Nenhum Comentário

Honre ao Senhor com seus bens

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

O verbo “honrar” significa “distinguir, fazer diferença”. E é isso que Deus espera de nós! Muito mais do que dízimos e ofertas, Ele espera que O honremos! “Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares” (Pv 3.9,10). Temos aqui uma promessa de Deus que tem o Seu “sim” e o Seu “amém” (2 Co 1.21). O texto de Provérbios fala de Deus suprindo abundantemente o Seu povo com a Sua provisão. Isso não se aplica somente a celeiros e lagares hoje, de forma literal, como no caso dos judeus daquela época, mas também devemos entender que Deus está Se referindo a uma provisão abundante.

A vontade de Deus é suprir as necessidades materiais dos Seus filhos. Há diversas promessas na Bíblia que se referem a isso (Sl 23.1; Fl 4.19). Contudo não acontece de forma automática. Essa promessa é condicional, ou seja, não se cumpre por si só, mas depende de cada um de nós para que possa ser concretizada. O texto bíblico acima pode ser dividido em duas partes: o que nós temos que fazer, e o que Deus fará depois que fizermos a nossa parte. Essa promessa divina é sobre provisão e prosperidade (não entenda como “riqueza”) e revela a vontade do próprio Deus para Seus filhos. Contudo muitos crentes sinceros não a experimentam. Acredito que isso tem ocorrido justamente porque há uma dimensão de entendimento por trás dessa promessa que ainda não foi alcançada pela maioria dos crentes.

Temos ouvido muito sobre as bênçãos do dar, e acredito nesta doutrina, porque é bíblica. Mas a Palavra de Deus não nos ensina somente a dar, mas ensina também a forma certa de fazê-lo! Creio que esse texto nos revela mais sobre a atitude correta que devemos ter ao dar do que sobre a dádiva em si. O conselho que Deus nos dá por meio de Salomão é o de honrarmos ao Senhor com os nossos bens. O que está em questão aqui é a manifestação da honra, e não os bens em si. O uso dos bens é só um meio de expressarmos essa honra. Deus não está interessado em nossas ofertas, e, sim, na atitude que nos leva a entregar a Ele as nossas ofertas. Um dos maiores exemplos disso está no que Deus pediu a Abraão: o sacrifício de Isaque (Gn 22.1-10). Na hora de imolar o filho, o patriarca foi impedido de fazê-lo, e o Senhor deixou claro que Ele só queria a expressão da honra, e não privá-lo de seu filho. Ao pedir justamente o que Abraão mais amava, o Senhor estava lhe dando uma oportunidade de honrá-Lo tremendamente.

Vemos o mesmo princípio revelado de forma inversa, quando Ananias e Safira trouxeram uma oferta de alto valor, mas com a motivação errada e recheada de mentira. O que aconteceu? Deus se agradou? De forma alguma! Lemos em Atos 5.1-5 que o Senhor os julgou pelo que fizeram. O Pai celestial não queria o dinheiro deles, e, sim, uma atitude de honra. Portanto Deus deseja ser distinguido de todas as demais coisas em nossas vidas, mesmo as que temos como mais preciosas.

:: Pr. Luciano Subirá

Converse sobre esse tema com o pastor Célio Fernando (31) 98477-0034 ou com Inês (31) 98469-1511.