Nenhum Comentário

Nossa vocação é cumprir o “Ide”

Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

Sabemos que a nossa fé não é uma religião, mas um relacionamento com o Senhor, e está registrado na Bíblia que não há salvação em nenhum outro nome, a não ser o de Jesus. Antes de Cristo ascender aos céus, a ordem Dele foi apenas uma. Ele disse: “Toda autoridade me foi dada no céu e na terra, ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito santo”. E ainda nos deixou a promessa: “Eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. A vida só é vida quando vivemos conforme o Senhor nos disse para vivermos. E você que está no Seminário Carisma sabe que Deus o tem capacitado, ungido, com um propósito, que não é o de engordar doutrinariamente, mas o de “ir”.

A cada semana temos inserido na revista Atos Hoje dados sobre um país, e quase sempre há hasteada a bandeira dele em nosso estacionamento. Mas nosso propósito é colocar a bandeira de todos os países, para quando você passar e olhar para elas, Deus falar que você não está nesse seminário para, ao final do curso, ter apenas um diploma. Deus está te capacitando, preenchendo com Espírito Santo, com apenas um propósito. Dias atrás, no Afeganistão, em um atentado, um carro explodiu e 90 pessoas foram mortas. Isso é para mostrar que o mundo precisa conhecer o Deus que você serve. Quem está no Carisma, que é uma escola da Palavra e do Espírito, tem uma palavra, a de se dispor. São inúmeros alunos que se dispuseram, obedeceram ao Senhor e foram sem saber sequer um idioma, mas hoje falam inglês, albanês, árabe, espanhol, alemão… E quem os capacitou? Deus. Passaram por tantos lugares e deixaram tantas marcas. O Senhor nunca nos pede para fazermos algo sem nos capacitar.

O apóstolo Paulo dizia ser um devedor, que tinha uma dívida a ser paga. Em nosso país é costume as pessoas dizerem: “Devo, não nego, pago quando puder”. Mas para nós cristãos é diferente. Assim como Paulo, temos uma dívida e temos que pagá-la, não quando pudermos. Na Bíblia encontramos a história de uma mulher endividada, que ficara viúva, esposa de um dos discípulos dos profetas em Israel. O “reitor” da “Escola dos Profetas”, ou do “seminário teológico daquela época”, era Eliseu, o sucessor de Elias. Ele era o responsável pelo que os jovens vocacionados aprendiam e colocavam em prática. Então, essa mulher ficou viúva e sem nenhuma herança deixada pelo marido, apenas dívidas, e correndo o risco de ficar sem os filhos, pois seriam levados pelo credor para pagar as dívidas da família, como era costume na época.

Eliseu, vendo sua aflição, lhe perguntou como poderia ajudá-la e o que ela tinha em casa. Ela respondeu que não tinha nada, a não ser uma botija de azeite. O profeta disse-lhe para sair e arrumar o maior número de vasilhas possível, para enchê-las de azeite. A casa se encheu de vasilhas, a porta foi fechada. Quem sabe uma oração subiu aos céus naquela hora? Quem sabe ela tenha dado a mão aos filhos e, juntos, pediram e já agradeceram pelo milagre de Deus? Lembre-se do que Jesus nos ensina: “Quando orares, vai para teu quarto e, após ter fechado a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”. Ela obedeceu, e todas as vasilhas foram completamente cheias. Depois foi ao profeta para saber qual seria o próximo passo a ser dado. “Disse ele: vai, vende o azeite, e paga a tua dívida; e tu e teus filhos vivei do resto”. Que alegria para ela e para os filhos. O azeite era um produto caro, e os recursos advindos da sua venda dariam para pagar a dívida.

Caminhamos por fé e não por vista. Por vista era impossível ter tanto azeito por meio de um pouquinho para pagar uma dívida grande. E você pode também achar ser impossível “pagar a sua dívida” para com o Senhor. Deus opera os seus milagres em nossas vidas, mas não dispensa o nosso trabalho, a nossa obediência e humildade diante dos problemas da vida. O grito de Deus em sua palavra é: “Como ouvirão se não há quem pregue, e como pregarão se não forem enviados”. Não temos uma segunda chance de voltar a essa terra, passamos por aqui apenas uma única vez. Quando olhamos a vida do apóstolo Paulo, vemos que o coração dele derretia de amor e paixão. Ele dizia assim, “ai de mim se não pregar o evangelho”. É muito gostoso ficar na nossa zona de conforto, mas não há coisa melhor do que viver no centro da vontade de Deus. Deixe o seu coração transbordar de amor e paixão pelo ide do Senhor.

Deus abençoe!

:: Pr. Márcio Valadão