Nenhum Comentário

“Não existe uma Bíblia em Libras clara”, diz Pra. Núbia Águila sobre os desafios do ensino bíblico no Brasil

Foto: Ministério Ephatá

Foto: Ministério Ephatá

Vários estudantes foram pegos de surpresa, nesta semana, devido à redação do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) 2017, cujo tema foi “Desafios para a formação educacional de surdos do Brasil”. Apesar de a Língua brasileira de sinais (Libras) ser, desde 2002, a segunda língua oficial do Brasil, ainda pouco se fala sobre os direitos educacionais dos surdos. E nas igrejas? Será que o ensino da Bíblia tem alcançado as pessoas com deficiência auditiva?

Desde 1992, a Lagoinha possui o ministério Ephatá, que tem como objetivo conduzir os surdos ao conhecimento do Evangelho. No entanto, conforme a pastora Núbia Águila, líder do Ephatá, ainda hoje, há barreiras enormes a serem quebradas para o cumprimento do propósito. A principal delas é a tradução da Bíblia. “Não existe uma Bíblia em Libras clara, que os surdos consigam entender exatamente o que o texto está dizendo”, afirma Núbia.

A pastora explica que os intérpretes que fizeram a tradução não conseguiram desenvolver um material capaz de atingir uma gama maior do público com deficiência auditiva. “Se eu fizer a interpretação na estrutura do português o entendimento não será completo para os surdos”, exemplifica, ao esclarecer que a forma de se comunicar desse público é diferente de quem não tem problema com audição. Muitas palavras em português não são conhecidas por esse público. Por isso, não se pode, por exemplo, simplesmente traduzir um texto; é preciso, antes, interpretá-lo conforme a maneira que os surdos se comunicam, conforme a maneira de enxergar o mundo que eles têm.

Atualmente, há mobilizações para mudar esse cenário. Segundo a pastora, pessoas têm se levantado nas igrejas com o intuito de publicar uma Bíblia em Libras com mais qualidade, mas o plano ainda não saiu do papel. “Há um grupo religioso [de fé diferente da fé cristã] que já fez a interpretação da Bíblia em Libras mais adequada; está na frente. Então, essa é uma demanda urgente”, destaca. Além disso, de acordo com a pastora, o acesso à Bíblia em Libras é difícil. “Existe Bíblia [em Libras] em outros estados ou se pode adquirir o DVD”, diz Núbia.

Não é por acaso que menos de 1% dos surdos brasileiros são cristãos, segundo o IBGE 2010. Belo Horizonte – cidade com mais de 100 mil pessoas com deficiência auditiva – acompanha a triste estatística.

 

Foto: Ministério Ephatá

Foto: Ministério Ephatá

Lagoinha tem superado a barreira 

Apesar de ser grande o desafio de conseguir ofertar um ensino bíblico com qualidade, a Lagoinha tem conseguido superar essa barreira. Neste semestre foi iniciado o curso de Maturidade, do Centro Formação Cristã (CFC), voltado exclusivamente para essas pessoas. “Queríamos oferecer um curso mais ‘puxado’ e, futuramente, eles querem fazer o Seminário Teológico Carisma. Nesse caso, o desafio será levantar intérpretes voluntários [para que os surdos possam fazer o seminário]”, pontua.

Segundo a pastora, o curso de Maturidade tem “aberto os olhos” dos alunos. “Eles estão gostando muito, porque o ensino ficou mais claro, conseguem captar mais o Evangelho. Como há muitas palavras que eles não conhecem, levo fotos e outros materiais para facilitar o aprendizado”, detalha a pastora, que é também a professora do curso. Por causa da iniciativa, os estudantes já têm transmitido o conhecimento a outros. “Tem uma moça que abriu uma célula na escola após começar esse curso. Outro aluno pregou em um dos cultos que fazemos para os surdos. O curso tem os incentivado bastante, porque mostramos essa responsabilidade que eles também têm de pregar o Evangelho”, compartilha Núbia.

Para fazer o curso de Maturidade, é necessário que o interessado já tenha passado pelo batismo e procure o ministério.

Outra ação que tem contribuído para o maior aprendizado das Escrituras é a célula, que ocorre às 19h, às sextas-feiras, no espaço do ministério Ephatá (Rua Ipê, 345, Bairro São Cristóvão). É feito também um culto em Libras, aos sábados, às 17h30, no Salão Fé, na Lagoinha Sede.

Há ainda interpretação dos cultos de celebração de domingo (manhã e noite), no Templo da Lagoinha Sede; e do culto Manifeste-se, às 20h, às sextas-feiras, na Capela (Rua Araribá, 535, Bairro São Cristóvão).

Serviço:

Ministério Ephatá

Local: Rua Ipê, 345, Bairro São Cristóvão, Belo Horizonte (MG).

Telefone: (31) 3429-9577.

:: Thais Oliveira