9 Comentários

Pastor visita missionários e conta experiência sobre a Rússia

Locais visitados

cenas da cidade visitada pelo pastor Jean

Em outubro do ano passado, o pastor Jean Carlos, juntamente com seus filhos e sua esposa, foram para a Sibéria, na Rússia, visitar uma família de missionários que já vive naquele país há dez anos. O objetivo da viagem foi ministrar ao coração e trazer ânimo a essa família que está no campo.

A Sibéria é a região mais fria da Rússia, e Jean descobriu ao visitar aquele lugar que as pessoas ali também tinham frieza em seus relacionamentos. Os russos são muito fechados e não sorriem com facilidade. Na igreja, era possível notar que o relacionamento era mais desenvolvido, mas no dia a dia, não. O histórico de socialismo contribuiu para que a cultura desse povo fosse assim, inclusive na maneira de enxergar Deus. “Ouvi isso de uma russa com cerca de 60 anos de idade: ‘Eu não tenho religião. Quando era mais nova me disseram: O comunismo é sua religião e Lênin é o seu deus’”, conta o pastor.

Na época do socialismo, muitos cristãos foram perseguidos, mas hoje, já passado algum tempo do fim do regime, ainda há certa perseguição velada. Os cristãos protestantes não são bem aceitos pela sociedade, e ser evangélico é considerado por alguns russos ser participante de uma seita.

Os missionários Letícia*, Fábio* e seus filhos passaram por rejeição por uma parte da sociedade. Tiveram que se mudar uma vez, por causa de uma política do governo que era contra os evangelistas e já tiveram a presença de policiais em casa. Contudo, apesar das dificuldades, amam a Rússia. “Ao conversar com eles é possível perceber que eles não pensam em passar suas vidas em outro lugar”, afirma Jean.

Pastor Jean ministra a Palavra em igreja Russa

Pastor Jean ministra a Palavra em igreja Russa

Atualmente, essa família de obreiros congrega em uma igreja russa e trabalha com um grupo caseiro de brasileiros, com aproximadamente dez pessoas, sendo que apenas o casal anfitrião é cristão. Além disso, realizam impactos evangelísticos em locais públicos na medida do possível (porque na Sibéria a temperatura chega a 40 graus abaixo de zero), e ajudam a igreja local.

Que ao orar, você se lembre da Rússia e de seu povo que tem muitas qualidades, mas ainda alimenta a amargura em seus corações por uma formação cultural do passado. Lembre-se também dos missionários que têm disposto suas vidas pela causa do Senhor, e que apesar das dificuldades não desistem.

*Nomes fictícios para proteção da identidade dos missionários.

Fotos: Arquivo Pessoal

:: Natália Celle