Nenhum Comentário

Força, glória e alegria na fraqueza

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

“[…] nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou Seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que Ele nos concedeu” (Romanos 5.3-5). “Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois quando sou fraco é que sou forte” (2 Coríntios 12.10).

Na carta aos romanos e na primeira carta aos coríntios, Paulo fala sobre força, glória e alegria na fraqueza. Parece contraditório, mas, se fizermos uma avaliação da Palavra de Deus, perceberemos que muitas coisas que são convenção para os humanos são diferentes na visão de Deus. Por exemplo:

• “[…] quem quiser salvar a sua vida a perderá, mas quem perder a vida por minha causa, a encontrará” (Mateus 16.25).

• “[…] quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo” (Mateus 20.26).

• “Quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo” (Mateus 20.27).

Para muitos, isso pode parecer loucura. Da mesma forma, para o mundo, tribulações, insultos, necessidades, perseguições e angústias são sinais de fraqueza, desesperança, destruição e motivos para desânimo, desistência e medo. Mas a Palavra nos ensina exatamente o contrário:

  1. A tribulação produz perseverança: se estivermos atribulados, sabemos que isso nos tornará mais aptos a perseverar, a não desistir facilmente das coisas. Uma vez que perseveramos:
  2. A perseverança produz um caráter aprovado em nós: ou seja, não seremos vistos como aqueles que sempre desistem diante da tribulação; nos manteremos firmes nas nossas decisões, não abandonaremos o que Deus nos chamou para fazer, seremos fiéis naquilo que cabe a nós fazer. E, uma vez, que temos um caráter aprovado:
  3. O caráter aprovado produz esperança: então, sabemos que, quando somos aprovados diante de Deus e das pessoas, com uma vida de retidão e santidade, seguindo os caminhos do Senhor, podemos esperar que o melhor acontecerá na nossa vida e na vida dos que estão ao nosso redor.
  4. E essa esperança não nos decepciona: mesmo que nada saia do jeito como esperamos, não nos decepcionaremos, porque o amor do Pai foi derramado em nossos corações.

Cientes do que Paulo disse – “quando sou fraco é que sou forte” – e avaliando nossa própria vida, não é que é isso mesmo que muitas vezes acontece conosco? O que fazemos quando estamos passando por alguma situação difícil? Geralmente, oramos mais, choramos mais, ficamos mais sensíveis à voz do Espírito Santo, e tudo isso vem estreitando nosso relacionamento com o Pai e nos sustentando de maneira tal que não desanimamos, mas recebemos um “gás do Céu” para continuar. Assim, nos gloriamos, nos alegramos e nos fortalecemos mesmo em dias de fraqueza e tribulação.

:: Dayane Nascimento