Leia a história vencedora do concurso Uma História de Amor, lançado no Dia dos Namorados

…………………..
Meu nome é Poliana e tenho 29 anos. Há cinco anos passei por uma fase muito triste, quando minha filha tinha apenas nove meses de vida, hoje ela está com seis anos. O pai, com quem era casada, conversou comigo e disse: Não quero mais, nosso casamento acabou. Foi para mim um dos piores momentos ministeriais também, fazia parte de dois em minha igreja, senti muita vergonha e tive que enfrentar o julgamento das pessoas, pois a palavra de Deus abomina o divórcio, a não ser em caso de adultério.

Apesar dessa situação não deixei de temer ao Senhor e fiz o possível para reatar o nosso casamento. Orei aproximadamente três anos para que isso acontecesse, porém ele não queria, a resposta que ouvia era sempreNão. Estava muito difícil passar por isso, sofri em minha alma, pois o amava muito. Na virada do ano de 2009, clamei a Deus para que tirasse do meu coração todo sentimento que havia pelo meu ex-marido, já que não era correspondido. Fiquei três anos sozinha, engordei quase 30 quilos, não conseguia mais me olhar pelo espelho.

No dia três de janeiro de 2010 recebi o telefonema de uma empresa para entrevista de emprego, uma amiga que era funcionária nesse lugar, e que morava longe como eu, me disse que para chegar ao trabalho, pegava uma carona com um amigo de nome Marcos o e que poderia ir com eles. Na manhã seguinte, ele parou o carro na porta da minha casa e a partir desse dia iniciou a nossa amizade. Em momento algum olhei para ele com um olhar “intencional”, já que eu tinha um complexo de inferioridade muito grande, que fazia com que me sentisse gorda e feia.

A nossa amizade crescia e diariamente nos falávamos por telefone, sem intenção alguma. Mas certo dia saímos e percebi que estava “rolando” um clima entre nós; porém, estava apreensiva com toda a situação. Então, disse a ele: Somente depois do namoro você poderá me beijar. Ele se assustou, pois éramos apenas amigos, e me respondeu no momento: Não quero namorar por enquanto. Fiquei muito triste, mas essa resposta não impediu que continuássemos amigos.

No dia do meu aniversário algo novo aconteceu: Marcos me convidou para sair e me pediu em namoro. Não sabia se tremia ou chorava. Disse muitas coisas para ele a respeito da minha aparência, pois me sentia gorda, além disso, tinha uma filha e era separada. Entretanto, recebi uma resposta que qualquer mulher na minha situação gostaria de ouvir: Não estou olhando sua aparência, nesse período em que nos tornamos amigos a observei e vi que é uma grande mulher, por tudo que você é e não pelo que já foi”.

Começamos a namorar, ele muito romântico, atencioso, um grande companheiro, sempre me envia flores. Namoramos por um ano e decidimos nos casar. Em setembro do ano passado fui submetida a uma cirurgia, minha recuperação foi difícil, e nesse período me certifiquei ainda mais do quanto ele me amava. Lembrei-me da palavra de Deus em 1 Coríntios 13.7: “O amor tudo sofre, tudo espera, tudo suporta.” Marcos cuidou de mim, esteve ao meu lado durante todo tempo. Saía do trabalho para o hospital, do hospital para o trabalho.

Em fevereiro deste ano nos casamos e estamos mais felizes ainda. Emagreci 32 quilos, estou radiante de tanta felicidade. Por mais que ele dizia que iria me amar “gordinha” ou “magrinha”, no fundo o meu desejo era ficar com a aparência melhor. Normalmente quem tem o sonho de ter um filho é a mulher; porém, na nossa história, é ele quem sonha em ser pai. Em dezembro de 2013 vou me formar, e temos planos de engravidar após minha formatura.

Este é o resumo da minha história de amor, um amor que venceu frustrações, julgamentos e aparências, mas acima de tudo, um amor único e verdadeiro, em que apenas os sentimentos de carinho e o companheirismo reinam. Lembro muito da palavra de Deus em que Jesus diz: “Vem como estás”. Meu “namorido” fez o mesmo comigo, me aceitou, me amou e continuará me amando muito.

 

 Poliana Seixas

polianaseixas@yahoo.com.br

Vencedora do concurso Uma História de Amor.