7 Comentários

Um pastor do Sertão

Saiba um pouco da história do missionário e pastor que participou da gravação do DVD Tu reinas, ainda inédito, do Diante do Trono

Neto

Neto

O congresso Adoração e Intercessão teve muitos momentos especiais, contudo, um parece ter marcado significativamente o público que lotou o Expominas entre os dias 17 e 19 de abril: a pregação do pastor e missionário Neto. A Igreja Batista da Lagoinha já ouvia falar muito dele, sobretudo, por causa do DVD Tu Reinas, ainda inédito.

O pastor Neto, na verdade, se chama José Gomes de Sá. Ele mesmo não sabe porque é apelidado assim. Supõe que seja porque é o primeiro neto da família. Neto nasceu em São José do Belmonte, Pernambuco, e tem 44 anos. Neto é casado com Maria Gilmária Basílio de Moura Gomes, com quem tem dois filhos, Rebeca Basílio Gomes, 14, e Hickman Basílio Gomes, 19. Eles moram em São José do Belmonte e desenvolvem trabalhos com sertanejos.

São José do Belmonte tem 45 mil habitantes, mas apenas 2% são cristãos distribuídos em 7 denominações. A atividade predominante na cidade é a agricultura e a pecuária. Neto é formado pelo Centro de Preparação de Obreiros (CPO), instituto presbiteriano sediado em Patrocínio, MG. No momento, além de pastorear a Igreja Presbiteriana de São José do Belmonte, que possui 8 congregações e 5 pontos de pregação, Neto está em fase de elaboração de um livro intitulado “Avivamento no coração do Nordeste”.

Em entrevista exclusiva, ele revela alguns importantes pontos de sua vida e ministério.

Atos Hoje – Como aconteceu o seu encontro com o Diante do Trono?

Neto – Por intermédio do irmão Siralan, que levou o pastor Gustavo Bessa e equipe para possíveis lugares de gravação do DVD Tu Reinas, no sertão.

Atos Hoje – Sabe-se que, antes de se converter, você foi tentar a vida em SP, mas não deu certo. Quanto tempo ficou por lá e o que fazia, e o que não deu certo, forçando-o a voltar para sua cidade?

Pr. Neto Neto – Fui para lá com 16 anos e voltei com 22. Trabalhei como frentista, churrasqueiro e operador de máquina para furar poços artesianos. Voltei porque me senti só, me envolvi com pessoas erradas e fui perseguido. Naquele momento, creio que Deus me trouxe de volta para que deixasse de lado essa indiferença que tinha pelo Sertão.

Atos Hoje – Em que ano você viu a entrevista do Nelson Ned no programa do Gugu e se converteu? Como aconteceu isso, conte-nos um pouco mais detalhado?

Neto – Em 1994, estava em minha casa, bêbado e deitado no chão assistindo ao programa Domingo Legal. Quando Nelson Ned entrou, me chamou a atenção sua estatura, sua família e seu testemunho de vida antes de conhecer Jesus. Lembro-me que estava com um cigarro na mão para acendê-lo, mas as palavras de Nelson me lembravam de minha vida atual, sem Jesus. Ao ouvir sobre uma nova vida com Jesus, fiquei impactado, não consegui acender o cigarro e o Espírito Santo ordenou naquele momento em meus ouvidos tudo o que não faria mais: fumar, beber, adulterar, e me convenceu a confessar meus pecados à minha esposa e minha mãe que estavam ali comigo. Desde aquele dia, nunca mais me envolvi com essas práticas, procurei uma igreja evangélica e assim comecei meus primeiros passos com Cristo.

Atos Hoje – Como você aprendeu os passos iniciais da vida cristã? Que instrumentos além da Bíblia você utilizou para crescer espiritualmente?

Neto – Aprendi por meio de uma irmã, tia Loudes, mas mais diretamente com as leituras da Palavra que eu fazia e também o que o Espírito Santo me revelava. Nesse tempo, tive também muitas experiências pessoais com Cristo. Tornei-me líder, mesmo sem ter sido liderado por alguém. E pessoas se converteram e começaram a caminhar comigo desde esse tempo.

Atos Hoje – Qual foi o caminho que o levou a estudar em Patrocínio e num instituto presbiteriano no interior de Minas Gerais?

Neto – A congregação que eu havia criado em 1995 foi visitada por presbiterianos, no dia de sua inauguração. A partir daí, criamos um vínculo com a Igreja Presbiteriana do Brasil que me apoiou.

Pr. Neto Atos Hoje – Você criou a missão Fonte no Deserto em que ano? Qual o principal objetivo dessa missão?

Neto – Criei, em 2001, com o objetivo de preparar obreiros para servir no Sertão e proclamar o Evangelho, bem como, implantar igrejas onde não há trabalhos comprometidos com o Reino de Deus e assistir ao povo sertanejo em ações sociais, ensinando-lhe cursos profissionalizantes para que tenha dignidade, tendo fonte de renda própria. A fonte de sustento da missão são doações e ofertas voluntárias entregues ou depositadas em banco.

Atos Hoje – A missão tem capacidade para receber até 100 pessoas em cada evento missionário. Como se processam esses eventos e o que a missão tem de suporte disponível para as missões que recebe?

Neto – Recebemos caravanas interessadas em fazer evangelismos e ações sociais nas comunidades. Na Missão Fonte no Deserto temos consultório odontológico e médico, uma quadra de areia, piscina, salas de aula, alojamentos, cozinha e área de convivência.

Mais informações: www.fontenodeserto.com.br

O pastor e missionário Neto ministrará no Culto Cristo Vivo, neste domingo (27), às 20:30 horas. Não perca!

Fotos: Arquivo do Minitério

:: Atilano Muradas