Nenhum Comentário

Santificação

A santificação trata do aspecto prático da vida cristã.

Se nossas vidas não forem transformadas quando nos aproximamos de Deus, alguma coisa está errada. Não fomos salvos para ficar sentados, esquentando bancos de igrejas, enchendo nossas mentes de simples conhecimento bíblico, sem que nada mude na prática.

Primeiramente, precisamos entender o que é santificação.

As cartas do apóstolo Paulo, geralmente são dirigidas aos santos que estão na cidade tal … , etc. No entanto, vemos Paulo repreendendo pessoas e apontando tantos erros, que nos perguntamos se aquilo poderia acontecer no meio de santos.

Todas a pessoas que verdadeiramente aceitam Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, são transformadas em santos no exato momento em que tomam esta decisão. Embora cada anjo tenha o seu próprio nome, nós os chamamos de “anjos”; eles , por sua vez, se referem ao povo de Deus como “santos”.

A maioria tem uma idéia errada e distorcida do que significa ser santo. No mundo, esta palavra tem até uma conotação pejorativa. A Bíblia, porém, diz que “sem santificação ninguém verá a Deus” (Hb 12:14). Aquele que é filho de Deus (este assunto é para os filhos de Deus) , precisa entender exatamente a santificação que Deus quer em sua vida.

Tg 1;18 – ” Pois segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas “.

Esta passagem está falando de pessoas que nasceram de novo. Deus nos gera pela palavra e pelo Espírito. Quando nascemos de novo ? Quando cremos na Palavra que diz que Jesus tomou o nosso lugar, morreu, foi sepultado e ressurgiu. Neste instante, um novo espírito é criado em nós, por isso somos uma “nova criação “(II Co 5:17) ; isto é, “nascemos de novo ” no espírito. Mas, no verso 21 diz que a Palavra, da qual nascemos, está implantada em nós, “a qual é poderosa para salvar as nossas almas”.

Afinal, fomos salvos quando nascemos de novo ? Sim ! O espírito nasceu de novo e está absolutamente salvo e habitado pelo Espírito Santo. Este verso, porém, está falando da salvação da alma. A alma é a personalidade ( mente, emoção, vontade). Ela precisa ser transformada à imagem de Cristo, ao caráter de Cristo. É disto que trata o assunto de santificação.

Hb 10:14 – ” Pois com uma só oferta tem aperfeiçoado para sempre os que estão sendo santificados.”

Todos os que nasceram de novo estão sendo santificados, mas já são chamados de santos.

Deus tem um plano perfeito e completo de salvação para o homem. Mas, ele só pode ser realizado e só funciona, se for de acordo com o que Deus programou. Este plano vem de cima para baixo, isto é, do céu para a terra; e não ao contrário. Aqui na terra, não há nada que possamos fazer, ou dar a Deus, em troca da salvação.

Os métodos de Deus, porém, são tão diferentes dos métodos do mundo, que a Bíblia revela que são loucura para os que se perdem. O mundo não entende o amor de Deus pelo homem, ao ponto de se tornar homem para morrer em seu lugar, pois este era o único meio de salvá-lo. A parte que cabe ao homem para ser salvo, é apenas crer nisto, e receber Jesus Cristo em sua vida. Quem fez tudo foi Jesus. Este é o método de Deus para nos salvar, mas Paulo diz que a Palavra da cruz é loucura para os que se perdem. Se o homem não der este passo, depois de sua morte física, estará eternamente separado de Deus.

At 16: 30-31 – “Senhores, que me é necessário fazer para me salvar? Responderam eles: Crê no Senhor Jesus e serás salvo…”

Eles não mandaram esta pessoa fazer sacrifícios, caridades, meditação, etc. Tinha somente que crer no Senhor Jesus !

Deus fez um programa de salvação :

I Co 1:30 – “É porém, por iniciativa dele que vocês estão em Cristo Jesus, o qual se tornou sabedoria de Deus para nós, isto é, justiça, santidade e redenção ”

O homem criou um problema sem solução, e somente a sabedoria de Deus poderia planejar a sua recuperação depois da queda. Esta sabedoria foi personificada e realizada em Jesus.

A salvação é uma pessoa, Jesus Cristo , Ele é a manifestação e a concretização da santificação e da redenção do homem, planejadas pela sabedoria de Deus.

