Nenhum Comentário

Entrevista com Pentacampeão Edimílson

Lagoinha.com: Conte um pouco sobre sua vida antes de ser jogador.

EDMILSON: Meu pai trabalhava transportando laranjas na roça. Quando meu irmão foi para o exército, tive que ficar no lugar dele. Eu trabalhava contando e carregando as caixas de laranjas.

Lagoinha.com: Qual foi a principal dificuldade que enfrentou para se tornar um jogador profissional?

EDMILSON: Eu fui para o XV de Jaú em 1991; o time estava bem, mas depois foi rebaixado, e as coisas complicaram para mim. Eu não ganhava nada, pensei em desistir, mas através do incentivo de meus pais e de meu irmão continuei. Daí as coisas começaram a acontecer tão rápido que, quando eu abri os olhos, já estava jogando no profissional do São Paulo.

Lagoinha.com: Como foi que você entrou para o time de Cristo?

EDMILSON: Em Jaú existia um grupo de Atletas de Cristo que se reunia na arquibancada do estádio e acabei participando de uma dessas reuniões. Embora eu já tivesse algum conhecimento da Palavra por freqüentar a igreja católica, comecei a andar com um amigo chamado Edson, que me ensinava sobre Jesus e me explicou que Deus queria um relacionamento pessoal comigo e não só aquela coisa de "conhecer a Deus de ouvir falar". Foi através dele que me converti.

Lagoinha.com: Qual foi o principal momento de sua carreira nos clubes em que jogou?
 

EDMILSON: Foi minha estréia no time profissional do São Paulo.

Lagoinha.com: E na carreira?
 

EDMILSON: Conquistar a Copa do Mundo e fazer aquele gol, contra a Costa Rica.

Lagoinha.com: Como foi sua expectativa antes da convocação para a Copa?
 

EDMILSON: Fiquei bem ansioso, mas confiante em Deus, sabendo que Ele tinha um propósito de me levar para uma Copa do Mundo para que eu pudesse honra-Lo.

Lagoinha.com: Qual foi a primeira reação ao ser convocado?
 

EDMILSON :Eu chorei bastante porque era a realização de um sonho.

Lagoinha.com: Como foram os dias de preparação para a Copa?
 

EDMILSON: Foram dias de ansiedade para todos do grupo. A preparação em si foi muito boa, fizemos as reuniões com o Alex, e eu tinha certeza de que Deus seria glorificado.

Lagoinha.com: O que se passa na cabeça de um atleta que está prestes a disputar uma Copa do Mundo?
 

EDMILSON: É uma responsabilidade muito grande, pois se trata de uma seleção brasileira, e sabíamos que haveria uma pressão muito grande, mas estávamos confiantes pois sabíamos que o grupo iria crescer no dia à dia.

Lagoinha.com: Fale sobre as reuniões entre você, o Lúcio e o Kaká, com o Alex e o Pr. Anselmo.
 

EDMILSON: Elas aconteciam praticamente às vésperas dos jogos. Foi excelente, aprendemos muitas coisas nessas reuniões. Elas nos ajudaram bastante. Mesmo se não tivéssemos sido campeões eu diria isso, pois foi muito bom mesmo. Eu gostei bastante.

Lagoinha.com: Fale sobre um dos assuntos que achou importante nessas reuniões.
 

EDMILSON: Todos momentos foram importantes, mas em especial, quando estudamos sobre Davi e aprendemos que Deus não trabalha com favoritos. Também, que Deus abate os soberbos, porém dá graça aos humildes. Em cada dia aprendíamos alguma coisa nova para nossas vidas.

Lagoinha.com: Quando você foi sacado do time titular após o jogo contra a Turquia, o que se passou pela sua cabeça?
 

EDMILSON: Eu fiquei chateado, mas não demonstrava a ninguém para não atrapalhar o ambiente do grupo. Mas fiquei confiante ao mesmo tempo, pois sabia que Deus iria me abençoar.

Lagoinha.com: Depois você fez aquele golaço (o mais bonito da Copa) contra a Costa Rica, como foi?
 

EDMILSON: Esse jogo foi uma bênção para mim, foi a mão de Deus agindo em minha vida de um jeito impressionante.

Lagoinha.com: Qual foi o jogo mais difícil para você?
 

EDMILSON: Foram dois, contra a Bélgica e contra a Inglaterra.

Lagoinha.com: Fale um pouco sobre a conquista do penta.
 

EDMILSON: Estou muito impressionado com tudo que está acontecendo em minha vida depois do título. Louvo a Deus, pois com essa conquista marcamos uma geração.

Lagoinha.com: O que você falou a Deus naquele momento em que se ajoelhou ao fim do jogo contra a Alemanha, com o Lúcio e o Kaká?
 

EDMILSON: Eu agradeci muito a Deus por estar ali naquele momento. Chorei bastante. Era um momento de gratidão em que o Kaká, o Lúcio e eu agradecemos muito a Deus, glorificamos o nome de Jesus.

Lagoinha.com: Depois o time todo se ajoelhou, como foi?
 

EDMILSON: Deus preparou aquele momento para nós glorificarmos o nome dEle. Foi bem natural, o pessoal começou a dar as mãos e orou em agradecimento ao Senhor. Também houve um outro momento interessante depois do jogo contra a Turquia em que o Marcos se ajoelhou no vestiário e orou agradecendo a Deus; isso me emocionou muito. Esta cena me fez ver na prática o versículo que diz: Que todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor.

Lagoinha.com: Em sua opinião, qual o papel de um atleta de Cristo?
 

EDMILSON: Nós atletas de Cristo podemos ir a lugares que muitos pastores não conseguem chegar para levar o evangelho. Um exemplo disso é a Copa do Mundo, que é vista por bilhões de pessoas. O atleta de Cristo deve estar sempre aproveitando as oportunidades para testemunhar sua fé em Jesus a toda criatura usando o poder da mídia. Não podemos nos restringir a testemunhar em igrejas, não ser "igrejeiro" – no mau sentido.

Lagoinha.com: Qual recado que você deixa àqueles que ainda não aceitaram a Jesus?
 

EDMILSON: Na vida, a gente pode conquistar vários títulos, mas se antes de morrer, a pessoa não tiver um encontro com Deus, ela não conquistou nada. A verdadeira vida e felicidade estão em Jesus Cristo.

Lucas Pedrozo – Jornalista Colaborador do Portal Lagoinha.com