Nenhum Comentário

Um chamado ao cuidado com a criação

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

A falta de consciência, conhecimento e amor, aliada à justificativa do ritmo de vida, pode nos parecer, à primeira vista, como a isenção da preocupação com nosso meio ambiente, conferindo ao mesmo a caracterização de “terra de ninguém”.

Acontece que o domínio dado por Deus ao homem tem em paralelo a sua responsabilidade sobre toda a criação divina, e por ser “imagem e semelhança de Deus” o homem deve cuidar e respeitar tudo à sua volta, inclusive a natureza.

Atualmente vivemos um antagonismo em que a teologia abrange muitas áreas e assume papéis importantes, e a prática cristã toma formas que a separa do exercício diário da vida em Cristo. “Somos todos cristãos! Mas isso não tem nada a ver com a ecologia, com a proteção de nossas florestas e muito menos a ver com sustentabilidade.” E insistimos: “Somos todos cristãos!”, mesmo que para a tristeza do próprio Cristo.

Nosso chamado está muito além de nosso exercício religioso, ele tem que obrigatoriamente ser parte integrante de todas as áreas de nossa vida individual e coletiva, isso determina o cuidado com a criação de Deus. Qualquer discurso aqui soaria similar e apenas somaria à chuva de informações muito mais relevantes que circulam hoje sobre a importância da preservação do meio ambiente e do papel do homem nessa conformação, mas quero lembrar nosso dever como cristãos de obedecer a Deus e honrá-Lo nessa área também. Cuidemos das matas e florestas, dos rios e animais… sejamos bons mordomos do que Deus colocou “em nossas mãos” ainda no Jardim do Éden (Gn 1.28,29)

:: Jeanne Lacerda