Um dos assuntos que mexe com a cabeça de jovens e adultos é o da vida sentimental. Por isso, escolhemos uma pessoa especialista nesse assunto para falar com a juventude que segue o portal Lagoinha.com. O pastor Lúcio Barreto, conhecido como Lucinho, com mais de 20 anos de liderança de jovens, fala abertamente sobre “namoro”. Entre várias instruções, ele descreve como deve ser um namoro santo e como fugir dos desejos da carne. Com certeza, vale a pena conferir! 

Lagoinha.com: Como ter um namoro santo?

Pr. Lucinho Barreto: Um namoro santo só existe quando há entendimento entre o casal, de que formará uma só carne. Não adianta um lado ser santo e o outro não. O compromisso do casal com Cristo precisa ser muito forte. Já vi jovens começarem o relacionamento orando, jejuando e muito comprometidos, mas um dos lados estava só de fachada. O lado forte é quase sempre influenciado pelo lado fraco. Geralmente e infelizmente não são o contrário, quem está muito bem com Deus, geralmente, é influenciado por quem não está e não o contrário. A primeira coisa no início do relacionamento é você saber em qual terreno está pisando. Sempre proponho o período de “corte” para saber se está pisando em areia movediça ou em um chão sólido, pois assim irá construir a base para um namoro santo, sabendo que aquela pessoa com quem está ama a santidade e a pureza.

Lagoinha.com: Como evitar os desejos da carne?

Pr. Lucinho: Eu só conheço uma força no mundo que faz o solteiro, casado ou qualquer pessoa refrear algum desejo, seja o de comprar, o sexual, de apetite ou dormir, essa força se chama Espírito Santo. Só Ele consegue controlar nossos desejos, ainda mais na juventude, em que isso é tão explorado e descontrolado. Muitas vezes o que acontece com o casal de namorados é o famoso daqui pra ali, o casal sai do culto entra no carro e começa a se beijar, depois se encontra sem roupas, podendo até ter consumado o ato sexual.

Conheço um casal em que ambos especificaram o que não seria feito. A moça disse ao rapaz: “Você não vai encostar ao meu pescoço por motivo nenhum, porque ativa algo em mim que eu não quero”, houve honestidade. Não se pode ficar em certos lugares sozinhos, usar roupas provocantes. É preciso impor limites em um relacionamento, tanto ela quanto ele. Às vezes começa conversando, depois pega na mão, sempre o dia seguinte exige um pouco mais do dia anterior. E aí como muitos jovens não têm perspectiva de se casarem cedo, não vê uma data, não vê uma possibilidade, o casal acaba não esperarando.

Lagoinha.com: Apenas a mulher deve impor limites ou os dois?

Pr. Lucinho: Algumas mulheres “partem para cima”, mas atualmente tanto o homem quanto a mulher precisa frear. Na verdade, para mim, o homem sabe que pode levar a namorada dele para a cama, mas pode também optar por não levá-la, por ver que ela está num dia mais carente. E age assim: “Eu poderia aproveitar da sua fragilidade, mas não vou fazer isso”, e a mesma coisa a mulher, porque a gente entrega 365 dias, mas sempre há três ou quatro que estamos “virados” (sensíveis) e as resistências estão mais baixas. Então, temos que pedir a Deus: “Senhor, não deixe coincidir o dia da minha fraqueza com a tentação ideal, se não será ‘prato cheio’ para eu cair.”’

Lagoinha.com: O casal é cristão; porém, não segue os preceitos bíblicos. Como ajustar o namoro à luz da Palavra?

Pr. Lucinho: Primeiro é um choque de gestão. Tem que parar com o que está fazendo de errado. Penso que a maioria dos jovens precisa, dentro e fora da igreja, de um período de abstinência de tudo, inclusive de namoro. Muitos sentem medo de não ter alguém, e em um, dois, três anos acabam se envolvendo com tanta gente ou com uma só pessoa, e tão profundamente que não dá para sair e entrar em outro relacionamento.

Assim como um drogado precisa de abstinência, muitos necessitam não apenas encontrar alguém para casar, mas se encontrar primeiro, porque a pessoa não está bem com ela mesma. Então, o casal, primeiramente, deve parar o ato sexual. Se possuir hábitos de ir para o motel, precisa deixar de frequentar. Caso o relacionamento esteja sem limites, deve parar com todas as liberdades. Geralmente (os jovens não gostam que eu fale isso), quando o relacionamento já tem sexo, muita coisa está acontecendo, então, sugiro um “dar tempo” ou até mesmo terminar.

O que defendo é o seguinte: se a pessoa que está com você for de Deus para sua vida, independentemente das circunstâncias, ela irá voltar para você. Quando o casal continua junto fica mais difícil para eles se absterem e fazerem a busca pelo Senhor. Podem conversar, mas devem evitar saírem juntos, ficar sozinhos. Isso para quando forem para o casamento dizerem assim: “Puxa, não venci na área sexual só porque me casei, consegui vencer antes”. Acredito na segunda virgindade, que é quando Cristo entra na vida de alguém. A pessoa pode ter tido a vida mais promíscua, mas Jesus a purificou, e do momento para frente é um recomeço.

Lagoinha.com: O que não posso fazer em um namoro?

