Nenhum Comentário

Um chamado a ação social Amós – Parte 1

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Referência bíblica: “Ouvi esta palavra vós, vacas de Basã, que estais no monte de Samaria, que oprimis aos pobres, que esmagais os necessitados, que dizeis a vossos senhores: Dai cá, e bebamos. Jurou o Senhor Deus, pela sua santidade, que dias estão para vir sobre vós, em que vos levarão com ganchos e a vossos descendentes com anzóis de pesca. E saireis pelas brechas, uma após outra, e sereis lançadas para Hermom, disse o Senhor” (Amós 4.1-3)

Exposição do texto: em meados do século oitavo A.C, talvez cerca de 760, Amós foi chamado por Deus para deixar o reino do sul (Judá) e viajar para o norte, para os centros do reino de Israel, onde haveria de condenar o povo por sua injustiça social, corrupção e falta de fé, e preveni-los da destruição iminente. Amós era de Tecoa, uma vila aproximadamente 15km ao sul de Jerusalém. Era pastor boiadeiro e colhedor de figos. Apesar de ser um homem do campo, Amós sabia muito sobre história internacional. Conhecia a lei de Deus e a história da aliança. Ele não havia estudado para ser profeta (7.14), mas Deus o chamou para esse ofício. Falou primeiramente para o reino do norte, mas também se dirigiu aos pecados de Judá.

Discussão

Como tem sido nosso culto ao Senhor?
Como anda nossa ação social?
Estamos refletindo em nossas vidas o culto racional e sem corrupção?

Objetivo: avaliar nosso culto ao Senhor, uma autoanalise de como está nossa situação em relação ao cultual e social.

Contexto: Amós com sua mensagem exortativa nos traz algumas lições sobre como anda nossa vida cultual.

Lição 1: vacas de Basã, uma descrição das mulheres ricas de Samaria, que foram mimadas como o gado de primeira qualidade de Basã, uma área fértil a oeste do Jordão. Amós teve muita coragem em comparar essas mulheres com vacas de Basã. Pois elas corroeram os valores morais, viviam luxuosamente, tinham uma vida hedonista, em que o culto ao corpo era primordial. Havia grandes gastos e muita inversão de valores, tudo financiado pelas classes menos favorecidas. A inversão de valores era muito gritante.

Lição 2: a ironia desse livro, que tem a intensão de mostrar que, quanto mais os israelitas visitavam seus santuários, mais se afastavam de Deus. Podemos visitar a igreja semanalmente, porém, se não cultuamos Deus corretamente, estamos somente alimentando a religiosidade. O culto a Deus não se limita a uma reunião, mas 24h do seu dia, 365 dias do seu ano. O seu culto envolve, principalmente, suas práticas extra-igreja, seu trabalho, suas motivações, ninguém melhor do que você para avaliar em que está o seu coração.

Lição 3: culto racional não é um culto sem emoção, e sim um culto que cumpre os mandamentos de Deus. E como podemos nos prevenir de sermos como o povo de Samaria, em que Amós exorta severamente. Podemos nos fazer algumas perguntas: “Tenho gasto meu tempo de lazer com algo que edifique a Deus? Existe ação social em minha vida cristã? Como tenho usado meu dinheiro? Sou um bom exemplo no meu trabalho?” Lembre-se, quando você é um cristão, se torna uma pessoa pública, pois será sempre observado e avaliado por alguém.

Conclusão: são palavras duras as de Amós, porém servem para nos exortar e fazermos uma avaliação de como anda nossa vida cultual. Vivemos num mundo hedonista, vemos que nem a igreja está livre de tais atributos. Temos que nos esforçar para sermos aprovados por Deus em nossa caminhada cristã.

Aplicação: nesta semana dedique-se ao estudo do livro de Amós, para ver o seu contexto por inteiro. Procure um comentário ou mesmo uma Bíblia de estudos. Tem vídeos no youtube expondo o livro, como, por exemplo, os vídeos do pastor Hernandes Dias Lopes. Você será surpreendido com tanta atualidade do livro. Lembre-se, Amós era um homem do campo e sua linguagem remete à vida rural.

:: Thales Violante

Mais informações a respeito do estudo de células, ligue para o pastor Flavinho (31) 98793-7701.