Created with Snap

Notícias

Estudo de GC: Ame o seu próximo

Nenhum Comentário

Estudo de CélulaReferência Bíblica: Tiago 2.1-13

Exposição do texto: a preocupação de Tiago nessa passagem é eliminar do meio do povo de Deus o favoritismo entre as pessoas. Sua provocação pode ser resumida nestas perguntas: o rico é melhor que o pobre? Existe alguém melhor que o outro? Aos olhos de Deus, somos todos iguais.

Discussão:

  • Como você reagiria se alguém chegasse à reunião do GC vestido e cheirando como um mendigo? E se um grande profissional da sua área comparecesse à reunião? Haveria diferença no tratamento?
  • Você trata alguém com favoritismo em detrimento de outros?
  • Quando Deus olha para as pessoas, Ele vê o mesmo que você?

Objetivo: entender que o cristão verdadeiro ama todas as pessoas igualmente, pois vê o próximo com os olhos de Deus.

Contexto: o sistema secular nos ensina que a acepção de pessoas deve ser feita sempre que houver algum benefício. Nossa tendência é valorizar uns e desprezar outros, priorizar o rico e desprezar o pobre, sempre visando os nossos próprios interesses. Assim, na faculdade, no mercado de trabalho ou no dia a dia, somos tentados a agradar aqueles que podem nos dar algum retorno. No entanto quem age dessa forma não compreendeu os princípios e valores do Reino de Deus.

O alerta de Tiago vale para nós, cristãos, hoje. Um favoritismo baseado em aspectos externos é incompatível com a fé Naquele que veio derrubar as barreiras de nacionalidade, raça, classe, gênero e religião. Ou seja, não combina com os valores inerentes ao Reino de Deus, tampouco com os membros desse Reino. Fazer acepção de pessoas é contrário à Lei do Reino, que é a Lei do Amor, conforme lemos no versículo 8. E esse amor deve ser manifestado e demonstrado a todas as pessoas, inclusive, “estrangeiros” e “inimigos” (Lucas 10.25-37; Mateus 5.44).

Não basta amar o amigo. O cristão verdadeiro ama e valoriza igualmente todas as pessoas, pois sabe que todos são imagem e semelhança de Deus. Quando questionado pelos discípulos sobre como deveriam orar, Jesus iniciou a mais famosa oração com a expressão “Pai Nosso”. Isso significa que Deus não é apenas meu Pai ou seu Pai. Ele é o nosso Pai e está acima de todos nós.

Além disso, Jesus não escolheu os melhores homens para serem Seus discípulos. Pelo contrário, escolheu pessoas “comuns e sem instrução” (Atos 4.13), para mostrar que nossas maiores qualidades e méritos estão Nele, e não nas conquistas pessoais ou recursos materiais.

Conclusão: a prática da diferenciação entre as pessoas é humana e totalmente contrária ao caráter de Deus, inaceitável para Ele e não pode ser vista nas atitudes do Seu povo. Jesus, que é a imagem do Deus invisível (Colossenses 1.15), pregou e viveu o amor incondicional e sem acepção de pessoas. Da mesma forma, ao se tornar cristão, o crente se retira voluntariamente do sistema secular e passa a viver segundo um padrão bem mais elevado de valores: o padrão do Reino de Deus. A partir da conversão, “a ninguém mais consideramos do ponto de vista humano” (2Coríntios 5.16), pelo contrário, entendemos o valor de cada um e passamos a enxergá-lo como Deus o faz.

Aplicação:

  • Sonde seu coração em oração e descubra se você tem tratado certas pessoas com favoritismo;
  • Procure aproximar-se das pessoas ou grupos aos quais você tem alguma resistência, sabendo que eles são amados por Deus tanto quanto você;
  • Renove diariamente a sua mente (de acordo com Romanos 2.12) até o que o Espírito Santo te capacite a amar todas as pessoas igualmente, sem acepções nem favoritismos.