Nenhum Comentário

A sabedoria e a coragem da mulher em tempos de conflito

“Débora, uma profetisa, mulher de Lapidote, liderava Israel naquela época” (Juízes 4.4).

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Existe uma personagem da Bíblia que surgiu no período dos juízes, do Antigo Testamento, com a função de liderar o povo israelita. Eles haviam conquistado Canaã e estavam vivendo nessa terra. Na época, cada um fazia o que era correto segundo seu próprio coração, em vez de praticar a Lei.

Diante da apostasia dos israelitas, que buscavam a adoração a falsos deuses, eles viviam opressos pelos povos inimigos. “A ira do Senhor se acendeu contra Israel, e Ele os entregou nas mãos de invasores que os saquearam. Ele os entregou aos inimigos ao seu redor, aos quais já não conseguiam resistir” (Juízes 2.14).

Diante da opressão e do sofrimento, clamavam a Deus por livramento. “Então o Senhor levantou juízes, que os libertaram das mãos daqueles que os atacavam” (Juízes 2.16).

O Senhor os respondia e os livrava da aflição. “Sempre que o Senhor lhes levantava um juiz, Ele estava com o juiz e os salvava das mãos de seus inimigos enquanto o juiz vivia; pois o Senhor tinha misericórdia por causa dos gemidos deles diante daqueles que os oprimiam e os afligiam” (Juízes 2.18).

Mas logo desviavam-se de Deus. Era um ciclo constante de pecado, ruína, clamor e salvação.

Débora, sábia e corajosa

Nesse período, que durou aproximadamente 350 anos, não havia reis. Deus levantava juízes para livrar o povo da opressão dos cananeus, que eram os inimigos que viviam ao redor. Os juízes governavam pequenas regiões e alguns lideravam simultaneamente. Nesse tempo, Deus levantou uma juíza mulher: Débora.

“Débora, uma profetisa, mulher de Lapidote, liderava Israel naquela época. Ela se sentava debaixo da tamareira de Débora, entre Ramá e Betel, nos montes de Efraim, e os israelitas a procuravam, para que ela decidisse as suas questões” (Juízes 4.4-5).

Débora foi a única mulher escolhida para ser juíza nesse tempo. Mais de dez homens governaram o povo israelita. Por sua liderança, podemos descrever essa líder como corajosa, sábia, fiel a Deus, fiel à mensagem de Deus, respeitada e guerreira.

Corajosa, pois aceitou o desafio de liderar um povo. Sábia, pois decidia com sabedoria as questões que traziam até ela. Fiel a Deus e à Sua mensagem, pois transmitia, como um porta-voz, exatamente o que Deus falava. Respeitada por todos e guerreira, pois em momentos de batalha foi à guerra para trazer a vitória contra os cananeus.

Débora tinha consciência que recebia direção de Deus e não se vangloriava da capacitação que o Espírito Santo tinha dado a ela. “Ouçam, ó reis! Governantes, escutem! Cantarei ao Senhor, cantarei; comporei músicas ao Senhor, ao Deus de Israel” (Juízes 5.3).

O livro de Juízes retrata a batalha do povo contra os cananeus, liderada por Baraque, que recebeu um comando de Deus através de Débora. Assim como Débora profetizou, assim aconteceu. “E Débora disse também a Baraque: “Vá! Este é o dia em que o Senhor entregou Sísera em suas mãos. O Senhor está indo à sua frente!” (Juízes 4.14).  O povo venceu a batalha e houve paz por 40 anos. “Assim pereçam todos os Teus inimigos, ó Senhor! Mas os que Te amam sejam como o sol quando se levanta na Sua força” (Juízes 5.31).

:: Raquel Carsi