Nenhum Comentário

Paulo: exemplo de servo no Novo Testamento

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Referência bíblica: “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus” (Rm 1.1).

Exposição do texto: um dos principais títulos que recebemos por ocasião da conversão é o de servos. Gostamos muito da palavra ministério, que na nossa cultura parece algo grandioso, mas o seu significado é muito simples: serviço. Na prática há muitos trabalhadores, mas poucos servos, pois servir é trabalhar em benefício de outros e não para si mesmo. Estamos aqui para servir e não para sermos servidos (Mc10.45), ainda que isso possa, eventualmente, acontecer.

Discussão

1 – O cristão está na igreja como servo ou cliente?

2- Quem faz apenas o que lhe traz vantagem, prazer e outros ganhos, é um servo?

Objetivo: incentivar os irmãos no sentido de se colocarem à disposição para servir na obra do Senhor.

Contexto: se estamos na igreja para servir, não nos compete determinar o que Deus há de fazer nem podemos oprimir os outros que, como nós, servem ao Senhor (Mt 18.28). Paulo escreveu: “Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus” (1Co 4.1). Ministro é aquele que serve o alimento. Despenseiro é o servo que cuida da despensa. Conquanto saibamos que a liderança é importante, precisamos ter a consciência de que o líder não deixa de ser um servo. Os mordomos citados na Bíblia são bons exemplos disso.

1 – A obra de Paulo: além do termo “servo”, ele utilizou também outras palavras que nos permitem vislumbrar suas responsabilidades e sua obra. Ele era pregador, apóstolo e mestre (2Tm 2.7). Esses vocábulos, longe de serem meros títulos, demonstram a especificidade do serviço de Paulo, de acordo com os dons que Deus lhe deu. Hoje nós o consideramos também escritor, mas à sua época, ele estava “apenas” se correspondendo com os irmãos.

2 – Resultado: o serviço não é um fim em si mesmo. Paulo sempre se preocupou com os frutos do seu trabalho. Ele não queria ser como alguém que “esmurra o ar” ou “corre em vão” (1Co 9.26; Gl 2.2; Gl 4.11; Fp 2.16). Capacitado pelo conhecimento e poder do Espírito Santo, Paulo obteve resultados extraordinários, começando pelas igrejas fundadas, os líderes formados e suas cartas que se tornaram parte da Bíblia.

3 – Salário: qual era o ganho de Paulo em seu ministério? Ele mesmo ensinou que “o obreiro é digno do seu salário” (1Tm 5.18). Paulo recebeu pagamento de algumas igrejas, mas abriu mão dessa prerrogativa outras vezes, para “não ser pesado aos irmãos” (2Co 11.8; 12.14,16; 2Ts 3.8). É legítimo que o ministro seja remunerado, sempre que possível, mas não se pode colocar o ganho financeiro como propósito da obra de Deus ou condição para sua realização.

4 – Servindo com alegria: apesar de todas as dificuldades, Paulo foi exemplo de alguém que servia ao Senhor com prazer. Sua carta aos Filipenses, por exemplo, foi escrita enquanto o apóstolo estava preso. Contudo, não existe nela uma só palavra de reclamação, mas de gratidão e alegria.

5 – Seu sofrimento: um dos efeitos do ministério de Paulo foi a cruel perseguição que lhe sobreveio, resultando finalmente na sua morte por decapitação. Será que valeu a pena todo o seu trabalho? Sabemos que sim, mas isso só faz sentido quando se tem em mente a recompensa eterna.

Conclusão: precisamos servir de acordo com o dom, a capacidade, que o Senhor deu a cada um. Seremos recompensados, mas não necessariamente nesta vida. Não devemos esperar recompensa humana, pois somos servos de Deus.

Aplicação: como podemos servir a Deus? O que podemos fazer para Ele? Só podemos servi-Lo servindo ao próximo. Se o próprio Cristo desceu da sua glória e assumiu a posição de servos (Fp 2.7), quanto mais nós. Na qualidade de servos, precisamos ser preparados, capacitados e partir para a ação, do modo mais específico possível, com foco, propósito e determinação. Assim veremos, se o Senhor permitir, o fruto do nosso trabalho para a glória do Pai.

:: Pr. Anísio Renato

Outras informações a respeito do estudo de células, ligue para o pastor Flavinho (31) 98793-7701.