Created with Snap

Notícias

Aliança familiar

Nenhum Comentário

Estudo de célula do Jornal Atos Hoje- 26/08/2007

Feliz quem teme ao Senhor e anda nos seus caminhos.” (Sl 128.1).

A Família

Deus criou a família. Ele fez o primeiro homem, viu a sua necessidade de companhia e preparou-lhe a mulher, fazendo-a sob medida para Adão (Gn 2.18-24). Ambos viviam em plena harmonia (Gn 2.24-25), perfeito amor e comunhão com o seu Criador (Gn 3.8). Todas as tardes, na viração do dia, o Senhor vinha para visitá-los e conversavam. Como é bom voltar a esse paraíso! Como é bom ter um horário marcado com Deus para conversar: ouvi-lo e poder colocar diante dele os nossos questionamentos, dúvidas, anseios e expectativas… Como é importante o casal ter essa comunhão com Deus e levar os filhos à mesma direção!
Temos visto, em nossos dias, a família se desintegrar, murchar e morrer… O inimigo tem atacado de maneira feroz os casais. Os relacionamentos estão estremecidos com brigas constantes, por motivos banais. A base da boa convivência é o amor e o perdão. O mandamento do Senhor para todos os membros da família é: “[…] amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei.” (Jo 13.34). O modelo de amor que Jesus nos dá é sacrificial: amar do mesmo modo como Ele nos amou, isto é, estar pronto a dar a vida uns pelos outros.
O maior inimigo do amor é o egoísmo. Quando se pensa em si mesmo, acima de tudo, não há lugar para os outros. Hoje em dia, os casamentos estão fracassando por causa do egoísmo. Cada um pensa em ser feliz e não aceita o jugo da renúncia e do perdão (Rm 12.9-21).

O respeito e a consideração

A Bíblia nos mostra o povo de Israel com sua história ligada diretamente à formação da família de Abraão. O nascimento de Isaque (Gn 21.1-7) mostra o plano cuidadoso de Deus na formação da nação de Israel e a necessidade da obediência ao Senhor (Gn 22.1-19) para que os projetos divinos se cumpram.
Sabemos que as famílias não são perfeitas. Todos nós temos defeitos e virtudes, não é verdade? Abraão foi um marido descuidado com sua esposa. Ele foi egoísta ao pensar apenas em si, no Egito (Gn 12.10-20), e entre os filisteus (Gn 20.1-17). Ele pediu a Sara que falasse que era sua irmã, o que realmente era (por parte de pai), para se proteger da morte (pois muitos maridos eram mortos por causa da beleza de suas esposas). E, Sara, por sua vez, não demonstrou fé suficiente para crer que Deus lhe daria um filho, entregando ao marido a sua serva Agar (Gn 16.1-6).
A Bíblia nos abre as portas dos lares dos patriarcas no Velho Testamento, e nos permite ver os problemas que enfrentaram e as decisões que tomaram nas diversas circunstâncias. Podemos perceber que todos Abraão, Isaque (Gn 27), Jacó (Gn 30.1-25), José (Gn 37.1-36), Davi (2Sm 11.1-27), Salomão (1Rs 11.1-8), Samuel (1Sm 8.1-3), etc., tiveram os seus acertos e erros. As situações se repetem em nossos lares. Temos o exemplo do passado para que acertemos no presente e asseguremos a vitória no futuro, para que tenhamos uma descendência abençoada.
Você pode citar alguns problemas dos lares da Bíblia que se repetem hoje?
Entre os membros da família é necessário que haja o amor mútuo, a consideração, o respeito e a valorização de cada um. O Senhor diz: “Como é bom e agradável que os irmãos vivam em união.” (Sl 133.1). Essa união de coração é proporcionada pelo Espírito Santo de Deus. Ele é o óleo precioso que aplica o amor e o perdão aos corações, aleluia!
Comente na célula algumas lições tiradas da sua experiência familiar, em que houve o perdão e o amor, trazendo soluções.

Falando positivamente da família

Há muitas pessoas que falam mal de seus familiares. Apontam os seus defeitos e mostram suas falhas a todos. Sabemos que a falta de perdão nos faz “cobrar” das pessoas as suas atitudes e falhas. Entretanto, o amor “cobre” multidão de pecados. Amar não significa ser conivente com o pecado, aceitando-o como certo, mas consiste em não levar em conta o que foi feito contra nós e cobrir as faltas com o sangue de Jesus.
Fale bem de sua família. Encontre os pontos positivos dela para falar aos outros e entre si. Procure as virtudes de seu cônjuge e fale delas com ele(a). Elogie seus filhos e incentive-os à prática do amor e do perdão. Ame seus pais e esteja junto deles o máximo que lhe for possível. Valorize seus familiares e perdoe as faltas que cometeram em relação a você.
Na história de José, encontramos o mais lindo e emocionante capítulo de perdão. José chorava quando falava com seus irmãos. Ele os amava, mas não tinha a certeza de que eles estivessem arrependidos do mal que lhe fizeram. E, quando Judá se propôs a ficar como escravo no lugar de Benjamin, José se derreteu no íntimo, pois era isto que ele sempre desejara. Que seus irmãos amassem tanto a ele quanto a Benjamin (sem inveja, mágoa ou rancor).

Todos lucram com o amor na família. É necessário que se use as 5 linguagens do amor no lar:
1) Palavras de aceitação, confissões de amor (elogio e estímulo com palavras de carinho).
2) Gastar tempo de comunhão uns com os outros (tirar tempo para passearem juntos, comerem um sanduíche, realizarem encontros familiares para conversarem e lembrarem o passado).
3) Dar presentes (demonstrações de apreço e consideração, gratidão num cartão ou numa ligação telefônica).
4) Servir com amor (fazer algo para demonstrar amor, levar o café da manhã na cama, visitar, acompanhar ao dentista, ficar no hospital como acompanhante).
5) Toque (um abraço, um beijo, um afago nos cabelos brancos dos pais).

Para ler e refletir:
Leia os seguintes textos: Sl 127; 128; Pv 31.10-31; Ef 5.22-31; 6.1-4; 1Co 13.1-13.
Como você tem vivido a vida familiar? Você sabia que a aliança que temos é de amor e fidelidade?     Como tem sido o relacionamento entre os membros da sua família? Você tem falado as linguagens de amor na sua família? Há alguma coisa para perdoar ou para acertar entre você e algum membro da família? Você tem orado pelos seus familiares?

::Por: Pra. Ângela Valadão

Fale comigo!
Fale comigo sobre o Estudo de Célula. Tel.: (31) 3421-2003, 8489-2535.

Tags