O programa da salvação está contido nestas três palavras :

JUSTIFICAÇÃO

A justificação é um ato judicial. Perante a lei de Deus, todo homem é um pecador condenado à morte :

Ez 18:4 – “… A alma que pecar, esta morrerá”.

El 7:20 – “Pois não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque.”

Rm 3:23 – ” Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.”

Mas, quando Jesus foi para a cruz, Ele carregou sobre si todo o pecado do mundo, assumiu a realidade do homem e tomou o seu lugar diante de Deus. Até ali, para alguém se aproximar de Deus, tinha que haver sangue – sinal de que houve uma morte substitutiva, pois esta era a condenação.

Ao assumir o lugar do homem pecador, Jesus se expõe diretamente à Deus e à sua justiça, pois não havia o sangue entre eles. Naquele momento, a justiça de Deus, no tocante ao pecado do homem, foi descarregada em Jesus, e Ele gritou : “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste ? “. Jesus jamais poderia tomar o lugar do homem sem que se separasse do Pai ! Ele assumiu ali a morte espiritual do homem . Em seguida, Ele morreu fisicamente, e passou três dias no lugar da morte eterna. Esta era a carreira do homem depois que se separou de Deus por sua própria vontade e decisão (Rm 5:12). Mas, Jesus Cristo a cumpriu no nosso lugar, como substituto do homem. No terceiro dia, Ele ressuscitou, iniciando , como o “último Adão “, uma nova raça.

Cl 1:21 – ” Antes, vocês estavam separados de Deus e, em suas mentes, eram inimigos por causa do mau procedimento de vocês. Mas agora, Ele os reconciliou pelo corpo físico de Cristo, mediante a morte, para apresentá-los diante dele santos, inculpáveis e livres de qualquer acusação ”

Para recebermos em nossa vida esta salvação, é preciso crer:

Rm 5:1 – ” Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes .”

O pecado traz condenação. Se cremos ou não, isto não muda o fato. O pecado permanece desde o começo da raça humana, e só há uma maneira de nos livrarmos dele : aceitando, pela fé, o que Jesus Cristo fez como nosso Substituto.

Quando alguém recebe Jesus Cristo como Senhor , Deus o declara justificado. A condenação é apagada e , por uma decreto de Deus, aquela pessoa é declarada santa.

Na justificação, o homem se livra da condenação do pecado. A condenação pelo pecado é a morte eterna, isto é, a separação eterna de Deus. Quando recebemos Jesus Cristo, como

Senhor (crendo no que Ele fez na cruz), Deus transfere a obra da cruz para nós e nos declara justos.

Rm 8:1 – ” Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus.”

Podemos dizer que esta é a primeira fase da salvação, e é um ato. Um ato através do qual, a pessoa passa de réu a filho de Deus.

Jo 1:10-13 – “A Palavra (Jesus) estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dela, mas, o mundo não a reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não a receberam. Contudo, aos que a receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram por descendência natural, nem da vontade da carne, nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus. ”

Literalmente, um novo espírito nasce, de Deus, e o Espírito Santo vem habitar neste novo espírito.

Rm 8:9 – ” entretanto, vocês não estão sob o domínio da carne, mas do Espírito, se de fato Espírito de Deus habita em vocês. E, se alguém, não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo.”

I Co 6:19 – ” Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo o qual habita em vocês, o qual receberam de Deus, e que não são de si mesmos ? ”

SANTIFICAÇÃO

O que acontece daí para frente ?

Começa a segunda fase da salvação , que se chama santificação , e trata-se de um processo.

Deus, agora como Pai, vai nos educar para o seu Reino. Embora nosso espírito seja novo e habitado pelo Espírito de Deus, nossa alma permanece como antes e o propósito de Deus, ao salvar o homem, é que este se torne como Jesus Cristo.

Rm 8:29 – ” Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conforme a imagem de seu Filho, a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos.”

A nossa personalidade (que reside na alma) precisa receber o caráter de Jesus Cristo. Jesus nos enviou como ele foi enviado ( Jo 17:18; 20-21), nós levamos a palavra da reconciliação com Deus ao mundo ( II Co 5:18). Mas, como faremos isso sem termos transformação em nossa vida ? A vida ( não o discurso) do verdadeiro cristão, é como uma vitrine para o mundo, onde é exibida a obra que Deus faz nos que são Dele. É na santificação que Deus opera a transformação de nosso caráter. Podemos , assim, entender melhor o verso de Tiago 1:21, citado no início.

