Created with Snap

Notícias

O Espírito Santo

Nenhum Comentário

Estudo de célula do Jornal Atos Hoje- 07/10/2007 

Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.” (Jo 16.13).

Jesus e o Espírito Santo

Jesus esperou ter a maioridade dos judeus, 30 anos, para iniciar o seu ministério terreno (Lc 3.23). Durante esse tempo, Ele esteve na rotina da carpintaria, atendendo à clientela de Nazaré. Recebia encomendas e as executava (Mt 13.55; Mc 6.3). Eram portais, janelas e mobílias que saíam de suas mãos calosas naquela oficina de trabalho pesado. A exemplo do Senhor, nós também precisamos de preparo para ir à obra, ao ministério para o qual Ele nos vocacionou.
Jesus bem poderia ter sido um professor, um escriba ou ter qualquer outra profissão. Entretanto, o fato de ser um carpinteiro nos traz ensinos maravilhosos, quando olhamos o significado espiritual desse seu trabalho. O carpinteiro trabalha com a madeira. Ele transforma o tronco da árvore em objetos e móveis de grande utilidade e beleza. Para fazer sua obra, ele utiliza ferramentas específicas e precisas.
Assim, desse modo, nós somos transformados em “vasos úteis para toda boa obra” (2Tm 2.20-21), ou seja, utensílios para a Casa de Deus. Jesus trabalhou na vida de seus discípulos. Ele os ensinava dia após dia. Comiam com Ele e ouviam as suas palavras de vida eterna. Entretanto, somente após a ressurreição de Jesus, quando estavam todos reunidos no monte das Oliveiras, é que ouviram a ordem do Senhor para que ficassem em Jerusalém até serem revestidos do poder do alto (At 1.4-8). Os discípulos precisavam do poder de Deus para cumprir suas ordenanças e levar as “boas-novas” a toda criatura. Eles precisavam do Espírito Santo (Jo 14.26).

A descida do Espírito Santo

Jesus morreu no dia da Páscoa, exatamente às 3h (Mc 15.34), quando o cordeiro pascal era imolado nas casas dos judeus (Êx 12.6). Ele é o “cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. Ele ficou por três dias no túmulo, de acordo com a palavra profética a esse respeito. E, após a sua ressurreição, Jesus apareceu aos seus discípulos durante 40 dias. Ou seja, Jesus iniciou o seu ministério com 40 dias de provação (sendo tentado no deserto pelo inimigo) e fechou o seu ministério vitorioso também com 40 dias gloriosos, vestido de um corpo ressurreto e majestoso.
E, naquele dia memorável, no cume do monte das Oliveiras, Jesus ascendeu aos céus na vista de mais de 500 irmãos (1Co 15.6). É muito importante que sua ascensão fosse do monte das Oliveiras (At 1.12). É da oliveira que se tira o azeite. O azeite, na Bíblia, simboliza o Espírito Santo. Foi ali, naquele monte, num jardim (Getsêmani), que Jesus agonizou, recebendo do Pai e do Espírito Santo a graça para passar aqueles momentos terríveis que viriam – culminando com a morte de cruz.
É no monte das Oliveiras que Jesus voltará para resgatar Israel (At 1.10-11). Isto tudo nos leva a pensar no maravilhoso ministério do Espírito Santo na Terra, no meio da Igreja.
Ali, no monte, Jesus dirigiu aos discípulos suas últimas palavras: “E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.” (At 1.4-5).
Eles obedeceram, mesmo que apenas 120 irmãos perseveraram em oração (por uma semana – dia e noite). Já se haviam passado 43 dias da ressurreição de Jesus, quando se deu o Pentecostes (50 dias após a Páscoa). Eles estavam reunidos, quando ouviram um som, como de um vento impetuoso, e viram línguas, como de fogo, em cima das cabeças deles. E foram cheios do Espírito Santo (At 2.1-4). Receberam o poder de Deus para testemunhar da vida eterna em Cristo. Receberam a capacitação para cumprir as orientações de Jesus e para amar uns aos outros.

