Created with Snap

Notícias

Somos amigos de Deus

Nenhum Comentário

márcio valadão

Nosso relacionamento com Jesus é mais especial do que imaginamos. Jesus chamou os Seus discípulos e disse: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer” (João 15.15). Existem muitos que querem ser servos, porém o desejo maior de Jesus é ser nosso amigo.

Amigos gostam de se encontrar, e todos precisam de amigos. Amigo é presente, e temos prazer em estarmos perto dele, abraçar e dar boas risadas. Mas Será que Deus precisa de amigo? Ele nos deixou o exemplo. Nossa fé é esse relacionamento com Ele. E como vemos, abraçamos e beijamos Jesus? Cristo disse: “Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer” (Mateus 25.45). Sempre que você abraça e beija um irmão, você está abraçando e beijando Jesus.

Esse deve ser o nosso entendimento. Dentro do Corpo experimentaremos momentos aparentemente delicados e Jesus quer nos ensinar o que está em Mateus, capítulo 26, do verso 47 ao 50, que diz: “Falava ele ainda, e eis que chegou Judas, um dos doze, e, com ele, grande turba com espadas e porretes, vinda da parte dos principais sacerdotes e dos anciãos do povo. Ora, o traidor lhes tinha dado este sinal: Aquele a quem eu beijar, é esse; prendei-o. E logo, aproximando-se de Jesus, lhe disse: Salve, Mestre! E o beijou. Jesus, porém, lhe disse: Amigo, para que vieste? Nisto, aproximando-se eles, deitaram as mãos em Jesus e o prenderam”.

Quando Jesus disse: “Amigo, para que vieste”? Era para Judas começar a chorar. Quando alguém diz: “Amigo, para que vieste?” É para você não fazer a besteira que pretendia fazer. Judas tinha o livre arbítrio e o confrontou dizendo “amigo”. Jesus sabia que ele estava ali para traí-lo, mas o Senhor disse a referida frase. Judas precisava ter uma resposta. Jesus não o chamou de filho, mas de amigo. Essa palavra é tão forte, mas infelizmente as pessoas estão perdendo e menosprezando
o sentido dela. Ser Igreja é ser amigo uns dos outros. Estamos caminhando para a conquista de 10% de cada cidade para Jesus, mas não queremos ter nomes apenas, e sim membros do Corpo de Cristo, que sejam amigos uns dos outros.

O livro de Provérbios enaltece a verdadeira amizade, quando diz: “Em todo o tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão” (Provérbios 17.17). Em todas as estações da vida, ama o amigo. Todos nós passamos por estações na nossa vida, por
angústias tão terríveis, mas se tivermos amigos estes momentos podem ser mais leves, e precisamos ser amigos também. E o amigo não é para ser amigo a vida toda, há um momento em que ele deixa de ser amigo e passa a ser irmão.
“Em todo tempo ama o amigo”. Na hora da angústia, do sofrimento se faz o irmão.

Você, por enquanto, não conseguirá ser amigo de todos; o único que consegue isso é Jesus. Que aprendamos a ser companheiros daquele que nunca nos abandona, que está conosco em todos os momentos, sejam bons ou ruins. Jesus é nosso fiel e divino companheiro!

:: Pr. Márcio Valadão