Nenhum Comentário

O exemplo de Cristo, que ofereceu tudo

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Referência bíblica: “Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas” (Hebreus 10.10).

Exposição do texto: o autor de Hebreus não é conhecido, porém temos algumas informações a seu respeito. Ele era um profundo conhecedor do Antigo Testamento, pastor preocupado com a congregação de judeus, que havia se convertido ao cristianismo, e sofria fortes perseguições. O autor usa muito a cosmovisão veterotestamentária, enfatizando que a Antiga Aliança era sombra do que havia de vir (Hebreus 10.1), e que tudo que foi dito, se cumpriria na vinda de Jesus, principalmente, o fator expiação sacrificial, muito bem discriminado em Levítico 16.

Discussão

1) O que significa o termo santificados?

2) Como o corpo de Cristo nos santifica?

3) O que entendemos como “uma vez por todas”?

Objetivo: entender o quanto é importante esta oferta (o corpo de Cristo), e absorvermos a sua grande seriedade.

Contexto: a passagem de Hebreus nos traz as lições abaixo.

Lição 1: o termo santificado significa separado ou consagrado, e nesse contexto temos como principal, a nossa posição, que uma vez por todas sofre alteração, nos ligando a Cristo pela fé. E qual o efeito disso? O autor sucintamente inclui todos os crentes ao dizer: “Nessa vontade é que temos sido santificados”. A salvação não se origina no homem, mas em Deus. Por sua vontade somos separados do mundo e chamados a santidade. A implicação é que éramos alienados de Deus e vivíamos no mundo do pecado. Por causa da vontade de Deus, isto mudou: “Nós somos feitos santos”. O verbo no grego indica que num dado momento, alguém (Jesus) agiu em nosso favor para nos santificar.

Lição 2: o propósito da ênfase no “sacrifício do corpo de Jesus” é demonstrar a realidade de sua morte física. É também um reflexo das palavras usadas na citação do Salmo 40.6, “antes um corpo me formaste”. O sacrifício do corpo de Cristo é a contraparte dos sacrifícios de animais de Levítico. A diferença entre o sacrifício de Cristo e os de animais é profunda. O sacrifício de Cristo foi único, os sacrifícios de animais eram inúmeros. Também Cristo apresentou seu corpo voluntariamente, diferente dos animais que eram levados à força. A obediência de Cristo à vontade do Pai efetivou nossa libertação do poder do pecado e nos conformou a uma vida dedicada ao serviço de Deus. Assim temos que refletir a santidade de Deus e a perfeição quando respondemos à exortação de Cristo.

Lição 3: Cristo tinha que sacrificar seu corpo de uma vez por todas. Ele cumpriu as exigências da primeira Aliança e encerrou a primeira fase de seu sacerdócio aarônico. Cristo estabeleceu a segunda Aliança quando veio fazer a vontade do Pai. Então, Ele também estabeleceu a segunda fase de seu sacerdócio, a de Melquisedeque (vide lição Melquisedeque). O sacerdócio aarônico tipifica a obediência passiva de Cristo; e o sacerdócio de Melquisedeque, a obediência ativa de Cristo.

Conclusão: os inúmeros sacrifícios diários de amimais, e principalmente no Dia da Expiação (Ion Kypur), de Levítico 16, jamais poderiam ser suficientes para a perfeita remoção dos pecados. Somente um sacerdote superior, sem pecado, perfeito, poderia dar sua vida em sacrifício de muitos. Jesus nosso sumo sacerdote, fez mais perfeito sacrifício, rasgando toda cédula que nos era contrária, aniquilando todas na cruz e derramando seu precioso sangue que nos purificou de todo pecado. Jesus foi como ovelha muda ao matadouro e tomou sobre si todas as nossas iniquidades, pagando tão alto preço e preço de cruz.

Aplicação: durante a semana dedique um tempo para estudar o capítulo 16 de Levítico e faça uma comparação com a morte de Cristo na cruz. Faça uma observação mais apurada e veja o motivo de Jesus dizer: “Não vim destruir a lei e os profetas: não vim revogar, vim para cumprir”.

:: Pr. Thales Violante

Para mais informações a respeito do estudo de células, ligue para o pastor Flavinho (31) 98793-7701.