O Espírito Santo na Igreja Primitiva

A primeira coisa que os discípulos fizeram, quando cheios do Espírito Santo, foi “adorar a Deus”, falando de suas grandezas nas línguas das nações ali representadas (At 2.11). O Espírito Santo estava dirigindo a novel (nova) Igreja a levar as “boas-novas” para o mundo inteiro (At 2.40-41).
Primeiro a oração. Então veio o “enchimento do poder de Deus”. Estando cheios da alegria e do poder do Espírito Santo, eles começaram a adorar, falando das grandezas de Deus. E, em seguida, saíram do cenáculo fechado, abriram suas portas e foram para fora, testemunhando do amor de Deus às nações. Acabou-se o medo. Acabou-se a timidez. Acabaram-se as preocupações com a própria vida e com a perseguição dos judeus e dos romanos.
Agora os discípulos eram ousados e cheios de tanta graça e poder que transtornaram Jerusalém e todos os lugares por onde passavam (At 5.29). Daí em diante, ninguém mais poderia segurar a Igreja do Senhor. Ninguém poderia barrar a marcha triunfante contra as portas do inferno. A Igreja marchava com grande triunfo, arrebatando as vidas das garras da ignorância, da religiosidade, do paganismo e das trevas que cobriam a humanidade, e trazia os homens à luz da glória de Deus – à salvação de Jesus – ao domínio e direção do Espírito Santo, aleluia! 

O Espírito Santo na vida do crente
É impossível viver a vida cristã sem a atuação do Espírito Santo. É impossível amar com o amor ágape, de maneira incondicional, a todos, sem o Espírito Santo. É impossível viver a mensagem do sermão do monte (Mt 5, 6 e 7) sem o poder do Espírito Santo. É impossível até mesmo se converter dos maus caminhos e verdadeiramente se arrepender sem a atuação do Espírito Santo.
Jesus deixou na Terra o seu Espírito Santo. Ele é o nosso consolador e mestre. Ele nos ensina todas as coisas e nos conduz à verdadeira vontade de Deus. Você já recebeu o batismo com o Espírito Santo? O que aconteceu com sua vida depois dessa experiência? Comente com os irmãos na célula. Se você ainda não recebeu essa capacitação do Espírito Santo, então peça ao Senhor agora mesmo. Ele está aí, bem junto de você, Ele quer batizá-lo e capacitá-lo para viver a vida vitoriosa em Cristo.

Leia esses textos e veja a obra do Espírito Santo em nossas vidas:
Ele guia o crente: At 8.29; Rm 8.14.
Ele dá a segurança de Salvação: Rm 8.14-17.
Ele ensina o crente: 1Jo 2.27.
Ele intercede por nós: Rm 8.26.
Ele nos consola: Jo 14.16.
Ele nos santifica: 2Ts 2.13.
Ele promove a regeneração: Jo 3.6.
Ele convence do pecado: Jo 16.8.
Ele nos convence da verdade do Evangelho: Jo 16.8; 13-14.
Ele nos capacita para dar testemunho: At 1.8; 4.31.
Ele destrói o poder do pecado em nossas vidas: Rm 8.2-6.
Ele nos guia e controla nossas vidas: Rm 8.14; Gl 5.16, 25.
Ele distribui os dons na igreja: 1Co 12.4-11.

Desafios para a semana:
Leia com cuidado os textos acima citados, estude com carinho a Palavra de Deus e busque o enchimento do Espírito Santo diariamente.
Compartilhe em sua célula suas experiências com o Espírito Santo em cada área acima citada.

::Por: Pra. Ãngela Valadão

»Fale comigo!

Fale comigo sobre o Estudo de Célula. Tel.: (31) 3421-2003, 8489-2535.

Tags