Tt 2:11-14 – ” Porque a graça de Deus… nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente, enquanto aguardamos a bendita esperança : a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo, que se entregou por nós a fim de nos remir de toda maldade e purificar para si mesmo, um povo particularmente seu, dedicado à prática de boas obras.”

Fomos comprados pelo sangue de Jesus, não somos mais de nós mesmos, e temos de viver exclusivamente para Deus (I Co 6:19,20 ) .Na verdade, o significado de ser “santo”, é ser separado para um devido fim. Santificação é um processo em que vamos sendo separados para o uso exclusivo de Deus. Isto não quer dizer que seremos pessoas estranhas, isoladas do mundo, com hábitos estranhos e assustadores. isto afastaria as pessoas, pois elas ou nem ousariam se aproximar de tais pessoas ; ou teriam medo de ficarem iguais. Mas, a Igreja de Jesus é enviada ao mundo… justamente para as pessoas.

No processo de santificação, o principal é aprender a andar com Deus, desenvolvendo uma amizade profunda e de confiança com Ele. Para isto, é preciso gastar tempo com Deus e com sua palavra, é assim que convivemos com Deus ; sem convivência jamais nos tornaremos amigos de alguém, e não é diferente com Deus.

O que o mundo necessita ver, é gente transformada por Deus, no caráter. Gente que vive normalmente mas que é diferente. Jesus Cristo era absolutamente normal. Na noite em que foi preso, Judas precisou dar um sinal : “é aquele que eu beijar “. Por que ? Porque não havia nada de extraordinário em sua aparência. Mas, quem se aproximava Dele, quem convivia com Ele via a grande diferença. Quando alguém entra em contato com um verdadeiro cristão, até para as coisas mais simples, tem que notar diferença. O toque de Deus, o fruto do Espírito tem que ser visível no povo que se chama pelo nome de Deus, mas de maneira normal e simples. Este é o verdadeiro resultado da santificação e o seu grande segredo.

SANTIFICAÇÃO X RELIGIOSIDADE

Quando cumprimos , com indiferença, os programas da igreja, com o mesmo sentido de obrigação que se vai à escola, ao dentista, ao trabalho, etc… é religiosidade.

Quando, friamente, seguimos regras religiosas com um espírito soberbo e acusador, é religiosidade ( Lc 18:10-14 ).

Quando seguimos regras religiosas por obrigação, com medo do castigo de Deus, às vezes, até com saudades do tempo em que não éramos cristãos, é religiosidade.

Quando buscamos somente o favor de Deus, e nos irritamos quando não recebemos o que queremos, cobrando de Deus o que “fazemos para Ele “, é religiosidade.

Quando estamos sempre acusados pelo pensamento de não estarmos fazendo o suficiente para Deus, é religiosidade.

Afinal, tudo o que é feito para Deus com esforço, peso, cansaço, murmuração, irritação, acusação, etc. , é pura religiosidade.

No processo de santificação, começamos é a fazer o que Deus quer, e a não fazer o que Deus não gosta, não pelos motivos citados acima, mas porque a vontade, a emoção e a mente de Jesus Cristo estão sendo trazidas , pelo Espírito, à nossa alma. Começa uma grande mudança em nossos gostos, vontades e raciocínios. Nós mesmos é que não toleramos mais algumas práticas antigas e passamos a amar algumas que são novas para nós. Mudanças começam a aparecer na área do temperamento, e uma paz, que não conhecíamos, começa a tomar o lugar da ira e da irritação nas horas de crise. É a maravilhosa ação do Espírito nos transformando à imagem de Jesus, é a santificação sendo operada em nossas vidas.

Santificação é o processo pelo qual vamos ficando livres do poder do pecado.

Enquanto estivermos aqui na terra, nunca chegaremos ao ponto de dizer : “Não que eu já tenha obtido tudo isto ou tenha sido aperfeiçoado , mas prossigo para alcançar aquilo para o qual também fui alcançado por Cristo Jesus… mas uma coisa faço : esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo…” Fl 3:12-14

Esta passagem está falando do processo de vida que está sendo trazido para a alma, pois Paulo tinha certeza de sua salvação final. No capítulo 1:21-24, ele diz que “o morrer é lucro … tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor. ” Veja Rm 6:5-10.

