Created with Snap

Notícias

Lagoinha fecha “Setembro Amarelo” com bate-papo

Nenhum Comentário
Foto: Legacy Jovens

Foto: Legacy Jovens

O culto Legacy Jovens do último sábado (28), trouxe louvor, pregação e comunhão, mas surpreendeu a todos com um momento atípico e de grande importância: um curto e produtivo bate-papo sobre a campanha setembro amarelo,
assunto que tomou conta das mídias nos últimos dias e também dentro da igreja.

Segundo Instituto Schaeffer dos EUA, 70% de líderes cristãos sofrem de esgotamento emocional e depressão. Com o crescente número de pastores que têm tirado a própria vida devido ao stress, depressão, dentre outros problemas emocionais, Renato Ferreira, um dos líderes do ministério de jovens da nossa igreja, organizou uma curta e proveitosa conversa sobre a temática.

Os pastores, Eduardo Queiroz e Vanessa Jaffar, conduziram o bate-papo juntamente com a psicóloga, Carla Campos e com Renato. “Hoje, os jovens vivem uma pressão muito grande para mostrar serem o que não são”, diz o pastor Eduardo Queiroz. Eles ainda acrescentam que esse “viver de aparência” pode acarretar em frustrações de não alcançar aquilo que demonstram ser, e que, na maioria das vezes, é inalcançável devido ao fato de que os seres humanos não são perfeitos.

Tudo bem não estar tudo bem, todos passamos por problemas, o que devemos é admitir para nós mesmos as dores e mazelas dos nossos corações e procurar ajuda, debateram. “Quando as coisas estiverem ruins, lembre daquilo que dá
esperança. De coisas que você sabe e faz de melhor. Escreva no mínimo 5 qualidades que você tem internamente”, aconselha a psicóloga. Além disso, o assessor parlamentar, Renato Ferreira, completou a conversa colocando a situação no ponto de vista público, em que, antes era um problema totalmente fora do contexto religioso e tratado como apenas uma doença de não cristãos.

“Precisamos quebrar esse tabu e trazer esse tipo de problema para dentro da igreja. 800 mil pessoas tiram a própria vida por ano no Brasil. É função do estado entender e gerar mecanismos de defesa quanto ao sofrimento das pessoas. Entretanto, o suicídio precisa sair dessa janela de tabu e a gente conversar de fato. Os maiores mecanismos de defesa à vida no Brasil, precisam vir da igreja”, aponta.

Uma resenha necessária e frutífera. De fato, como igreja do Senhor, precisamos nos atentar para os problemas emocionais e tratá-los como questões de saúde também.

Se você necessita de ajuda na área das emoções, ligue para a doutora Carla: (31) 9911-5358 ou para a Casa,
Lagoinha Gerações: (31) 3478-6500 , estamos de plantão para te ajudar!

:: Cássia André