Todas as pessoas desejam os milagres de Deus, mas nem todas têm fé para recebê-lo. Para isso é preciso ir além do apenas esperar. O pastor André Valadão creu e agiu. Na noite do dia 26 de março, ele gravou o seu segundo CD – intitulado “Milagres”. Foi uma noite inesquecível para todos os presentes.

Assim como no ano passado, o CD foi gravado no Ginásio Mineirinho durante a realização do VI Congresso Internacional de Louvor e Adoração Diante do Trono que contou com a participação do ministro de louvor americano Kent Henry, do pastor Adhemar de Campos, do casal Christie e Nelson Tristão (ministério “Asas da Adoração”), da missionária americana Marti Duke (ministério “Uma chamada para as nações”), do cantor evangélico Chris Duran que testemunhou sobre sua conversão e de Nívea Soares, que lançou o seu mais novo trabalho “Enche-me de Ti”.

A gravação: as expectativas não foram frustradas

Os portões do Ginásio Mineirinho foram abertos por volta das 17h. As 18h30 o coral começou a se organizar nas arquibancadas; em seguida, o pastor Márcio Valadão – presidente da Igreja Batista da Lagoinha – deu início ao culto. Após uma oração, o pastor Márcio informou ao público as regras essenciais para o bom andamento da gravação. As 19h, o pastor chamou ao palco o narrador Cornélio Augusto, do Ministério Bíblia Falada, para citar um texto da Palavra de Deus. Cornélio citou a Epístola de Paulo aos Filipenses, capítulo 1.

Antes da gravação a pastora Ezenete Rodrigues (líder da Intercessão da Igreja Batista da Lagoinha e do Ministério de Louvor Diante do Trono) e Helena Tannure (vocalista Diante do Trono) intercederam pela gravação. Nívea Soares ainda ministrou algumas canções do seu novo CD “Enche-me de Ti”.

Ana Paula Valadão Bessa profetizou sobre o público: “Prepare-se, porque nesta noite haverá uma liberação do sobrenatural de Deus sobre a sua vida, sobre o seu ministério. Aleluia!” Em seguida ela ministrou a canção “Amigo Fiel”, do CD “Exaltado” (Diante do Trono 2).

A expectativa do público era grande para que a gravação logo começasse. Porém, devido a vários problemas técnicos a gravação começou com atraso – as 20h45. Isso fez com que Ana Paula pedisse ao público que não cessasse de orar e guerrear contra tudo o que estava impedindo o início da gravação.

O atraso não foi empecilho para o mover de Deus. Ao contrário, isso fez com o pastor André subisse ao palco dando brados de vitória ao Senhor Jesus! Sua vibração, sua alegria e os pulos que dava no palco contagiaram de vez o público do Mineirinho. “É muita unção”, diziam alguns. Podia-se ver pessoas chorando, se derramando na presença de Deus. Foi surpreendente.

O Ginásio do Mineirinho ficou lotado. Segundo a Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais – ADEMG – mais de 23 mil pessoas estiveram presentes no dia da gravação.

Inovação

Inovação – essa palavra define a gravação do 2º CD do pastor André Valadão que surpreendeu a todos na noite de sábado. Aliás, essa palavra sempre foi uma marca na vida do pastor André que é conhecido e até mesmo questionado por ser bastante original, inclusive pelo seu modo de se vestir. Não é sem motivo que este ano André inovou no figurino. Ele se apresentou em uma versão mais informal, de jeans e camiseta.

Os efeitos de luz e laser e um vídeo de abertura fizeram o público vibrar. Mas não foi só isso. O pastor André também inovou nos estilos das músicas. Um estilo mais “pop” – pode-se assim dizer. A esse respeito ele diz: “Tenho aprendido muito musicalmente e ministerialmente. A tendência dos CDs e das ministrações é de serem mais atuais, um “profético moderno”, se posso assim dizer. A mesma mensagem profética, porém na linguagem de hoje. Eu creio que isso deva acontecer tanto nas ministrações como nas canções”, ressalta.

