Nenhum Comentário

Lagoinha 60 Anos: conquistando 10% de Belo Horizonte (MG) para Cristo

Em 1987, nossa amada Lagoinha tinha cerca de 1.300 membros. Dois anos após, esse número saltou para 7 mil. Em 2003, já se somava 20 mil membros arrolados. Em 2009, chegou aos 40 mil e, hoje, falta pouco para alcançarmos 80 mil ovelhas. Muito além de números e estatísticas, a paixão do nosso pastor Márcio Valadão sempre foi por vidas rendidas ao Reino e pela pregação da Palavra. E foi justamente essa paixão por almas em razão de seu chamado que o impulsionou para o ministério. Numa entrevista que concedeu ao Lagoinha.com/Jornal Atos Hoje em 2009, ele falou sobre quando a igreja chegou aos 40 mil membros, da visão de conquista dos 10% de Belo Horizonte (MG) para Cristo e de como é liderar uma igreja desse porte.

[Foto: Arquivo de Ministério]

[Foto: Arquivo de Ministério]

Pastor Márcio afirmou: “Não estamos buscando e nunca buscamos uma estatística no sentido de números. Sempre foi a visão da igreja buscar pessoas e levar a elas o amor do Senhor, levá-las a experimentar em Cristo Jesus uma outra vida, o perdão. Não buscamos números, mas gente, corações, pessoas que estão vivas, que respiram, que precisam conhecer a graça do Senhor. Buscamos levar o Evangelho a 10% de Belo Horizonte”. Para ele o desafio de liderar uma igreja tão grande é apenas um: não perder a simplicidade, no sentido de achar que o alvo já foi alcançado. Afinal, não foi. “Enquanto existir alguém que ainda não se rendeu ao Senhor, temos não apenas o dever e a obrigação, mas a grande honra de levá-lo, porque um dia alguém falou conosco desse Evangelho”, completou.

[Foto: Arquivo de Ministério]

[Foto: Arquivo de Ministério]

Nossos pastores são grandes incentivadores, mas o crescimento é o resultado da participação de cada membro da Lagoinha. “Estamos em constante batalha de oração, invocando a graça do Senhor. Ou seja, o clamor é para que cada ovelha gere outras ovelhas. A nossa dependência total do Senhor é para que Lagoinha seja uma igreja realmente cheia de vida, de saúde, ligada ao “marido”, que é Jesus Cristo, para que possamos gerar filhos para a glória Dele”, ressaltou o pastor, que acrescentou ainda: “Se cada membro da igreja trouxer outra pessoa, o número vai dobrar. Serão 80 mil. Se trouxer duas pessoas, já vamos chegar a 120 mil. Não é apenas o pastor que vai gerar esses novos filhos, mas cada membro”, disse. É nesse caminho que seguimos, com foco em ganhar vidas para Jesus e cuidar de cada família e, assim, fazer diferença nos quatro cantos da Terra.

[Foto: Arquivo de Ministério]

[Foto: Arquivo de Ministério]

Hoje, chegando à marca dos 80 mil, o posicionamento de quando chegou aos 40 mil é o mesmo: “Há muito a ser conquistado, não vamos de forma alguma descansar. Não vamos baixar a guarda, mas procurar zelar de uma forma intensa para que essas ovelhas frutíferas aqui sejam alimentadas, cuidadas, amadas e amparadas. Queremos ver, mais e mais, novas pessoas chegando, não como adeptos, mas para terem um encontro com o Senhor. Além disso, queremos ver o crescimento da igreja fora das quatro paredes do Templo, a chamada igreja estendida, aquela onde nos reunimos por todos os lugares. Oro para que cada ovelha da Lagoinha cresça com uma paixão tão grande, para que o coração de Jesus sempre se alegre ao ver cada um de nós caminhando, deixando as marcas do Senhor, sendo luz, sal, testemunha. Mas, acima de tudo, que cada ovelha possa perceber que, por meio dela, o Evangelho pode e deve ser pregado”, finalizou o pastor.

:: Renata Giori