformação por meio do amor e da pregação da Palavra da verdade (Jo 17.15-18). Ele disse que nos enviava ao mundo assim como ele foi enviado pelo Pai (Jo 17.18).
Portanto, comece a evangelizar os que estão próximos a você (At 16.32). Comece com seus vizinhos. Quem sabe está na hora de abrir uma célula em sua casa (Cl 4.15)? Quem sabe você pode fazer um bolo ou levar uma pequena lembrança para a sua vizinha? Quem sabe você pode visitar o vizinho idoso da casa ao lado? Vejamos como Jesus agia na evangelização.

A estratégia de Jesus para ganhar a mulher samaritana

Jesus estava assentado à beira do poço de Jacó, esperando por seus discípulos, quando se aproximou dele uma mulher samaritana. Era a grande oportunidade da vida dela: ter um encontro com Jesus de Nazaré. E o Mestre começou o diálogo.
Para testemunhar aos seus vizinhos, primeiramente tire um tempo de oração por eles. Abençoe suas vidas e peça ao Senhor a estratégia, o momento certo e as palavras certas para alcançar os seus corações.
Jesus começou falando de uma necessidade da mulher: buscar água todos os dias para a sua casa (Jo 4.4-9). Depois ele começou a lhe falar da sua real necessidade: vida eterna e o conhecimento de Deus (Jo 4.10-26). E aquela mulher tornou-se uma missionária, contando imediatamente aos moradores de sua cidade o que Cristo lhe ensinara (Jo 4.27-30). O próprio Jesus estava tão feliz com o resultado do diálogo com a samaritana e com a sua mudança de vida, que ele nem pensava em “comer”, mas alegrava-se com mais uma vida transformada pela salvação.

Despertando o interesse (aprendendo a evangelizar)

Jesus começou dizendo: “Por favor, me dê um pouco de água”! E dali ele apresentou o plano de salvação. Você pode iniciar a apresentação do plano de salvação a partir de qualquer assunto, desde que desperte o interesse da pessoa. Por exemplo, a partir de uma notícia do jornal (seja de violência, de guerra, de catástrofes), daí você pode trazer a pessoa ao que a Bíblia diz e levá-la a Cristo.
Um irmão começou a evangelizar um “tatuador” perguntando-lhe se ele poderia fazer uma “tatuagem” no coração. Ele disse que não é possível, apenas na pele. Então o nosso irmão lhe mostrou uma tatuagem que todos precisam ter – a marca de propriedade do Senhor (o Espírito Santo habitando em nós). E aquele jovem veio a se converter.
Não devemos ser “chatos” e “insistentes” com as pessoas. Por isso é preciso orar, pedindo a direção do Espírito Santo. Deus é sábio e conhece os corações e suas necessidades.
O primeiro ponto de alcance dos corações é por meio do nosso próprio testemunho de vida. Como os nossos vizinhos nos vêem? Somos pessoas carinhosas, atenciosas com os outros? Você cumprimenta os seus vizinhos e ministra a paz e a bondade de Deus em suas vidas?
A mulher samaritana disse: “Senhor, vejo que és profeta.” O que nossos vizinhos podem ver em nós? Como temos tratado os nossos filhos e nosso cônjuge diante dos outros? É nas pequenas atitudes que se revela verdadeiramente quem somos. Nossos vizinhos desejarão ser como nós se a virtude cristã estiver realçada em nosso viver.

Promovendo oportunidades para os nossos vizinhos

Faça reuniões em sua casa (aniversário, bodas, culto de ação de graças etc.) e convide seus vizinhos. Compre livros, folhetos para dar. Dê de presente o boletim da igreja toda semana.

Algumas sugestões práticas na evangelização do seu vizinho

- Dependa do Espírito Santo.
- Nunca discuta.
- Não pregue religião, pregue o Evangelho (que transforma vidas).
- Não faça comparações com outros grupos evangélicos.
- Não brinque, mas não perca a naturalidade.
- Não se apresse.
- Memorize um modelo de “Plano de salvação”. Use a Palavra (de cor), mesmo que não esteja com ela no momento.
- Seja gentil.
- Demonstre real interesse.
- É melhor falar com pessoas de seu próprio nível intelectual e social.
- Exponha o Evangelho a uma pessoa de cada vez.
- Não condene nem critique.
- Confronte as desculpas que dão para não receberem a Cristo – (com sabedoria).
- Faça o apelo. A pessoa precisa se decidir por Cristo.
- Ore com o decidido.

Você pode usar “as quatro leis espirituais”, o livro sem palavras (5 versículos básicos para a salvação: Rm 3.23; Rm 6.26; Ef 2.8-9; 1Jo 1.7,9; Jo 1.12; Apelo – Ap 3.20.

Desafios para a semana
- Ore diariamente por seus vizinhos.
- Procure oportunidades para se relacionar com eles.
- Seja amigo deles. Tenha momentos de descontração e alegria com eles.
- Fale do amor de Cristo de forma cativante.
- Na célula, façam treinamentos de evangelização entre si.
   
::Por: Pra. Ângela Valadão

Fale comigo!
Fale comigo sobre o Estudo de Célula. Tel.: (31) 3421-2003, 8489-2535.