Assim como na gravação do CD “Mais que abundante”, André contou com o reforço da orquestra e o back-in-vocal do Diante do Trono. Ele contou também com a participação de instrumentistas de outros ministérios. No entanto, na maior parte da gravação André ministrou sozinho com o auxílio do teclado. “Gosto de ministrar assim como acontece quando estou a sós com Deus”, conta o pastor.

As letras das canções surpreenderam pela profundidade das mensagens transmitidas. Em especial a letra da canção que dá título ao CD – “Milagres”. Uma letra profunda com uma mensagem repleta de unção.

O pastor André não esqueceu de destacar a importância da família durante a gravação. Ele chamou a sua esposa ao palco – Cassiane Valadão que este ano não fez parte do back-in-vocal. Segundo o pastor, Cassiane teve a direção de Deus de não cantar, mas de o assessorar antes, durante e depois da gravação. André pediu que todos os casais casados se abraçassem e orassem pela restauração familiar. Logo depois ele disse: “Sem constrangimento algum, abrace e dê um beijo carinho em seu cônjuge”, disse o pastor que em seguida abraçou a sua esposa.

Ao final da gravação o pastor André fez vários agradecimentos em especial à sua irmã, Ana Paula Valadão Bessa. Chorando ele a abraçou e disse-lhe que a amava muito. A respeito da gravação Ana Paula comentou: “Foi impactante do começo ao fim. O pastor André estava tão livre no Espírito e todos nós seguimos com essa mesma liberdade. Foi maravilhoso!”

“Cenário vivo”

O coral – regido por Robson Lopes, líder do coral Kerigma e El Shamah da Igreja Batista da Lagoinha – precisou de um espaço maior para se acomodar na arquibancada, pois ele recebeu força extra com a chegada de muitas pessoas que se inscreveram com o objetivo de se juntarem à preciosa voz do coral. Cerca de 4 mil coristas – compostos por famílias inteiras, por pessoas de várias idades (de crianças a idosos) e de denominações diversas – contagiaram o Ginásio do Mineirinho com coreografias criativas montadas por Giovanna de Santana Murta – integrante do coral Kerigma e El Shamah – deixando o público atento e maravilhado devido ao sincronismo das coreografias.

O coral foi um “cenário vivo” para a impressão do show de laser na abertura da gravação (momento pelo qual o público vibrou muito devido aos efeitos visuais de luzes e laser).

O figurino dos coristas – calça preta e camiseta cor creme com a palavra “milagres” estampada na frente – possibilitou uma melhor visualização do coral.

Um dos momentos marcantes foi quando os coristas estenderam uma enorme bandeira do Brasil (14 X 20). O público foi impactado. E a pedido do pastor André, ergueram as mãos em direção à bandeira profetizando milagres sobre a nação brasileira.

Maria Solange Machado de Faria, secretária do Ministério da Fé – cujo líder é o pastor André Valadão, foi uma das integrantes do coral. Ela fala da emoção ao estender a bandeira do Brasil. “Ao ajudar estender a bandeira, foi como se eu estivesse pegando o meu País com as próprias mãos e falando de Jesus para todos”, enfatiza.

Eles deram um show

As rugas e os cabelos brancos dos “velhinhos” deram um charme a mais à gravação. O pastor André tem um carinho especial pelos idosos, tanto que os chama carinhosamente de “vovôs(ós)”. Pelo segundo ano consecutivo idosos de até 70 anos, reforçaram o coral. As mais de 3 horas de gravação não tiraram o brilho do rosto de cada um e a alegria de se sentirem importantes no Reino. Eles deram um verdadeiro “show” de força e vitalidade. Como é o caso de Maria Natividade Michetti, de 56 anos, que pela segunda vez participou do coral da gravação do pastor André. “Pela misericórdia de Deus é a segunda vez que participo. Devido as escadarias do Mineirinho eu fiquei com as pernas um pouco doloridas. Mas quando o pastor André começou a gravação, não senti mais nenhuma dor, ao contrário, me senti avivada, restaurada pelo poder do nome de Jesus! Então eu cantei, pulei e dancei na presença de Deus. Me senti com 20 anos…”.

