Created with Snap

Notícias

Ore pela Jordânia: 31º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2019

Nenhum Comentário
Foto: Portas Abertas

Foto: Portas Abertas

A sociedade jordaniana está cada vez mais polarizada. Essa polarização está encorajando os liberais e os cristãos a se manifestarem contra os desenvolvimentos islâmicos radicais no país, que tiveram sérias consequências. O assassinato extrajudicial de um proeminente autor ateu mostra como a liberdade de expressão está sendo suprimida por islâmicos radicais. Isso está levando a uma crescente pressão sobre os cristãos e outros cujos pontos de vista não estão em consonância com o islamismo radical.

A opressão islâmica é um dos principais tipos de perseguição na Jordânia, mas funciona principalmente através de ações não violentas. O governo impõe mais valores e leis islâmicas à sociedade, embora ainda promovam a tolerância e a convivência pacífica de outras religiões. Em termos de vida pessoal, os convertidos do islamismo para o cristianismo enfrentam a maior perseguição. Suas famílias e comunidade podem rejeitá-los, ou mesmo cometer alguma violência contra eles. Todos os cristãos na Jordânia podem estar sujeitos à vigilância do governo. A opressão islâmica também funciona através de ações violentas realizadas por extremistas islâmicos. Ela costuma ser muito mais severa do que qualquer outra forma de opressão. Mais e mais jordanianos estão sendo radicalizados pela ideologia do Estado Islâmico, o que põe os cristãos em grande risco.

Notas sobre a situação atual

Em junho de 2018, a ONU estimava que havia mais de 666.500 refugiados da Síria e quase 67 mil do Iraque registrados no país. A Jordânia abriga, portanto, o segundo maior número de refugiados por mil habitantes do mundo. Devido à presença de várias nacionalidades, há uma confusão sobre a identidade nacional de um cidadão. Além disso, o alto número de refugiados leva à pressão econômica, política e religiosa e é um fator potencialmente desestabilizador.

Várias denominações reconhecidas, como católicos romanos, ortodoxos e anglicanos, têm tribunais religiosos (escritórios administrativos que regulam questões como status pessoal, religião, casamento, divórcio, custódia e herança). Outras igrejas que são registradas como sociedades e fundaram seu próprio sínodo, incluindo um conselho conjunto, também têm como objetivo estabelecer tribunais religiosos. Contudo, estas enfrentaram a resistência das comunidades cristãs históricas e do governo.

Há também cristãos que servem no governo jordaniano. Nas eleições para a Câmara da Jordânia em setembro de 2016 foram eleitos nove cristãos (a cota mínima garantida para a comunidade cristã como minoria religiosa).

Pedidos de oração

  • Apesar da Jordânia ser um dos países mais estáveis do Oriente Médio, onde cristãos desfrutam de relativa liberdade, eles ainda têm que tomar certos cuidados por serem a minoria da população. Ore por sabedoria e coragem para nossos irmãos e irmãs.
  • Interceda pelos cristãos ex-muçulmanos, que muitas vezes são interrogados pela polícia e agredidos pela própria família. Ore por proteção e cura.
  • Clame para que em meio à crise de refugiados, Deus abra portas para que muitos deles ouçam o evangelho.

Tipo de Perseguição: Opressão islâmica e antagonismo étnico
Capital: Amã
Região: Oriente Médio
Líder: Rei Addullah II
Governo: Monarquia constitucional parlamentar
Religião: Islamismo
Idioma: Árabe
Pontuação: 65
População: 9,9 milhões
População cristã: 130 mil

:: Portas Abertas