7 Comentários

Ainda existem finais felizes

Estava me lembrando de uma das cenas finais do filme “Um amor para recordar”, que conta a história de amor entre a filha de pastor com um rebelde popular da escola. Ao longo do filme e sem perceber, o rapaz se apaixona pela moça, que lhe conta algo que muda toda a trama do filme. O filme tem uma das histórias de amor e fé mais bonitas que já assisti. Se você ainda não o assistiu, fica a dica. Após a morte da moça, numa das cenas entre seu pai e o namorado, há uma fala que quero destacar: “Que pena que ela não viu o seu milagre”, disse o rapaz. “Mas ela viu”, responde o pai. Mas o que isso quer dizer? Vamos lá!

Abraão ofereceu seu único filho crendo na promessa de Deus, mas ele não viu a promessa se cumprir. Ainda sim, por causa de sua obediência todas as famílias da Terra são abençoadas (Hb 11.8-13). José foi vendido e preso injustamente por anos. Não se vingou e nem precisou puxar o tapete de ninguém para dar a volta por cima. Antes, com fé no que Deus estava fazendo através da circunstância, de prisioneiro, se tornou governador do Egito (Gn 41.37-55).

A mulher que ungiu a Jesus tinha uma vida de vergonha até ter um encontro com Ele. O ato de amor dessa mulher foi repassado a todas as gerações seguintes (Lc 7.36-50 e Mc 14.9). Lázaro, o amigo de Jesus, ficou morto por quatro dias até Jesus aparecer, e a morte dele manifestou a glória de Deus diante dos homens (João 11).

Jó, o homem que tinha tudo e na mesma proporção tudo perdeu. Sofreu muito, mas foi recompensado por Deus, tendo toda sua vida e bens restituídos (Jó 42.10-17). Jesus, sem pecado, morreu por todos nós. Ele não merecia sofrer, mas graças a este sacrifício de amor todos nós podemos ser salvos e passar a eternidade com Ele (João 3.16).

Minha amiga Andréia por anos tentou engravidar, a medicina dizia não, mas Deus disse o contrário e hoje contemplamos a Luiza crescendo e correndo alegremente pela casa. Meu amigo Carlos no começo do ano recebeu o diagnóstico de leucemia, ficou internado, longe da esposa e da filhinha de um ano. Mesmo sendo cristão, ministro de louvor e adorador, foi no leito de um hospital que ele pôde ter uma experiência profunda com Deus. Hoje, ainda em tratamento, ele dá seu testemunho impactante da obra de Deus em sua vida.

Minha prima Natália cresceu nos caminhos do Senhor, mas na adolescência se envolveu com coisas erradas. Tinha uma banda de rock, e até chegou tocar nos bares em troca de bebida.  Mas graças a Deus ela voltou para Jesus e hoje estuda e é uma fotógrafa bem sucedida. Na faculdade tornou-se referência, porque fala do amor de Deus para outros jovens. Agora está se aventurando em um intercâmbio na Nova Zelândia, para também abençoar outras vidas.

Meu marido cresceu sem estrutura familiar. Seu pai deixou sua mãe por outra mulher e ainda adolescente teve que se tornar o “homem da casa”, para ajudar a mãe e os irmãos. Mesmo assim, ele conseguiu gerar dentro de si uma fé inabalável que permanece até hoje. Ele é minha maior referência de como e por que nunca devemos desistir de Deus.

Depois de 10 anos vi meu primeiro livro ser publicado e quase 20 anos depois fiz meu primeiro intercâmbio. Ter paciência e controlar a ansiedade era um desafio constante. Até esse dia chegar, muralhas que pareciam instransponíveis surgiram diante de mim e confesso que muitas vezes achei que esses sonhos não se realizariam. Tudo cooperou para o meu bem e hoje posso testemunhar!

Mas você pode se perguntar: o que estas histórias têm em comum? Algumas aconteceram na bíblia e outras estão acontecendo em nossos dias por que a palavra de Deus é imutável e fiel. Todas essas histórias, de dores a tragédias tiveram suas vidas reescritas para terem um final feliz, pois isso é o que Deus ama fazer, dar um final feliz para seus servos, mesmo que seja em situações de causas impossíveis como a de morte.

Diante das impossibilidades que aparecem como a morte de um ente querido, um diagnóstico médico, drogas ou algo que nos faça tremer, podemos escolher viver amargurados com Deus ou agradecer a Ele pelos anos que nos permitiu viver aqui, ao lado das pessoas que amamos ou que aprendemos a amar.

Pode até parecer que não, mas todos os dias vivemos um milagre, o da vida. Acredito que para todos nós há um final feliz à nossa espera. É só não desistirmos da vida, de sorrir, amar a Deus, de termos um coração grato e adorá-lo por quem Ele é, a qualquer hora e lugar. “Sabemos que todas as coisas, cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8.28).

:: Jaqueline Sales

jacksantos.sales@gmail.com

www.novoblogdajack.blogspot.com

Autora do livro Devocional para jovens solteiros