Marta Amélia, coordenadora do Ministério da Fé, foi uma das responsáveis pelas inscrições do coral para a gravação. Ela fala do contentamento que tomava conta dos idosos no momento das inscrições: “Foi lindo ver as ‘vovós’ e os ‘vovôs’ fazendo suas inscrições com tanta alegria. Pude ver no rostinho de cada um a expectativa de abençoar vidas e receber o milagre de Deus. As crianças vêem o pastor André como um espelho. Os jovens como um impulso para a vida deles e os queridos velhinhos vêem o André como um filho”, ressalta.

Ainda sobre as inscrições Marta conta como foi feito o trabalho: “Foram momentos de muita confraternização com cada pessoa que se inscreveu. Trabalhamos na semana da gravação todos os dias das 7h da manhã às 2h da madrugada. Mas não nos importamos com isso, pois tudo foi feito com muito amor no coração. Nós também recebemos o nosso milagre. Deus nos mostrou que como Igreja podemos ser unidos. Por meio do coral, ganhamos novos amigos e irmãos em Cristo. Foi lindo ver o fruto do nosso trabalho quando chegamos ao Mineirinho. Confesso que chorei muito, fiquei emocionada ao ver que todas aquelas pessoas estavam ali com um único objetivo: o de adorar e louvar ao nosso Deus”.

A hora e a vez dos pequeninos

Este ano o coral inovou com a participação muito especial de crianças a partir dos seis anos. Podia-se ver no rostinho de cada uma delas a alegria e a expectativa de fazer parte de algo novo – como o coral. Rodrigo Carlos Santos Lima, de 8 anos, foi uma dessas crianças. Com simplicidade e toda a doçura própria da sua idade, Rodrigo contou uma de suas maiores “aventuras”: ter feito parte de um coro de quase 4 mil vozes. Como gente grande ele enchia o peito e cantava com toda força. Ele conta o que sentiu no dia gravação: “Deu um friozinho na minha barriga na hora que eu vi aquele tanto de gente. E lá, eu senti muito a presença de Deus, sabe. Deus falou comigo que ele tinha muitos milagres para me dar. Olha só, desde que eu nasci eu não respirava pelo nariz. Só que no sábado Jesus me curou”, disse sorrindo. Rodrigo confirmou sua presença para uma próxima gravação: “Se tiver outra gravação, quero ir de novo”. Desde que nasceu, Rodrigo já passou por várias cirurgias devido ao desvio séptico nasal e a adenóide. Por não conseguir respirar pelo nariz, seu desenvolvimento como criança foi prejudicado. Desde a gravação Rodrigo está respirando pelo nariz.

“Somos um milagre”

Essa frase foi formada por letras de isopor erguidas por grupo de pessoas que estava na quadra do Ginásio Mineirinho após o término da gravação. Ela é expressa uma grande verdade porque a vida é um grande milagre de Deus. Durante a gravação, o pastor André repetiu por várias vezes: “Nós somos agentes de milagres”. Sim, cada pessoa é a prova viva do que Deus pode fazer e este CD é um canal usado por Deus para a realização dos milagres em cada vida.

“Para mim foi surpreendente ver a reação e a unidade do povo de Deus durante toda a gravação. Percebi ali, um alto nível de fé e manifestação da presença de Deus por causa do envolvimento de todos nas ministrações”.
(Pastor André Valadão em entrevista ao Lagoinha.com após a gravação de sábado – dia 26 de março de 2005, Ginásio Mineirinho, em Belo Horizonte.)

:: Por Ana Paula Costa