Nenhum Comentário

O Deus de toda graça

Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

Se existe uma palavra que deve fazer parte do nosso vocabulário dia a dia é “graça”. Para mim, essa é a palavra mais gloriosa da Bíblia. Graça é, basicamente, tudo aquilo que precisamos e recebemos da parte do Senhor, mas não merecemos.

Jesus irradiava essa graça antes mesmo de iniciar Seu ministério. Em Lucas capítulo 2, por ocasião de Sua apresentação e consagração no templo, lemos o seguinte a respeito Dele: “Crescia o menino e Se fortalecia, enchendo-Se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre Ele. A graça estava dia a dia na vida de Jesus. E essa graça não tinha e não tem nada a ver com a religiosidade”. Se você não entender e não viver essa realidade da graça divina, corre o risco de viver uma vida de religião, que nada tem a ver com a vida em Jesus. A nossa fé não é uma religião, mas um relacionamento com o Senhor. E, à medida que seus olhos forem abertos para perceber a altura, a profundidade, a largura, a extensão da graça de Deus, mais perto estará de Jesus e mais desfrutará de seu relacionamento com Ele.

Dentro dessa realidade da graça, então, eu digo que nossa fé nunca é uma troca com Deus, porque não há nada que possamos fazer para que Ele se sinta na obrigação de fazer algo conosco ou por nós. Ele é o Criador, e tudo que recebemos é porque Ele é o Deus de toda a graça. E, como eu disse, graça é tudo de que precisamos, mas não merecemos. Você nunca é merecedor da graça, pois ela é dada pelo Senhor. Ou seja, nossa fé, nosso relacionamento com o Senhor não é um relacionamento de religião. A religião diz: “Você tem que fazer isso, se não…”. Não há nada em nós para agradar ao Senhor. Somos miseráveis pecadores.

Agora, o que acontece? Deus nos deu a Sua graça, e Ele nos dá aquilo que precisamos, que necessitamos, que não podemos viver sem, apenas porque nos ama. Deus nos amou. Isso é graça, e não merecimento. E essa graça se manifestou na pessoa do Seu Filho, Jesus, que Se entregou por toda a humanidade na cruz. Só mesmo a graça para justificar tal ato. Porque, por nós mesmos, nada temos que justifique uma entrega assim, até à morte, pela pessoa de Jesus.

A graça não tem nada a ver com o que fazemos, mas com o que Deus fez em nós e por nós na pessoa de Seu Filho, Jesus. Nunca receberemos da parte do Senhor algo por mérito, por merecimento. E só mesmo quem tem confiança nessa graça, nessa justiça divina, para se aproximar do trono da graça. Como disse, não é coragem. É confiança. Vivamos essa graça e dessa graça. Mas, acima de tudo, vivamos para o Deus de toda graça.

Minha oração é para que o Senhor inunde seu coração com a Sua presença e que cada dia seja transformado por essa graça. Que dia após dia você conheça mais e mais sobre esse Deus de toda graça, para que a sua vida seja transformada para sempre.

Deus abençoe!

:: Pr. Márcio Valadão