*Evite ficar sozinho com o namorado (a);

*Evite entregar demais o coração, tem gente que com um mês, dois meses de relacionamento, diz assim: “Você é tudo pra mim, eu morro sem você”. Vá devagar, não entregue suas emoções tão rapidamente;

*Não fique sem orar;

*Não fique sem ler a Bíblia,

*Não fique sem mentores dentro da igreja, e, principalmente, seus pais monitorando passo a passo do namoro;

*Não misture a vida financeira se não tiver noivado ou ter marcado o casamento,

*Não se isole dos amigos, porque muitos quando começam a namorar se afastam dos trabalhos na igreja e ficam sozinhos, apenas os dois. E se o namoro terminar, não terão mais amigos na igreja. Esses são alguns conselhos simples.

Lagoinha.com: Quais lugares frequentar?

Pr. Lucinho: Indico sempre a casa de ambos, dos pais, pois namorar perto dos pais dá temor. Outra sugestão boa é a igreja e os amigos. Tudo que é feito em grupo é legal. Mas veja que engraçado: o motivo número um de divorcio hoje é o arrependimento de não ter curtido a vida de solteiro. Alguns quando se casam pensam assim: “Nossa, não curti a vida de solteiro, vou voltar a sair, a encontrar pessoas”.

Já o solteiro que pode fazer isso não faz, ele se isola. O solteiro está agindo como casado e o casado quer agir como solteiro. Ainda que esteja noivo(a), é solteiro, tem que sair muito com os amigos, sair com o grupo. É lógico que às vezes ele irá sair sozinho ou com outro casal de amigos. Enquanto os homens saem juntos para assistirem a um jogo, as mulheres vão para o shopping. Um tem que dar espaço para o outro, a questão do ciúme tem que ser muito bem resolvida. Os sinais sempre aparecem, ninguém se casa enganado. A pessoa tem que ser honesta com ela mesma, ver algumas coisas que apontam para algo ruim, que possam acontecer dentro do casamento.

Lagoinha.com: O namoro só deixa de ser santo se houver sexo?

Pr. Lucinho: Não, umas das piores coisas que pode acontecer ou talvez seja a pior, é a defraudação: gerar no outro um desejo que não pode ser realizado. Um rapaz me perguntou assim: “Até onde posso ir com a minha namorada um milímetro antes de pecar?” Eu falei: “É a mesma coisa de você me dizer que quer andar na beirada do precipício. Você anda, mas o risco de você cair é muito grande, pois está muito perto. Então vou lhe dar a seguinte resposta: faça com a sua namorada tudo o que você quiser que um rapaz faça com a com a sua filha quando ela namorar.” “Mas como assim, qual será o limite?” Simples o limite, faça com essa jovem tudo que você puder fazer no altar da igreja”. Entenda que as atitudes são um boomerang, fazer com a filha dos outros é legal, mas a vida anda. Hoje você é estilingue, amanhã será a vidraça. Tome cuidado!

Lagoinha.com: O homem olhar para outra mulher ou vice-versa também traz o pecado para o namoro?

Pr. Lucinho: Não, a gente precisa entender que Deus colocou em nós a condição de apreciar sem pecar. Posso olhar um carro, posso olhar uma mulher e dizer: “Olha que bonita!”, e não desejá-la, arrancar-lhe a roupa em minha cabeça e não levá-la para a cama. Quantas vezes eu e minha mulher, casados, assistindo a um filme ou em lugar, cometamos sobre alguém. Exemplo: Eu e a Patrícia estávamos na praia, quando disse: “Paty, veja esse cara. Poxa, ele está cuidando do corpo, parece mais velho, mas está muito bem, em forma.” Hoje a sociedade está tão pecaminosa, tudo é sexo, arrancar a roupa. É possível apreciar, achar legal sem imediatamente cometer pecado.

 Lagoinha.com: Como saber se a opinião de outras pessoas (como amigos, pessoas não cristãs) está influenciando?

Pr. Lucinho: Contar tudo só mesmo para quem pode ajudar. Não vou contar para os meus amigos que estou com uma dor, vou a um especialista, ao médico. Pode ser que você irá se abrir com um amigo(a) que está no mesmo grau que você. As igrejas estão cheias de pastores, casais mais velhos que podem ser mentores, sem contar os pais. Temos o hábito de ir atrás de quem não pode acrescentar nada à nossa vida, e não de quem tem todas as ferramentas, porque já passou por experiências semelhantes, e pode aconselhar, mas às vezes não escutamos. O jovem, principalmente, chega a duvidar dos conselhos da mãe: “Ah, o que a minha mãe pode dizer?” É preciso saber que Deus guardou dentro dos pais um amor pelos filhos que ninguém sente. Logo, eles podem dizer o que servirá como solução.

Lagoinha.com: É bom ser acompanhado por alguém?

Pr. Lucinho: É muito importante o acompanhamento de alguém, pois tem coisa na vida que a gente consegue fazer sozinho, mas há aquelas que acontecem somente com ajuda. E a vida sentimental tem se tornado “calcanhar de Aquiles” para muita gente, e essa é a área mais frágil, mais destruída da vida da pessoa. Então, se a pessoa tiver um coach (técnico), alguém que o aconselha aonde ir, como ir, será muito bom. Digo, porque passei por isso, e tenho o privilégio de fazer atualmente aos outros. Vejo que faz toda a diferença, é um presente de Deus!

:: Mariana Soares

mariana.soares@lagoinha.com