O Pr. Lucinho Barreto adverte que ela é “a anti-sala do adultério, da prostituição, da homossexualidade e da bissexualidade”

Nestes “fins dos tempos” nos deparamos com inúmeros desafios para viver uma vida de santidade ao Senhor. A mídia tem veiculado cada vez mais conteúdos apelativos, cooperando com a banalização do sexo. A Internet é conhecida por ser a “terra de ninguém” e ao mesmo tempo de todos. Qualquer tipo de conteúdo pode ser acessado e publicado, inclusive os mais promíscuos e libertinos como a pornografia.

Sites sugestivos com imagens e textos que instigam o prazer da carne, vídeos que mostram o ato sexual com baixarias e outros tipos de veiculação da pornografia estão cada vez mais perto e fáceis de serem vistos. Até mesmo a publicidade tem utilizado o recurso da nudez e sexualidade, principalmente das mulheres, para vender os seus produtos. Em época de Dia dos Namorados tire o seu filho de perto da televisão, mas o tempo inteiro fique de olho com o que é que “aparece” na tela do computador dele. Um estudo recente revelou que 9 entre 10 crianças com idades entre 8 e 16 anos já viram pornografia online, a maioria sem intenção de ver, quando usavam a Internet para fazer a lição de casa.

O maior problema é que ela se torna um vício para pessoas de todas as idades, criando uma “bola de neve” que cresce à medida que satisfaz desejos carnais, e a carne quer sempre mais. “A pornografia é a anti-sala do adultério, da prostituição, da homossexualidade e da bissexualidade. Não conheço uma pessoa que cometa pecados graves na área sexual que primeiro não esteve envolvido com a pornografia. Ela introduz a pessoa em um mundo de perversidade”, comenta o Pr. Lucio Barreto, o “Lucinho”.

O tempo todo a Bíblia condena mostrar a nudez (Lv 18.7-23), o pecado contra o corpo e a vida devassa (1Co 6.10) “A primeira coisa que Deus fez foi matar um animal e cobrir Adão e Eva, porque aquilo já era uma exposição que Deus não queria. No Antigo Testamento Deus mandava o sacerdote usar um tipo de short debaixo da Torga sacerdotal para não mostrar suas partes íntimas. Deus se preocupa com isso em todo o tempo porque a nudez é para ser descoberta somente dentro do casamento (Gn 2.24)”, completa Lucinho.

No Novo Testamento, a palavra citada em inúmeros versículos, em grego, é porneia, significa qualquer mau uso do corpo que fere a Palavra de Deus e a santidade do Senhor. E geralmente isso vem por meio da exposição do corpo e do sexo fora, ou antes, do casamento. Nas versões em português lemos adultério, prostituição, imoralidade etc. “Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.” (Apocalipse 22.15) “O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros.” (Hebreus 13.4) “Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem (…)Eu os advirto, como antes já os adverti, que os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.” (Gálatas 5.19,21)

Entre os cristãos, a pornografia tem sido a armadilha do diabo para acabar com famílias e futuros lares, tornando jovens escravos da carne e cegos diante da liberdade que têm em Jesus para viver uma vida de santidade. “A pornografia traz tristeza, e te deixa muito mal por dentro. Em segundos você vai do êxtase à normalidade, e na maioria das vezes fica pior, pois, consumir a pornografia traz angustia para o espírito, arrependimento e tristeza de ter aberto mão de fazer a vontade de Deus para dar espaço a carne, somente por um prazer momentâneo. É como trocar uma mesa farta por um prato de lentilhas, pois sabemos que é errado e não leva a absolutamente nada.”, compartilha R., que tem vencido diariamente a tentação buscando ao Senhor.

Pais instruam seus filhos para que não caiam nesse laço. Se você jovem está viciado em pornografia, precisa buscar ajuda. “Principalmente você jovem cristão. Tem coisa na vida que resolvemos sozinho, mas isso não. Procura um líder de jovens ou um pastor. Infelizmente muitos jovens têm vergonha, mas conheço pessoas que venderam o computador para vencerem a pornografia. Tenho considerado a pornografia uma epidemia, por isso já dou ‘de cara’ o conselho para a pessoa procurar ajuda. Porque só da pessoa saber que tem alguém sabendo desse problema e que ela será questionada se continua presa ao vício ou não, isso já é uma vacina”, orienta Lucinho.

 “Sempre me sentia culpado, com o sentimento de que tudo o que havia orado não valia mais e sempre vinha o remorso. Até que com o tempo o Senhor ocupou a minha vida e hoje fujo da tentação, principalmente quando acesso a internet”, comenta F. que passou a adolescência enfrentando o problema. Adolescente, jovem ou adulto, para todas as idades, a dica do Pr. Lucinho é a mesma: “Eu sou muito oito ou oitenta. Sabe o que faço? Deito na cama e fico me imaginando ir para o inferno por causa de uma coisa tão boa como o sexo – porque na adolescência fui preso a pornografia e sei o quanto isso é destruidor e viciante. Ir para o inferno por causa de sexo, que é uma coisa boa não dá. E quando você começa a enxergar a pornografia como uma coisa que te leva para o inferno então você se policia para não entrar nessa. Não basta você pensar que a pornografia é algo ruim, ela é algo que te leva para o inferno, então fuja”.

 ::Stephanie Zanandrais

Procure ajuda com o Pr. Marcelo Evangelista (31) 8402-9744. Envie um e-mail: marcelo.evangelista@lagoinha.com