Nenhum Comentário

Cristão e Política: Estratégias de Guerra

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Um dos sermões mais pregados na atualidade é o que encontramos em Lucas 4.1-13, que relata os 40 (quarenta) dias de jejum de Jesus. Essa passagem inspiradora nos mostra o sacrifício e a consagração de Jesus, bem como a forma maravilhosa que Ele resiste à tentação.

O texto de hoje, entretanto, tem como foco não apenas as estratégias de Jesus para vencer satanás, mas, sim, as estratégias do diabo para enganar Jesus e destruir o plano de salvação de Deus para a humanidade.

Em um momento delicado e de bastante vulnerabilidade de Jesus – já que Ele estava sem comida há mais de um mês -, o diabo lança vários questionamentos que tinham como objetivo fazê-lo pecar. Nota-se, porém, que satanás utilizou de verdades bíblicas para conduzir Jesus ao engano:

“Se Tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão” (Lc 4.3).

“Disse-lhe: Se Tu és o Filho de Deus, lança-Te daqui abaixo; porque está escrito: Mandará aos Seus anjos, acerca de Ti, que Te guardem, e que Te sustenham nas mãos, para que nunca tropeces com o Teu pé em alguma pedra” (Lc 4.9-11).

Ora, como isso pôde ser possível? Satanás conhece a Palavra de Deus? Sim, o inimigo das nossas almas conhece a Palavra de Deus e não possui qualquer tipo de escrúpulo ou respeito para usar as Escrituras com a finalidade de gerar engano, confusão e nos conduzir ao pecado.

Infelizmente é muito comum perceber que alguns irmãos em Cristo utilizam a Palavra de Deus para, erroneamente, justificar sua apatia cidadã. Os argumentos são dos mais variados, mas todos tentam afastar o cristão da realidade para “consagrá-lo” apenas aos desígnios sagrados da igreja.

Afirmações como: “Jesus não foi político”; “não devemos nos misturar com as coisas deste mundo, pois Jesus está voltando”, ou até mesmo “não há nada a ser feito, porque o mundo jaz do maligno” não são mentiras por completo, mas estão amparadas em premissas erradas. Esta mentalidade tem enfraquecido a igreja, minimizando o seu potencial de trazer a luz de Cristo a todas as áreas da sociedade.

Percebemos, por meio do exemplo de Jesus, que Ele venceu a estratégia maligna de deturpar a Palavra de Deus por meio da própria Palavra de Deus. Jesus entendia qual era o verdadeiro significado de todos aqueles versos usados pelo diabo, e que o objetivo de satanás era tão somente o de trazer confusão.

Assim, antes de aceitar interpretações bíblicas que te afastam do propósito de ser sal e luz nesta sociedade, faça como Jesus: leia a Bíblia, ore e jejue, pois, desta forma, seremos capazes de discernir as artimanhas de nosso inimigo.

:: Flávia Raíssa Said – Grupo de Ação Política