Created with Snap

Notícias

Inteligência é obediência

Nenhum Comentário
Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

Em 1 João 2.3-6, o apóstolo trouxe, de forma clara, a necessidade da obediência aos mandamentos de Deus. “Ora, sabemos que O temos conhecido por isto: se guardarmos os Seus mandamentos. Aquele que diz: ‘Eu O conheço’ e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. Aquele, entretanto, que guarda a Sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. Nisso sabemos que estamos Nele; aquele que diz que permanece Nele esse deve também andar assim como Ele andou”.

Outro ponto que João aborda sobre a obediência é que ela nos faz ter uma vida separada daquela que o mundo, enquanto sistema corrompido e compactuado com o pecado e as trevas, nos oferece. “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo” (1 João 2.15,16).

O mundo não é apenas o espaço físico, aquilo que vemos. A palavra “mundo” a que me refiro diz respeito ao “cosmos”, a esse sistema que jaz nas mãos do maligno, que, com todo o seu “glamour”, atrai tanto as pessoas. E foi a esse mundo que João se referiu quando disse: “Não ameis o mundo”. O nosso coração deve amar inteiramente ao Senhor. Ele tem de estar no centro da nossa vida.

Além disso, precisamos observar a forma como temos andado, afinal: “Nisso são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama seu irmão” (1 João 3.10). João, na sua epístola, tratou dessas duas realidades: a da fé e a da conduta. Elas devem andar juntas. Existem muitas pessoas que têm fé, mas, quando as observamos em sua conduta, não vemos nelas a vida de Deus. A maior evidência de que somos do Senhor é quando testemunhamos de Sua Palavra em nós aos muitos perdidos.

Que possamos cumprir com o que a Carta de João nos ensina, a fim de que sejamos uma carta viva em Cristo àqueles que estão próximos ou distantes de nós. Essa é minha a oração!

:: Pr. Márcio Valadão