Quanto mais crescemos na vida espiritual, mais constatamos que ainda há muito para crescer. Na santificação, estamos sendo salvos do poder do pecado, pois o pecado tem um poder que domina sobre os que não têm Jesus. Estes, são escravos do pecado. Quando recebemos Jesus Cristo, recebemos uma nova natureza que nos capacita a dizer “não” ao pecado. Assim, quando se diz que o crente não pode fazer isto ou aquilo ( beber, fumar, etc.) saiba, com certeza que não se trata de uma proibição, mas de liberdade. Vícios, ou quaisquer outras coisas, não podem escravizar o povo que realmente é de Deus. Temos poder, em Cristo, para dizer “não” à elas. Podemos, agora, nos livrar de qualquer tipo de escravidão, pelo Nome poderoso de Jesus Cristo. Glórias à Deus por isso !

JUSTIFICAÇÃO X SANTIFICAÇÃO

A justificação nos coloca numa firme posição em Deus.

Ef 2:4-6 – “Todavia, Deus, sendo rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda éramos mortos em transgressões – pela graça vocês são salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus.”

Fisicamente, não estamos lá, mas em espírito já estamos. Temos que andar aqui na terra de acordo com esta posição. A justificação , portanto, nos dá uma posição, e a santificação nos leva a um procedimento aceitável à Deus.

A justificação é um ato, a santificação é um processo.

A justificação se relaciona com o governo de Deus, por isso é um assunto legal ( de lei ). A santificação se relaciona com a família de Deus.

A justificação nos livra da condenação do pecado, a santificação vai nos livrando do poder do pecado.

No processo de santificação, quando pecamos o Pai vai nos disciplinar. Não é mais o Juiz condenando, mas o Pai disciplinando, ensinando, corrigindo. ( Hb 12:5-11).

O processo de santificação é operado em meio a lutas. Isto acontece porque a nossa alma ainda luta para permanecer no controle da nossa vida. A atitude básica do pecado é a independência de Deus, quando nós mesmos dirigimos e decidimos nossas vidas. A nossa tendência, mesmo depois de nascidos de novo, é continuar andando de acordo com a velha natureza – a natureza adâmica. No V.T. há uma figura bem clara disto, quando o povo de Deus saiu do Egito para a terra prometida. O Egito na Bíblia é símbolo do mundo. No deserto, Deus alimentou o povo com maná que caía do céu, mas o povo tinha saudade da comida do Egito – onde era escravo. Antes de aceitar Jesus como Senhor ,éramos escravos do pecado, do mundo, do diabo. Somos libertos, mas ainda ficamos apegados às coisas do mundo como se fossem preciosidades, como se não pudéssemos passar sem elas.

Na santificação, que é operada pelo Espírito, vamos aprender a entregar estas coisas, a demolir as fortalezas que temos em nossas mentes. O primeiro passo é justamente este: entregar, pois Deus não arromba as portas fechadas de nossa vida. O Espírito vai sinalizar as áreas de nossa vida que precisam de transformação, mas cabe a nós abrirmos estas áreas para Ele operar. Ao deixarmos o Espírito com liberdade – isto acontece quando simplesmente concordamos com Sua sinalização e confessamos o pecado – Ele coloca ali a vida de Cristo, e, assim, vamos sendo transformados à Sua imagem. Esta obra do Espírito é tão delicada e suave que, muitas vezes, demoramos a dar conta da transformação, parece que sempre fomos daquele jeito.

O Espírito mostra algo que está errado em nossa vida. Começamos a nos incomodar e a ver claramente , na Bíblia, que Deus não se agrada daquilo. O passo seguinte é que nós também passamos a não gostar. Finalmente, com nossa boca, pedimos a Deus que retire aquilo de nossa vida. Que alívio e alegria sentimos quando somos livres; e ficamos admirados de termos convivido e gostado de certas coisas por tanto tempo !

E , qual é a nossa parte na santificação ?

Uma das coisas mais difíceis de se entender é que a santificação de vida se processa da mesma maneira que a justificação. Da mesma maneira como fomos justificados, seremos santificados. Para sermos justificados, apenas ouvimos o evangelho, e cremos no que Deus realizou a nosso favor. Para sermos santificados o principio é o mesmo.

A tendência do homem é criar regras e leis, fazer listas do que se pode e não se pode fazer, mas, não é assim que Deus opera. Não há capacitação em nós para operar a santificação, assim, como não havia para operar a justificação.

A santificação é pela graça, e é Deus quem a opera.

