Created with Snap

Notícias

Nosso prazer está em Cristo

Nenhum Comentário
Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

Referência Bíblica: Eclesiastes 2.1; 24-26

Exposição do texto: nessa passagem, somos informados que o autor de Eclesiastes testou de tudo: viveu 100% hedonismo. Hedonismo é a linha de pensamento que afirma ser o prazer o objetivo máximo da existência, ou seja, ter prazer é o alvo da vida. Salomão mergulhou no hedonismo, mas não se satisfez.

Discussão:

  • Como você definiria prazer com suas próprias palavras?
  • Você tem alguma história para contar sobre a busca pelo prazer a qualquer custo (algo que você viveu, viu ou ouviu)?
  • Quando a busca pelo prazer pode ser perigosa?

Objetivo: compreender que o verdadeiro prazer está em um relacionamento com Cristo.

Contexto: os seres humanos estão constantemente em busca de prazer. Não há problema nisso, pois foi Deus quem criou o prazer para o homem. O problema é que, no mundo atual, o prazer nas coisas transitórias a todo custo se tornou o principal objetivo de muitas pessoas (hedonismo).

O autor de Eclesiastes mergulhou nas experiências da vida: poder, dinheiro, sexo, projetos grandiosos, comida etc. Mas não se satisfez. Assim, em Eclesiastes 2.24-26, ele nos aponta que:

1. Devemos aceitar a vida como um dom de Deus, nós não nos autocriamos

Não somos criadores de nós mesmos, recebemos a vida como um presente de Deus. Isso implica no entendimento de que Deus está acima de nós e sabe melhor do que nós o que é melhor para nós mesmos.

2. Devemos curtir a vida de acordo com a vontade de Deus

Não devemos “beber, comer e curtir porque amanhã morreremos”. Devemos curtir toda a vida de modo que Deus Se alegre, pois fomos criados para a glória dEle e não encontraremos maior alegria do que cumprir o propósito pelo qual fomos criados.

A falta de uma perspectiva bíblica completa da vida faz com que muitos cristãos vivam mediocremente em todos os sentidos. Quando lemos o Novo Testamento, encontramos histórias de pessoas que estavam em masmorras e ainda assim cantavam louvores a Deus. Também encontramos a narrativa de um homem que estava sendo apedrejado por causa de sua fé em Jesus e, ainda assim, orava pedindo que Deus perdoasse seus próprios assassinos. O que percebo é que há um abismo entre essas narrativas e a vida de muitos sujeitos que têm o nome no rol de membros de igrejas hoje. O que vejo são ditos cristãos que vivem reclamando da vida e de tudo. Vejo gente preguiçosa, triste e que ainda assim afirma ser cristã. Voltemos ao Evangelho! Voltemos a Jesus Cristo!

Conclusão: leia esta ilustração: havia um galo ciscando a terra em busca de uma migalha. Inesperadamente, ele ciscou uma pedra preciosa. A galinha, que era sua companheira, estava ao lado e disse: “Meu bem, você ciscou uma pedra preciosa!”. O galo cuspiu a pedra preciosa e disse resmungando: “Eu não estou atrás de pedras preciosas, eu estou atrás de migalhas!”. Diante do conhecimento de Deus, todos os prazeres terrenos tornam-se verdadeiras “migalhas”. Há pessoas que se deparam com a preciosidade do ensino do Evangelho, mas preferem seguir a vida em busca de migalhas.

Aplicação:

  • Avalie sua vida, se de fato tem uma vida prazerosa. Avalie se seus prazeres são ilusões do pecado ou verdades de Deus.