Nenhum Comentário

Vovós relembram canções, ouvem histórias e ganham presentes com o Tio Uli

Atividade é organizada em homenagem ao Dia Nacional dos Avós (26 de julho)

IMG_3431

“É uma alegria estar aqui, porque não tenho mais avó, mentira (risos) olha quantas vovós eu tenho por aqui”, brincou Tio Uli, durante visita a Casa das Vovós no dia 22 de julho. O apresentador da Rede Super de TV por iniciativa própria organizou uma tarde de confraternização para celebrar o Dia Nacional dos Avós (26 de julho). Para iniciar as atividades, ele cantou algumas canções antigas enquanto tocava teclado, elas sorriam e o acompanham durante as melodias.

O boneco Benjamim foi o auxiliar do Tio Uli para contar histórias às vovós. Elas davam gargalhadas enquanto Ele simulava a voz do personagem. “Achei tudo ótimo, ultimamente ando muito nervosa e o que aconteceu hoje foi muito bom para me distrair”, disse Aurinda dos Santos, 93 anos. Outra integrante do ministério que gostou muito da iniciativa foi a vovó Helena da Silva (67) que vive na Casa há três anos. “Fiquei muito feliz com todos, sejam todos sempre bem-vindos. O que mais gostei de hoje foi do teatrinho do Tio Uli com seu bonequinho e também já decidi colocar um nome para a minha boneca: ela se chamará Maria Fernanda”, disse.

IMG_3505

A boneca que a vovó Helena se refere é um dos presentes entregues pelo Tio Uli durante a homenagem. Todas as vovós receberam um brinquedo, linha para bordado, agulha e tecidos. “Vou voltar para ver quem fez o bordado mais bonito para a boneca”, garantiu Tio Uli.

Casa das Vovós

O projeto da Fundação Oásis acolhe 25 pessoas e trabalha para proporcionar os melhores anos de vida de suas idosas. Em sua maioria, são senhoras sozinhas, viúvas, muitas delas sem filhos, outras sem nenhum parente, outras com parentes distantes. A Coordenadora Casa das Vovós, Eunice Carvalho, relata que não considera a Casa um asilo, mas um lugar onde existe uma família reunida. “Saber que podemos ajudar de alguma forma é muito gratificante e tudo é feito com muito amor. Procuramos supri-las dando a elas uma família”.

Momentos de celebração após culto com o Tio Uli

A voluntária Terezinha Maria de Fátima conta que as participantes do projeto são vaidosas e amam se cuidar.  “Chego segunda e terça e trato da beleza delas; hidrato a pele, fazemos as unhas, tudo com carinho. Elas são muito vaidosas, ficam com raiva quando não dou conta de pintar as unhas. Na época da Copa queriam passar até esmalte verde”, relata. O espaço conta ainda com fisioterapia, atendimento médico, nutricionistas e outros trabalhos.

Mais informações:

Casa das Vovós: (31) 3441-4799

Fotos: Olilon Fonseca

:: Érica Fernandes e Raíssa Sossai