I Co 1:30 – ” Se tornou …justiça, santidade…”

O mesmo que operou a justificação vai operar a santificação !

Ninguém se torna mais santo por fazer obras. O diabo coloca peso e leis sobre o povo de Deus,para distraí-lo do verdadeiro objetivo da vida cristã que é desenvolver um relacionamento normal com Deus. É nesse relacionamento que vamos conhecendo o nosso Deus e sendo transformados por Ele, de glória em glória.

Fl 2:13 – ” É Deus quem efetua em vocês tanto o que quer realizar, de acordo com a boa vontade dele.”

Por exemplo, se você tem vontade de ler a Bíblia ( e sem ler a Bíblia não podemos conhecer a Deus e a sua vontade para nossa vida), diga : “Pai, eu não tenho vontade de ler a Bíblia, mas eu creio que o teu Espírito pode efetuar este querer em mim, eu peço que ele o faça, em Nome de Jesus.” Fazendo assim, abrimos esta área para o Espírito modificar , e isto se dá , quando é tirado de nós a nossa antiga maneira de encarar e de agir naquela determinada área , e é colocado ali o padrão de Jesus. Nesta área de conhecer a Deus e a Sua vontade, veja como era o padrão de Jesus :

Jo 4 : 32 – ” Disse-lhes Jesus : A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.”

Jo 8 : 26,28,29 – “Pois aquele que enviou merece confiança, e digo ao mundo aquilo que dele ouvi…nada faço de mim mesmo, porém falo exatamente o que o Pai me ensinou… faço sempre o que é do seu agrado. ”

Em todas as áreas devemos fazer o mesmo, pois somente Deus pode operar o milagre das transformações em nossa alma.

REDENÇÃO

Embora nosso assunto seja santificação, vamos apenas definir o que é redenção, desde que o nosso texto básico de I Co 1 : 30, diz que Jesus “se tornou sabedoria de Deus para nós, isto é , justiça, santidade e redenção.”

A justificação nos livra da condenação do pecado – trata do espírito.

A santificação nos livra do poder do pecado – trata da alma.

A redenção nos livrará da presença do pecado – trata do corpo.

Rm 8:23 – ” Nós mesmos que temos os primeiros frutos do Espírito, gememos interiormente, esperando ansiosamente nossa adoção como filhos, a redenção do nosso corpo. ”

Fl 3:20-21 – “A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual, pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, transformará nossos corpos humilhados, para serem semelhantes a seu corpo glorioso.”

Quando Jesus vier buscar a sua Igreja, nosso corpo será transformado à semelhança de Seu corpo. Subiremos com Ele e estaremos livres da presença do pecado.

A base para a santificação é a mesma da justificação : Deus opera através da graça, e nós recebemos através da fé.

Cl 2:6 – ” Portanto, assim como vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nele, enraizados e edificados nele, firmados na fé, como foram ensinados, transbordando de gratidão.”

Rm 10:17 – ” … a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo.”

A fé é gerada pela Palavra, por isso, é tão importante ler, meditar e praticar a Palavra.

Assim que nascemos de novo, somos nenês espirituais : I Pe 2:2. Depois nos tornamos meninos : Ef 4:14. Mas, estes estágios não devem se prolongar em nossa vida espiritual, assim como na vida natural, temos que nos tornar adultos e maduros, pois é isto que Deus espera de nós:

I Co 3:1- 3 – ” Irmãos, não lhes pude falar como a espirituais, ma como a carnais, como crianças em Cristo. Dei-lhes leite e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições para isso. De fato, vocês ainda não estão em condições , porque ainda são carnais. ”

Leia também Hb 5:11- 14.

A meta de Deus para nós é a maturidade. Na justificação, Jesus morreu em nosso lugar, foi nosso Substituto. Ele morreu a nossa morte e nós ficamos livres da condenação do pecado que nos levaria à morte eterna. Na santificação, nós temos que morrer com Jesus. Temos que morrer para nós mesmos, para que a vida de Jesus viva em nós. Não há lugar para “dois” viverem na mesma pessoa.

Gl 2 : 20 – ” Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. ”

Ser santificado é viver a vida que Jesus veio nos trazer : “Vida em abundância”- Jo 10:10.

Não adianta nos maravilharmos com a Palavra, com cultos, sermões, ministrações, se estas coisas não provocarem uma mudança em nós. É absolutamente necessário que tomemos uma posição, uma decisão de entrega a Deus.