Esteja preparado para não ser surpreendido.

 

Você saberia dizer qual foi a última pregação que falava a respeito da volta de Cristo? Saberia dizer quando você cantou uma música que dizia: “Maranata! Ora vem Senhor Jesus”? E qual foi o último dia em que você leu sobre o fim dos tempos?

Não há nenhum problema em ouvirmos pregações a respeito do que Deus tem para nós. Afinal, o que Ele tem preparado para seus filhos tem se cumprido e se cumprirá até a vinda de Cristo. Mas, o que não podemos nos esquecer é que estamos vivendo aqueles últimos dias que lemos na Bíblia em inúmeras passagens. “Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências.” (2 Pedro 3.3), “E acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do SENHOR no cume dos montes, e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações.” (Isaías 2.2).

No capítulo 24 de Mateus, Jesus ensina seus discípulos sobre o fim do mundo. Leia e repare que, no versículo 3, Jesus conversa com eles em particular. Ele fala diretamente para nós, sua Igreja. O Senhor se preocupa em alertar seus filhos para que estejam preparados para enfrentar os sinais do fim sem que percam a fé e assim, a vinda de Jesus. Mas, será que a Igreja está preparada para a vinda repentina de Jesus? Discorrendo os versículos de Mateus 24, façamos uma comparação com algumas situações que já aconteceram e estão acontecendo ao redor do mundo, para avaliarmos melhor a nossa posição, como Corpo de Cristo, diante da Palavra de alerta que Cristo, o Cabeça, nos dá em sua Palavra.

“Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.” (versículo 4). Milhares de pessoas são enganadas por religiões que pregam a respeito de um Deus que aceita atitudes e pensamentos “moderno-liberais”, e que pode ser adorado por meio de imagens de esculturas e pessoas mortas. Na mídia já vimos denúncia de seitas e igrejas cujos líderes adotam uma postura de deuses na Terra, como nos EUA com o triste caso do suicídio em massa dos membros da igreja Templo dos Povos, liderados por Jim Jones, responsável pela morte de mais de 900 pessoas no final da década de 1970. Infelizmente, seitas e falsos lideres têm surgido e enganado a muitos brasileiros, e a Igreja de Cristo precisa estar alerta e interceder por essas vidas que se perdem em meio a tantos discursos encantadores.

 

“E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.” (versículos 11 e 12).  Segundo pesquisa realizada em 2009 nos EUA, o número de americanos que afirmam não ter religião passou de 8,1% na década de 1990 para 15% em 2008. Ainda segundo a pesquisa American Religious Identification Survey muitos que responderam não fazer parte de nenhuma religião moram em regiões conservadoras, e entre os jovens o número de “desconvertidos” ultrapassa 60% e a maioria deles cresceram em famílias religiosas. Além disso, o número de casos de abandono, aborto e agressão doméstica tem aumentado consideravelmente. Apesar de o Brasil estar entre os países que não possuem estatísticas a respeito da violência doméstica contra crianças e adolescentes, uma pesquisa realizada pelo Laboratório de Estudos da Criança (LACRI) aponta que entre 1996 e 2004 o número de casos de violência doméstica chegou a 110.250, sendo que 473 desses casos foram fatais. Em todo mundo houve 468 mil homicídios no ano de 2010, dos quais 36% foram cometidos na África, 31% nas Américas, 27% na Ásia, 5% na Europa e 1% na Oceania, segundo o “Estudo global sobre homicídios” que foi divulgado pelo Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC).

“Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim.” (versículo 46). A Bíblia traz ensinamentos claros a respeito do homossexualismo (1 Coríntios 6.10), o sexo fora do casamento (1 Coríntios 5, 7.9 e 1 Tessalonicenses 4.3) e o divórcio (Mateus 19.6). Infelizmente, muitos filhos de Deus têm feito escolhas erradas e colhido situações que fogem do padrão bíblico. A crise conjugal entre os casais evangélicos, tomando por base o número de pessoas que o Ministério Pérola da Lagoinha [divórcio] recebe, é entristecedor. Em média 25 pessoas procuram a pastora Paoletti Nunes semanalmente para um aconselhamento na área conjugal. Entre essas situações, outras inúmeras têm acontecido numa estratégia do inimigo de dispersar a Igreja e torná-la despreparada para a volta de Cristo.

 

:: Stephanie Zanandrais

Stephanie.zanandrais@lagoinha.com