Nenhum Comentário

O que é blasfêmia contra o Espírito Santo?

Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

“Por esse motivo Eu lhes digo: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada” (Mateus 12.31).

Um dos assuntos bíblicos que mais geram dúvidas é sobre a blasfêmia contra o Espírito Santo. Contudo, se lermos cuidadosamente as Escrituras, entenderemos melhor do que Jesus estava falando.

Pouco antes de afirmar que a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada, Jesus cura e liberta um homem. O fato chamou a atenção do povo, que O reconheceu como o Messias prometido. Os fariseus, porém, não tiveram a mesma atitude. “Então levaram-Lhe um endemoninhado que era cego e mudo, e Jesus o curou, de modo que ele pôde falar e ver. Todo o povo ficou atônito e disse: ‘Não será este o Filho de Davi?’ Mas, quando os fariseus ouviram isso, disseram: ‘É somente por Belzebu, o príncipe dos demônios, que Ele expulsa demônios’” (Mateus 12.22-24).

Perceba que os fariseus tinham visto sinais que somente seriam possíveis fazer por meio de Deus. Mesmo sabendo disso, aqueles homens mantiveram o coração duro e afirmaram que Cristo havia expulsado demônios por Belzebu, isto é, pelo próprio diabo. Jesus argumenta que, se satanás expulsa satanás, está dividido contra si mesmo, e, dessa forma, nenhum reino pode sobreviver. “E, se Eu expulso demônios por Belzebu, por quem os expulsam os filhos de vocês? Por isso eles mesmos serão juízes sobre vocês. Mas, se é pelo Espírito de Deus que Eu expulso demônios, então, chegou a vocês o Reino de Deus” (Mateus 12.27,28).

Cristo continuou a explicação dizendo que uma pessoa não pode entrar na casa de um homem forte e roubar os seus bens sem amarrá-lo antes (Mateus 12.29). Da mesma forma, para expulsar espíritos malignos, é preciso amarrá-los, o que só pode ser feito pelo poder do Espírito Santo que opera por meio de nós. Assim Jesus reafirma que é pelo Espírito de Deus que expulsa demônios.

Ele ainda anuncia aos fariseus que o Reino de Deus havia chegado até eles. Isso significa que a salvação, que é o próprio Jesus, estava naquele lugar. Os fariseus, porém, rejeitaram o Cristo. E aquele que não está com Jesus está contra Ele (Mateus 12.30a). “E aquele que comigo não ajunta espalha. Por esse motivo Eu lhes digo: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada” (Mateus 12.30b,31).

Blasfemar é difamar o Senhor Jesus

Podemos entender, então, que blasfemar contra o Espírito Santo é dizer que as Suas obras são de satanás, mesmo diante de amostras incontestáveis do poder sagrado. Portanto esse tipo de blasfêmia só existe quando a pessoa está convencida de que o Espírito está ali, mas nega-O deliberadamente, creditando o Seu poder aos demônios. Só pessoas que, um dia, conheceram o Espírito Santo verdadeiramente podem blasfemar contra Ele, pois podem reconhecê-Lo. O mundo não se encaixa nesse caso porque tem o entendimento sobre o sagrado ainda obscuro e não é capaz de discernir as coisas espirituais (1 Coríntios 2.14-16).

Essa atitude é semelhante à apostasia, ou seja, quando há renúncia ou abandono da fé. “Ora para aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento; pois para si mesmos estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-O à desonra pública” (Hebreus 6.4-6). Em resumo, trata-se de mentes cauterizadas, para as quais o arrependimento é impossível. A palavra “arrependimento”, na Bíblia, tem o significado de “metanoia”, isto é, mudança no pensamento ou no sentimento.

Se você tem medo de já ter blasfemado contra o Espírito Santo, é porque, provavelmente, não blasfemou, pois o Senhor ainda te convence do pecado, da justiça e do juízo (João 16.7) e de Seu poder sagrado. Quem blasfema contra o Espírito não tem a capacidade de repensar a respeito dessa conduta, porque tapou os próprios olhos para não se submeter a Deus e, ainda, difama-O, mesmo ciente de tal pecado.

:: THAIS OLIVEIRA