Nenhum Comentário

Naamã

Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

Versículo bíblico: “Quando Eliseu, o homem de Deus, soube que o rei de Israel havia rasgado suas vestes, mandou-lhe esta mensagem: ‘Por que rasgaste tuas vestes? Envia o homem a mim, e ele saberá que há profeta em Israel’. Então, Naamã foi com seus cavalos e carros e parou à porta da casa de Eliseu”. (2 Reis 5.8,9)

Exposição do texto: guerreiro extremamente respeitado, famoso em sua nação e honrado pelo seu rei. Andava de cabeça erguida, exibia suas condecorações e se gabava de suas conquistas. Esse é um retrato de quem era Naamã. Ele era comandante do exército do rei da Síria e através dele várias guerras foram vencidas (2Rs 5.1). Este homem com tantas glórias para exibir era obrigado a se esconder em sua armadura, pois, mesmo sendo tão poderoso, carregava em seu corpo feridas e marcas de uma doença chamada lepra (conhecida nos dias atuais como hanseníase). Uma doença terrível que se manifestava através de feridas pelo corpo e atacava os nervos trazendo insensibilidade ao corpo. Devido a esta incapacidade de sentir dor, era comum que leprosos acabassem ferindo a si mesmos de forma gravíssima, chegando até mesmo à automutilação, por acidente. Principalmente para um guerreiro, a lepra era uma das mais terríveis doenças que poderiam lhe acometer. Através de uma escrava hebreia, chega aos ouvidos de Naamã uma notícia que lhe encheu o coração de esperança. A menina disse à esposa do guerreiro: “Se o meu senhor [Naamã] procurasse o profeta que está em Samaria, ele o curaria da lepra” (2Rs 5.3). O guerreiro Naamã vai ao seu senhor e lhe conta o que ouviu. Há esperança para a sua situação. Seu senhor o envia a Israel com uma carta ao rei e, nela, solicita a cura de Naamã. Ao ler a carta, o rei de Israel entra em estado de desespero. Ele interpreta o pedido do senhor de Naamã como uma solicitação impossível cujo propósito era criar uma desculpa para uma guerra. “Assim que o rei de Israel leu a carta, rasgou as vestes e disse: “Por acaso sou Deus, capaz de conceder vida ou morte? Por que este homem me envia alguém para que eu o cure da lepra? Vejam como ele procura um motivo para se desentender comigo!” (2Rs 5.7)”. O rei precisava dar uma resposta a esta carta, mas ele não consegue achar, pois para ele o impossível era o ponto final de uma história.

Discussão:

1- Você já esteve diante de uma situação como essa?

2- Como você lida com a impossibilidade?

Objetivo: Entender que em todas as circunstâncias precisamos agir pela fé, não pelo que vemos.

Contexto: em meio ao desespero do rei de Israel, entra em cena o profeta Eliseu. Ousadamente, o profeta responde: “Por que rasgaste tuas vestes? Envia o homem a mim, e ele saberá que há profeta em Israel” (2Rs 5.8). As palavras de Eliseu podem aparentar uma expressão de orgulho. Porém, esse homem de Deus age com ousadia divina. Ao analisar a história, é possível perceber que o propósito de Eliseu era exaltar a Deus e não a si mesmo. É possível chegar a essa conclusão, pois, em primeiro lugar, ele não está diretamente envolvido no processo da cura de Naamã, ele envia um mensageiro para dizer ao comandante sírio que mergulhasse sete vezes no rio Jordão e assim ficaria curado (2Rs 5.10). Além disso, não aceita nenhum tipo de recompensa das mãos de Naamã, que tentou presenteá-lo como forma de gratidão pela cura (2Rs 5.15,16). Se Eliseu aceitasse o presente, ele declararia ser o responsável pelo milagre. E quem curou Naamã foi Deus. Porque Eliseu foi ousado, Naamã, o comandante sírio, pôde reconhecer: “Agora sei que não há Deus em nenhum outro lugar, senão em Israel”. Um homem idólatra e orgulhoso foi quebrantado por Deus. Ele alcançou a cura que tanto desejava, mas também obteve o que realmente precisava: a cura da lepra do coração. A doença que afligia o corpo desse guerreiro era apenas uma manifestação do estado de seu coração. Ferido, mutilado, insensível e apodrecido era o interior de Naamã, mas, ao encontrar um homem de Deus, sua vida foi transformada. Ele converteu-se a Deus e passou a adorá-Lo e servi-Lo.

Conclusão: aprendemos com Eliseu que todo aquele que serve a Deus deve encarar os desafios como oportunidades para que o nome de Deus seja glorificado. A ousadia do profeta é um exemplo a ser seguido por todo cristão. Eliseu foi ousado, pois sabia que servia ao único e verdadeiro Deus. Essa ousadia parte do conhecimento e relacionamento com Deus. Eliseu viu na impossibilidade uma oportunidade para que o nome de Deus fosse exaltado. Como cristãos precisamos ter o mesmo coração que ele teve, pois recusou ser engrandecido ou recompensado. Eliseu sabia que era apenas um canal e não a causa. Que os “Naamãs” de nossos dias sejam atraídos à sua célula e lá recebam a cura e a salvação. Que, ao encontrar com você, os doentes possam encontrar o que procuram e, ainda mais, o que realmente precisam: salvação em Cristo Jesus.

Aplicação: cada participante da célula deve ousadamente orar por alguém que esteja enfermo, ministrando a cura e apresentando a salvação, e, na próxima semana, compartilhar os testemunhos.

Se você deseja mais informações a respeito do estudo de células, ligue para o pastor Flavinho (31) 98793-7701.

:: Pr. Leonardo Capochim