Created with Snap

Notícias

Ricardo Robortella destaca as “Quatro identidades da unção” na abertura da Conferência do Clamor 2018

Nenhum Comentário
Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

Uma linda noite de adoração ao Senhor marcou a abertura da Conferência Profética do Clamor 2018, nesta quinta-feira (25), na Lagoinha sede, em Belo Horizonte (MG). O pastor Márcio Valadão deu início ao evento trazendo uma breve mensagem, em que disse que “o nosso chamado é apenas um: conhecer o Senhor e fazê-Lo conhecido”.

Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

Em seguida, pediu aos conferencistas que orassem uns pelos outros, em duplas, enquanto ele orava a Deus pela reunião: “Que seja um tempo do Senhor abrir os céus, encher esta casa com a glória da Tua presença. Mova a Tua presença em nosso meio, Senhor. O trono é Teu. O desejo do nosso coração é apenas um: conhecer o Senhor”.

Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

Na sequência, Nívea Soares conduziu o momento de louvor e adoração ao som de canções como “O Senhor é bom”, “Tu és bom”, “Santo Espírito” e “Me entrego a Ti”.

Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

A primeira mensagem da conferência ficou por conta do pastor Ricardo Robortella, líder do ministério Clamor Pelas Nações. Ele ministrou com base na passagem bíblica de Ezequiel 1.10-21, que descreve a visão que Ezequiel teve dos quatro seres viventes com quatro rostos diferentes: de homem, de leão, de boi e de águia. Robortella destacou as “Quatro identidades da unção”:

A unção do leão: precisamos deixar Jesus brilhar essa face da unção sobre nós. Somos ousados porque somos leões. Essa unção retrata como pessoas como eu e você, improváveis, são ungidas por Deus para governo e para ganhar e conquistar coisas maiores para Ele.

A unção do touro: flui do trono de Deus para sermos mansos e humildes. Você precisa beber de um rio que te faz andar uma outra milha quando pessoas perseguem você.

A unção do homem: representa os nossos relacionamentos. Quando você começa a beber dessa fonte, e a imagem de quem Jesus é começa a ser refletida em você, naturalmente você tem desejo de restaurar relacionamentos. Essa unção quebra o jugo, cura feridas, libera perdão.

A unção da águia: representa uma renovação de forças. Quando você bebe dessa fonte, Deus abre seus olhos, e você consegue ver o que ninguém vê.

“O Senhor vai te ungir com essas unções, que levam você a um outro nível de atmosfera espiritual”, disse Robortella ao fim da mensagem.

“O culto não termina, é algo constante. A mesma glória vai nos acompanhar”, disse o pastor Márcio Valadão encerrando a primeira noite da conferência. “Senhor, muito obrigado por tudo que o Senhor é e tem feito na minha vida”, orou junto aos conferencistas.

  • Assista à abertura da Conferência Profética do Clamor 2018:

:: Dayane Nascimento