1 Comentário

Valor eterno

Valor eterno
Reconheça que o valor eterno não está no dinheiro

Algumas pessoas acreditam na frase popular que diz que o dinheiro traz felicidade. Creem que se tivessem condições financeiras para suprir as necessidades, as faltas que têm, tudo seria diferente, a vida seria melhor, teriam paz. Mas isso é uma grande ilusão, um engano tremendo. A verdadeira alegria e a verdadeira paz só podem ser encontradas em Jesus Cristo, não há dinheiro algum que possa comprá-las.

Já outros possuem riquezas, podem comprar tudo o que querem e, por isso, fizeram do dinheiro um deus em suas vidas. Contudo, o dinheiro jamais os salvará da morte eterna, porque a salvação não pode ser comprada com uma moeda de ouro ou prata. Ela custou, sim, um alto preço, o sangue de Jesus Cristo derramado na cruz do Calvário. O dinheiro é sim bênção. Com ele você pode ajudar muitas pessoas, doar àqueles que necessitam. Mas o amor ao dinheiro faz com que a pessoa se torne gananciosa, insaciável, egoísta. Por falta de sabedoria muitos matam, roubam e morrem por causa dele. E tudo isso pode acontecer quando o dinheiro é colocado no lugar de Jesus, o único que deve ser adorado.

Paz. É por ela que o mundo está clamando. Desde os primórdios, ela é essencial. Foi num período de paz que Jesus nasceu, o mundo foi preparado para a vinda de Cristo, Ele veio na plenitude dos tempos. A mensagem que Jesus trazia não era religiosa, pois a religião é um esforço do homem para se religar a Deus. É a batalha humana para alcançar paz com Deus, mas todo esse nosso esforço religioso redunda em nada, em fracasso. Não foi o homem quem fez a escada para chegar a Deus, mas ao contrário, foi Deus quem veio ao homem. É Deus deixando toda a sua glória para vir até nós exatamente para nos redimir, para nos salvar e lavar. Não há palavras para descrever o amor do Pai. Jesus não se parece com Deus, Ele é Deus, como está escrito “[…] Quem me vê a mim vê o Pai.” (Jo 14.9) Essa verdade nos dá a certeza que muitos ainda não têm, a de que Jesus não passou a existir após o denominado Natal. Ele não existiu apenas há 2.000 anos. Jesus Cristo sempre existiu, pois Ele é Deus. Para a maioria, o Natal representa apenas presentes, dar e recebê-los, mas o verdadeiro presente foi Deus quem nos deu, Jesus Cristo. Ele enviou seu Filho Amado, em quem se compraz.

Encontramos todas as verdades nas Santas Escrituras, e uma delas é que “[…] há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens” (ITm 2.5). Logo, não existe outro mediador, por isso, precisamos escolher Jesus. Essa é a escolha mais acertada da vida de uma pessoa. O amor de Deus para conosco é igual, mas o modo como cada um responde ao amor de Deus é diferente.