7 Comentários

Missionárias da Lagoinha no centro da epidemia do Ebola

Tendo em vista que as missionárias Marilene e Ivani, ambas da Lagoinha, trabalham num dos países afetados pela epidemia do Ebola, solicitamos a elas que nos relatassem exatamente o que está acontecendo e nos informasse os motivos de oração. Abaixo, portanto, uma carta bem elucidativa enviada pelas missionárias. Leia e ore!

Marilene e Ivani

Missionárias Marilene e Ivani

Amada família Lagoinha, graça e paz!

Primeiramente queremos agradecê-los por todas as orações e palavras de encorajamento neste tempo de grandes desafios, mas superáveis, pois confiamos Naquele que tem todo poder de nos guardar e nos livrar de todo mal! “Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor” (Jr 17.7). Ele tem o controle da História.

Residimos aqui em Bissau (capital) e apesar de todo alerta, até hoje não foi detectado nenhum caso de Ebola em território guineense, e não será em nome de Jesus. Todavia, numa aldeia da Guiné-Conacri, próxima da Guiné- Bissau, registrou-se mortes. Isso levou ao reforço das medidas de controle nas fronteiras guineenses. Mas não deixa de ser motivo de grande preocupação, pois conversando com alguns guineenses percebemos que em sua grande maioria eles não estão bem esclarecidos sobre a atual situação, prevenção, sem contar que estamos no período de férias, então nem nas escolas há esclarecimentos e poucos têm acesso aos meios de comunicação como a televisão. Aqui não perdemos oportunidade, falamos, alertamos aqueles com quem convivemos. Até fazemos um estudo de célula mais direcionado neste assunto, a fim de alertamos os irmãos. Por meio de uma mulher que estamos evangelizando e que é secretária da Organização Mundial de Saúde (OMS) aqui em Bissau, conseguimos o contato de um médico, e o convidamos para ir até a igreja que servimos aqui em Bissau para prestar mais esclarecimentos aos irmãos. Esta secretária da OMS também nos ofereceu um treinamento breve, junto ao médico, para alertamos mais irmãos nos núcleos da nossa igreja aqui.

Segundo dados fornecidos pela Internet, em relação às outras epidemias, este caso é mais grave no ponto de vista geográfico. O foco da doença está nas periferias de Serra Leoa, Libéria, Guiné-Conacri e Nigéria, locais sem saneamento básico, onde há pouca limpeza do próprio sangue que jorra dos doentes. No total, até 27 de julho, há registros de 1.323 casos de Ebola, sendo que 729 morreram, entre os quais, 47 em apenas 4 dias. A febre que provoca se manifesta com hemorragias, vômitos e diarreia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu uma “ação drástica” para conter o surto, considerado o maior do mundo em termos de casos, mortes e área atingida. O Ebola é uma doença que pode ser combatida com medidas muito básicas de limpeza, tais como, lavar as mãos e manter a higiene na casa. Mas na periferia desses países e mesmo nos hospitais com estrutura precária, não há limpeza e, às vezes, nem materiais simples como luvas e agulhas, o que torna mais fácil o contacto com esses fluídos.

A tarefa de comunicação e de sensibilização dos habitantes torna-se mais desafiadora à medida que eles têm uma “antropologia medicinal” própria para lidar com doenças. Nesse sentido, para evitar que haja contaminação, os familiares não devem tocar os corpos dos falecidos, sendo que o costume da maioria dos africanos é de tocar nas pessoas mortas, banhos nos rituais funerários. Como a contaminação se dá pelo contato físico, isso multiplica a propagação da doença.

MOTIVOS DE ORAÇÃO:

• Pela África Ocidental, para que esse vírus seja destruído, em nome de Jesus. • Pelos médicos e enfermeiros, pois há grande perigo de contaminação.

• Pela conscientização de cada africano, no sentido de cuidados e prevenção. • Pelos missionários(as) aqui da África Ocidental, para que o Senhor venha nos blindar, livrando-nos de toda contaminação.

• Por nossos familiares, para que possam descansar no Senhor que tem cuidado de nós.

“Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não vos assusteis; pois é necessário que primeiro aconteçam estas coisas, mas o fim não será logo. Então, lhes disse: levantar-se-á nações contra nação, e reino, contra reino; haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais no céu” (Lucas 21.9-11).

No amor do Pai.

Missionárias Marilene e Ivani

Foto: Arquivo Pessoal