Nenhum Comentário

“Não há empecilho para quem quer servir ao Senhor”, diz Pr. Neto, de Juazeiro do Norte

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

Os pastores Gustavo e Ana Paula Valadão Bessa deram início à manhã do último dia do Congresso Internacional Adoração, Intercessão e Missão Diante do Trono 2017 chamando ao altar alguns brasileiros que vieram de mais longe para o evento e, também, os representantes de cada nação, para serem homenageados.

Em seguida, o pastor Gustavo fez uma oração para dar prosseguimento à programação. “Pai, obrigada por esses dias de renovo, de paz, de refrigério, de conserto do nosso coração. Te agradecemos porque o Senhor tem feito coisas novas na nossa vida, no nosso meio. Te louvamos por esta manhã, por este novo dia, pelas Tuas misericórdias, que se renovaram sobre nós. Pai, desde já, receba nossa adoração, porque o Senhor e somente o Senhor é digno”, orou.

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

Na sequência, Ana Paula convidou Nívea Soares, que conduziu o momento de louvor e adoração a Deus ao som das canções “Filho do Deus vivo”, “Reino de Justiça”, “Não seremos abalados”, “Me entrego a Ti”, entre outras. Foi um tempo de busca intensa por mais de Deus, em que os congressistas se renderam ao poder e mover do Espírito Santo.

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

“O Senhor não está limitado aos nossos conceitos, às nossas teologias, às nossas estruturas, aos nossos achismos. O Senhor é maior. […] Deus, quebre em nós o que precisa ser quebrado, mude em nós o que precisa ser mudado. Todo o que é nascido do Espírito é livre para adorar, é livre para obedecer”, orou o pastor Gustavo.

“Que tudo o que temos experimentado possa ser transformado em vida no nosso dia a dia. Que possamos sair deste lugar não abastecidos apenas para nós mesmos, para para dar de comer e de beber aos famintos e sedentos ao nosso redor”, orou Ana Paula Valadão.

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

Após o momento de louvor e oração, Gustavo e Ana convidaram ao altar um casal de missionários do projeto Índia DT, o missionário Máisel Rocha, da Missão Mundo Muçulmano, e o pastor Armando Piva, para conversarem sobre “A tentação de ficar – O ‘Não ide'”.

“Das duas, uma: se você não tem chamado missionário, você ainda é campo missionário, você precisa se converter. […] Deus é um Deus necessariamente missionário. A missão de Deus não começa na cruz, começa no Éden, quando a gente vê Deus em Gênesis 3.8,9 partindo atrás do homem antes que o homem clamasse por Deus. […] A igreja é necessariamente missionária. Ela nasceu porque Deus está em missão. A igreja é uma consequência da missão. A igreja é um instrumento da missão, e não o contrário. Se você tirar missões da Bíblia, resta a capa. Se Deus não tivesse vindo atrás de nós, a Bíblia não teria sido escrita. A Bíblia é missionária, a igreja é missionária, Deus é missionário, e a minha pergunta é: por que você, então, não seria missionário?”, disse Máisel.

“O sentido maior da existência é a adoração. A missão vai acabar. A missão é a tarefa que Deus deixou para a igreja. Quando a igreja fizer a tarefa, Ele voltará. Se não fizer, Ele não voltará. A adoração é infinitamente maior do que a missão, porque a adoração é eterna. A missão da igreja é fazer discípulos, mas o propósito da igreja é a glória de Deus. Uma coisa está ligada à outra nesta vida, mas a adoração é para sempre”, explicou o pastor Armando.

“Quando João teve a visão de Apocalipse, ele teve a visão da eternidade. E, quando ele viu a eternidade, ele viu gente de toda tribo, povo, língua e nação prostrada diante do trono do Cordeiro adorando ao Senhor dos senhor. Essa é a visão do céu, é adoração. Mas essa visão do céu só se concretizará se houver ali, diante do trono, gente de toda tribo, povo, língua e nação. E, para isso acontecer, é necessário haver missão. Então, o movimento de adoração no Brasil precisa se transformar em um movimento de missão”, afirma o pastor Gustavo Bessa.

