Nenhum Comentário

Dia da Cruz: vida, perdão, cura e filiação

Dia da CruzHoje, 14 de setembro, é celebrado o Dia da Cruz. Símbolo de morte, agora, para nós, cristãos, a cruz é sinônimo de vida. A obra sofredora de Jesus grita o nosso nome para a redenção. Aquele que aceita o chamado é crucificado; não, porém, para a morte, mas para uma vida em Cristo.

Isso porque, pela cruz, fomos salvos, “pois o Filho do Homem [Jesus] veio buscar e salvar o que estava perdido” (Lucas 19.10). E, desde então, todo aquele que “confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos será SALVO” (Romanos 10.9). Na cruz, Cristo nos resgatou da Lei para a Sua maravilhosa graça, pela qual recebemos a vida eterna! “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2.8-9).

Pela cruz, ganhamos o perdão dos nossos pecados, pois, “Aquele [Jesus] que não conheceu pecado, Ele o fez pecado por nós; para que, Nele, fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Coríntios 5.21). Sim, nós, que estávamos mortos em pecados, fomos vivificados por Deus juntamente com Cristo. Além de nos salvar, o Senhor venceu a morte para nos libertar da escravidão do pecado. “Ele nos PERDOOU todas as transgressões e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz, e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz” (Colossenses 2.11-15).

Pela cruz, também fomos curados de todas as enfermidades adquiridas desde a queda do homem no Jardim do Éden. Isso porque “certamente Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades e sobre Si levou as nossas doenças, contudo nós O consideramos castigado por Deus, por Ele atingido e afligido. Mas Ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre Ele, e pelas Suas feridas fomos CURADOS” (Isaías 53.4,5).

Pela cruz, fomos, ainda, feitos filhos de Deus! Nossa nova identidade está gravada nas mãos de Jesus! “Será que uma mãe pode esquecer do seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do FILHO que gerou? Embora ela possa se esquecer, Eu não me esquecerei de você! Veja, Eu GRAVEI você nas palmas das minhas MÃOS; seus muros estão sempre diante de mim” (Isaías 49.15,16). “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo o que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16).

A obra de Cristo na cruz do calvário foi completa. Ele nos salvou, perdoou os nossos pecados, nos curou de todas as doenças e perdeu o direito de ser chamado Unigênito para Se tornar o Primogênito de muitos irmãos, visto que, por meio Dele, o Seu Pai ganhou uma multidão de filhos, a saber, nós. Aleluia!

:: THAIS OLIVEIRA