Nenhum Comentário

Faça a obra com prazer, não por obrigação

Devocional“Se o faço de livre vontade, tenho galardão; mas, se constrangido, é, então, a responsabilidade de despenseiro que me está confiada” (1 Coríntios 9.17).

Paulo trabalhou muito em sua missão de anunciar o Evangelho. E, nessa caminhada, ele aprendeu algo importantíssimo: fazer querendo fazer! É comum alguém fazer algo para DEUS, simplesmente, porque é o correto a fazer, e levar aquilo como sendo uma obrigação. É como o obedecer: eu posso obedecer somente porque é certo obedecer, mas não tendo vontade de obedecer. Obedeço como sendo uma obrigação, pois sei que é o correto. O proveito disso é minúsculo. Mas o proveito de obedecer a DEUS e fazer Sua vontade querendo fazer, gostando de fazer, é um proveito imenso. Paulo diz que era obrigação dele anunciar o Evangelho e realizar a vontade de DEUS, mas, ainda assim, ele fazia com boa vontade. É como um garçom de um restaurante: seu trabalho é servir as mesas e seus clientes. E assim ele trabalha de modo bem-feito. Mas aqueles que são agradáveis, que demonstram prazer em servir, que se empenham em fazer, e fazer bem-feito – e isso é nítido em seu querer servir -, recebem gorjetas.

Paulo explica que existem os despenseiros, que é a mesma função de um garçom. Ele diz que é um destes, pois essa é sua responsabilidade. Mas ele explica que faz mais, faz além. Ele não trata sua missão como uma obrigação, e, sim, como um prazer. Talvez seja esse o motivo pelo qual ele fez tanto, e já estava ultrapassando a linha, indo além dos limites, alcançando lugares que outros nem perto chegavam. Dessa forma ele foi de despenseiro a “realizador” de grandes coisas. Com ele eu aprendo que o ponto é: fazer com prazer, querendo fazer.

:: CHRISTIAN CLAYTON