“Sempre haverá desafios, sempre haverá alguém para te dizer: “Não faça isso, não vá, é perigoso”. Mas nós não podemos ter medo de correr riscos. […] No início, as pessoas falavam: “Vão roubar seu filho”, porque ele é branquinho. E, onde passávamos, as pessoas queriam tirar foto dele. E eu falei: “Deus, ele não é meu, ele é do Senhor. Ele é uma semente que a gente está lançando nesta nação. Talvez, a obra que nós não conseguiremos fazer, ele vai fazer. Então, é não temer aos burburinhos, é temer ao Senhor e confiar Nele”, encorajou a missionária na Índia.

“Encha o nosso coração de fé, Senhor. Que possamos ser ousados em Ti para podermos ir por todo o mundo, fazer discípulos, ensiná-los a guardar tudo  aquilo que o Senhor já tem nos ensinado, para a glória do Senhor, em nome de Jesus”, orou o missionário na Índia encerrando o bate-papo.

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

Antes de começar a mensagem da manhã, o pastor Neto, de Juazeiro do Norte (CE), contou um testemunho sobre seu livro, “Avivamento no Sertão Nordestino”, e trouxe uma breve reflexão sobre o tema: “Avivamento não é para alguns líderes, não é para promover algumas pessoas, uma denominação. Avivamento é para um povo”, disse.

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

Com base em Atos 13.21,22, o pastor Neto falou sobre a “4ª Pedrinha: A missão”.

“A coisa mais extraordinária que pode acontecer na vida comum é o chamado de Deus. Você pode participar de tudo, você pode ter uma alta profissão, você pode ter fama, você pode ter troféu, você pode ser quem for, mas nada será mais importante do que o chamado de Deus, do que a evangelização do mundo. Você pode se alegrar com seu carro, com sua família, com sua igreja, com muitas coisas, mas há uma alegria grande, explosiva, que só é dada por Deus no momento em que você evangeliza. […] A maior vantagem da vida é ser chamado por Deus. […] A quem essa missão é dada? Como essa missão é entregue?

1º lugar: Quando somos aprovados por Deus no meio da nossa família. Comece primeiro em casa. É aí que você é capacitado, é aí que você pode ser habilitado, é aí que Deus vai lhe encher de poder. A aprovação de Deus tem que ser no meio dos parentes, da sua casa. Quando Deus nos aprova no meio dos nossos, a gente pode ir. Deus irá conosco. […] Faça a obra de Deus que ele vai fazer chover na sua horta. […] Não há empecilho para quem quer servir ao Senhor.

2º lugar: A missão é dada a quem espera o tempo certo. […] Esperar não é parar, não é desistir no meio do caminho. Esperar é confiar que na hora certa Deus vai fazer. É descansar no Senhor. Quem não espera perde a oportunidade de ver Deus fazer. É bom que a gente atenda ao chamado de Deus, mas a gente tem que saber o tempo certo de fazer as coisas.

3º lugar: A missão é dada quando estamos dispostos a fazer toda a vontade de Deus. Para fazer a vontade de Deus, é necessário que você renuncie a sua”.

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

Ao fim da reunião, Gustavo e Ana Paula Valadão lançaram, oficialmente, a Missão DT, que, inicialmente, apoiará projetos na Índia, em Israel e no Sertão Nordestino. “Que todos venham ao pleno conhecimento da Verdade. E que este momento novo do DT seja, Senhor, não apenas com a Tua bênção e o Teu favor, mas que seja uma inspiração para poder, de uma forma tão linda, chegar a tantos lugares onde a Tua Palavra ainda não foi pregada, anunciada, para mostrar àqueles que vivem no cativeiro que há poder no sangue derramado de trazer libertação e salvação”, orou o pastor Márcio Valadão consagrando a Deus a Missão DT.

Ana encerrou o momento cantando: “Irei contigo, onde quer que fores, meu Senhor. O Teu chamado cumprirei na alegria ou na dor. E toda vez que eu chorar ou quiser desanimar, o Teu Espírito me consolará”.

Foto: Paulo Campos

Foto: Paulo Campos

Acesse o site da Missão DT para conhecer mais desse projeto.

• Confira como foi a manhã do último dia do congresso:

:: Dayane Nascimento