Nenhum Comentário

Maior é o que serve

[Foto: Comunicação Lagoinha]

[Foto: Comunicação Lagoinha]

Versículo: “Jesus os chamou e disse: ‘Vocês sabem que os governantes das nações as dominam, e as pessoas importantes exercem poder sobre elas. Não será assim entre vocês. Pelo contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo’” (Mt 20.25, 26).

Exposição do texto: Jesus faz uma inversão em um dos maiores problemas do ser humano: o poder. Ele cita o exemplo dos governantes que usam de seu poder para manipular e conduzir o povo como bem entendem. Porém, demonstra no reino de Deus que o poder e a autoridade advêm do serviço e não da posição ou do título.

Contexto: no livro “O senhor dos anéis”, o autor cristão J. R. R. Tolkien retrata bem a ideia por trás do poder. O “Um anel”, como é chamado esse anel do poder, corrompe qualquer alma que o segure, mesmo a mais pura como a do hobit Frodo. E por que a corrupção na raça humana pelo poder ocorre? Porque o homem sempre quis ser igual a Deus (Gn 3.5). E isso se reproduz desde o início até nossos dias e só se findará quando Jesus vier em glória removendo todo o pecado. Mas como então devemos nortear nossas relações dentro da igreja?

Primeiro: considerar os outros superiores. Quando consideramos os outros superiores, ou seja, nos colocamos de certa forma abaixo, estamos nos colocando em posição de servir. Obviamente, aqui não é aquele sentimento de autocomiseração, que é apenas um orgulho disfarçado. A ideia de Paulo é não levar em conta nosso status social e muito menos “posição” na igreja. Até porque a palavra “posição” nem deveria fazer parte do nosso vocabulário dentro da comunidade cristã. Quando trabalhamos em uma empresa, de certa forma, atendemos à ordem de um chefe por causa da hierarquia. Ou seja, em uma empresa, quando o chefe fala, você simplesmente obedece. Geralmente, não se questiona o chefe, e quando o fazemos, fatalmente ele vai se impor, impor sua autoridade.

Segundo: ser cheio do Espírito Santo. “Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo” (Ef 5.21). Paulo mais uma vez quebra com a hierarquia secular, em que a submissão é por causa da posição. Ele coloca que na igreja a submissão é mútua e, portanto, relativa. Ou seja, qualquer irmão pode exortar, estando dentro da Palavra de Deus, a outro, assim como ele mesmo fez com Pedro (Gl 2.11-14).

Conclusão: quando Jesus afirma que maior é o que serve, não é por uma questão de status e sim de expressão do próprio Cristo. Ou seja, quanto mais uma pessoa se parece e expressa Jesus em sua vida, mais ela cresce servindo.

Aplicação: uma característica de quem serve é estar atento a necessidade do próximo. Para facilitar, todos coloquem suas necessidades em um mesmo papel, fazendo uma espécie de mural em que todos possam ver. Então quem puder socorrer especificamente, entre em contato e auxilie seu irmão. O mínimo que podemos fazer é orar pelas causas de nossos irmãos e que isso se torne uma prática constante.

:: Bruno Arruda e Renata Arruda

Mais informações a respeito do estudo de células, ligue para o pastor Flavinho (31) 98793-7701.