Conheça a história de uma vida restaurada pelo poder de Deus, por meio de uma célula

Meu nome é Thiago da Costa, e posso dizer que estou vivo por um milagre de Deus. Quando a minha mãe estava grávida, tentou me abortar com uma agulha de crochê e, assim como eu, quase morreu. Porém, em meio aquela situação delicada, uma senhora chamada Neusa se comoveu com o caso e resolveu cuidar da minha mãe até que eu nascesse, porque tinha interesse em me adotar

Drogas

Thiago – antes de sua conversão

Após o meu nascimento, Neusa e seu marido Francisco me registraram e se tornaram os meus pais adotivos. Quanto aos meus pais biológicos, não os conheci.

Aos três anos de idade, Neusa se separou de Francisco. Ele foi embora e não o vi mais. Passado um tempo, minha mãe se casou novamente com um homem chamado Edson. Ele, assim como minha mãe, era divorciado e tinha quatro filhos do primeiro casamento, que se mudaram para a minha casa.

Morando no bairro Betânia, em Belo Horizonte, cresci como uma criança normal. Estudava, jogava bola e me divertia com amigos. Mas com a adolescência, tudo mudou. Comecei a frequentar festas raves, em que tive o meu primeiro contato com a cocaína. Após esse dia, meu envolvimento com as drogas foi se tornando cada vez maior. Além da cocaína, passei a fumar cigarro, maconha, mesclado (cigarro feito com maconha e crack), a fazer uso de LSD e álcool, e me tornei traficante.

Em meio a essa minha vida totalmente desregrada, minha mãe ficou doente; teve câncer no útero, intestino e fígado. Em 2008, aos 52 anos, ela faleceu. Meu padrasto, com quem eu não tinha uma boa convivência, foi embora de casa e passei a morar sozinho. Muito depressivo e amargurado, me afundei ainda mais nas drogas.

festa

Festa de aniversário do Thiago

Mas como o Senhor é bom e fiel, Ele viu a minha dor e enviou dois amigos de infância, Daniel e Eduardo, que são evangélicos, para me ajudarem a sair daquela vida de tristeza. Posso dizer que eles são dois “anjos” que Deus escolheu para cuidarem de mim. Eles viram a situação em que eu estava, se comoveram e se propuseram a me ajudar. Uniram-se firmemente, começaram a me evangelizar e me convidaram a participar do Impacto Vida. No início, corria deles, mas de tanto insistirem, aceitei o convite.

Chegando lá, realmente fui impactado. Meus olhos foram abertos, meu coração foi quebrantado e comecei a enxergar a nova vida que Cristo tinha para mim. No domingo, hora de voltar para a casa, fui convidado pelo Daniel e Eduardo para um churrasco. Ao chegar lá, todas as pessoas da Célula em que Eduardo é o líder estavam presentes. Na verdade, elas haviam preparado uma festa surpresa para mim, pois no sábado foi o meu aniversário. Não consegui dizer nada, apenas chorei de tanta emoção.

Slide1

Reforma do apartamento do Thiago

Após o fim da festa, todos se despediram de mim e fui embora para casa, acompanhado pelo Eduardo. Ao chegar à entrada do prédio, vi que alguns dos meus móveis estavam entulhados num local. Pensei que havia sido despejado, fiquei sem entender. Eduardo então me falou que aqueles móveis já não faziam parte da minha nova vida. Não o questionei e entramos no prédio. Para minha surpresa, ao abrir a porta do meu apartamento, dei de cara com todas as pessoas da Célula que tinham ido embora da festa, e comecei a observar a minha casa.

Ela não era mais a mesma. Antes do Impacto, ela estava toda bagunçada, suja, em condições totalmente precárias, mas, naquele momento, ela se encontrava restaurada. Numa iniciativa do Eduardo e Daniel, todos se uniram para a reforma do meu apartamento. Novamente foi um momento de muita emoção. Não tive palavras para agradecer por tanto carinho e dedicação.

Estou há quase um mês sem usar drogas, e agora só quero a Deus e viver os Seus planos para a minha vida. Estou fazendo o curso “Primeiros Passos” e depois farei o curso de preparação para o batismo. Quero trabalhar muito, tirar carteira de habilitação, comprar um carro, constituir uma família, ajudar pessoas que ainda não tiveram um encontro com Cristo e viver em comunhão com os irmãos da igreja, principalmente, com os da minha Célula, que hoje os considero como a minha nova família.

Fotos: arquivo pessoal

:: Thiago Costa

Texto: Cristiane Soares